Instagram muda algoritmo e acaba com a farra da cópia de conteúdo

Medida visa “punir” contas que fazem sucesso pegando vídeos e até mesmo capturas de tela de outros usuários. Ao mesmo tempo, novidade valoriza criadores originais

Felipe Freitas
Por
• Atualizado há 3 semanas
Instagram (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Instagram quer valorizar criadores de conteúdo original (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Resumo
  • O Instagram anunciou uma atualização no seu algoritmo que visa punir contas agregadoras de conteúdo, impedindo que essas contas sejam recomendadas nas áreas de Explorar e no feed principal dos usuários. A intenção é valorizar criadores de conteúdo original.
  • Contas que republicarem mais de 10 conteúdos de terceiros em 30 dias serão classificadas como “agregadoras de conteúdo” e receberão penalizações.
  • A nova política de penalização do Instagram afetará mesmo aqueles que dão créditos aos criadores originais, incluindo capturas de tela e qualquer forma de republicação de conteúdo visual ou de áudio.
  • Além disso, o Instagram está trabalhando em um novo sistema de recomendações que priorizará o impulso inicial de Reels a pequenas audiências, expandindo a visibilidade daqueles que se saírem melhor, numa abordagem similar à do TikTok.

A Meta anunciou nesta terça-feira (30) uma atualização no algoritmo do Instagram que irá punir contas que republicam conteúdos (como as páginas agregadoras de memes). Estes perfis não serão mais recomendados na área de Explorar e no feed principal dos usuários. Assim, o Instagram promete valorizar as contas que publicam conteúdos originais.

De acordo com o Instagram, as páginas que publicarem mais de 10 imagens ou vídeos criados por terceiros em 30 dias serão classificadas como “agregadoras de conteúdo” — mesmo que também poste conteúdo autoral. Você provavelmente segue ou já viu alguma conta desse tipo, como O Brasil Que Deu Certo ou Saquinho de Lixo. Caso isso aconteça, as páginas recebem a penalização.

Passados os 30 dias da última republicação, as contas poderão novamente ser recomendadas. A atualização não afetará as páginas de publishers, que são autorizadas a repostar conteúdos de outras páginas. Por exemplo, a Sony Music não será penalizada por divulgar em sua conta o que foi publicado por artistas com quem tem contrato.

Repostar com crédito não muda nada

Instagram vai valorizar conteúdos publicados pelas contas originais, punindo agregadores de conteúdo (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Perfis agregadores terão menor visibilidade na plataforma (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Mesmo que essas contas agregadoras deem os créditos para os autores, o Instagram entendeu o óbvio: isso retira alcance dos criadores originais. E essa punição valerá até mesmo para capturas de telas, não apenas vídeos ou fotos de outras contas.

No entanto, a Meta não explica se conteúdos autorais publicados em outras plataformas se encaixam nisso. As repostagens não serão penalizadas se o conteúdo for antigo. Essa atualização punirá também contas de fãs que publicam fotos de seus ídolos e pessoas que fazem “coletâneas” de imagens inspiradoras — apenas dando alguns exemplos.

Caso um conteúdo novo seja republicado e entre nas recomendações, o sistema do Instagram será capaz de identificá-lo, avaliando o áudio e elementos visuais. Em caso positivo de repost, o Instagram substitui a publicação da página agregadora pelo conteúdo original, mostrando a conta criadora.

Novo algoritmo para ajudar novos e pequenos criadores

O Instagram também anunciou um novo sistema de recomendações, visando dar a todos os criadores uma chance de estourar na rede social. O novo algoritmo, que deve ser lançado nos próximos meses, recomendará diferentes Reels para uma pequena audiência.

Aqueles vídeos que tiverem o melhor desempenho serão recomendados para um público maior, repetindo o processo sucessivamente — até viralizar ou não render mais interesse. Esse é um elemento que foi importante para o crescimento do TikTok: o algoritmo de recomendação permitiu que muitos usuários comum viralizassem (um exemplo foi o caso do comediante Matt Rife).

No vídeo abaixo, confira a explicação do CEO do Instagram, Adam Mosseri

Com informações: The Verge

Receba mais sobre Instagram na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Canal Exclusivo

Relacionados