Google Maps usa IA da DeepMind para prever seu tempo de chegada

Google Maps coleta dados e usa Inteligência Artificial (IA) para sugerir a melhor rota e prever o tempo de chegada

Darlan Helder
Por
• Atualizado há 2 anos e 5 meses
App do Google Maps (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

Afinal, como o Google Maps consegue escolher a melhor rota? E como ele sabe dos congestionamentos? Nesta quinta-feira (3), a companhia fez um post em seu blog para responder essas e outras perguntas. “Prever o trânsito e determinar rotas é um desafio extremamente complexo”, afirma a empresa, que revela utilizar outras tecnologias, as autoridades de trânsito e os usuários para fazer a “mágica” acontecer.

Primeiro, a gigante das buscas esclarece que conta com “dados agregados” para prever o tráfego. Ou seja, conforme você usa o serviço no dia a dia, o app pode coletar informações que ajudam a compreender a situação do trânsito.

O Google admite que, mesmo com esse “apoio” de quem utiliza o Maps no cotidiano, ainda não é possível ter uma ideia de como vai estar o fluxo em dez ou trinta minutos e é nesse momento que uma tecnologia, classificada como “peso-pesado”, surge.

Eles fecharam uma parceria com a DeepMind Technologies, uma companhia de pesquisa e Inteligência Artificial (IA), que pertence à Alphabet, holding responsável pelo Google. Ferramentas de aprendizado de máquina ajudam o Maps a prever o tráfego em determinada região no futuro. Além dessa tecnologia, o “histórico” da rua ou avenida ainda contribui para esse trabalho.

O Google explica como isso funciona na prática: “por exemplo, um padrão pode indicar que, na avenida 280 no norte da Califórnia, os carros rodam a uma velocidade média de 104 km/h entre às 6h e às 7h, mas apenas a 27 km/h no final da tarde. Então nós combinamos esse banco de dados de padrões de trânsito à situação do momento, e usamos aprendizado de máquina para gerar previsões baseadas nessas duas informações”.

Como o Google Maps escolhe a melhor rota?

Google Maps

Além de considerar as informações explicadas acima, o Google Maps analisa diversas situações de uma rua ou avenida, tais como se há pavimentação ou não, se há lama, além de averiguar a largura, a quantidade de semáforos, entre outros.

O Google Maps conta ainda com dados de agentes de trânsito para informar o motorista. As informações compartilhadas pelos próprios condutores também ajudam nesse momento de indicar a melhor rota. Em suma, as considerações do Google Maps são muito parecidas com as do Waze.

Com todo esse trabalho, as tecnologias usadas pelo Google conseguiram mostrar algo inédito: desde o início da pandemia do novo coronavírus, houve uma redução de 50% no trânsito global.

Com informações: Google.

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Darlan Helder

Darlan Helder

Ex-autor

Darlan Helder é jornalista e escreve sobre tecnologia desde 2019. Já analisou mais de 200 produtos, de smartphones e TVs a fones de ouvido e lâmpadas inteligentes. Também cobriu eventos de gigantes do setor, como Apple, Samsung, Motorola, LG, Xiaomi, Google, MediaTek, dentre outras. No Tecnoblog, foi autor entre 2020 e 2022. Ganhou menção honrosa no 15º Prêmio SAE de Jornalismo 2021 com a reportagem "Onde estão os carros autônomos que nos prometeram?", publicada no Tecnoblog. 

Canal Exclusivo

Relacionados