Microsoft pensou em comprar Sega para expandir Xbox Game Pass

E-mails internos mostram chefe da divisão de Xbox pedindo aprovação para abordar a Sega e negociar uma possível aquisição

Giovanni Santa Rosa
Por
• Atualizado há 11 meses
consoles sega
Sega (Imagem: Jezael Melgoza/Unsplash)

As audiências entre a Microsoft e a Comissão Federal do Comércio dos EUA (FTC, na sigla em inglês) sobre a compra da Activision Blizzard estão revelando informações dos bastidores do mercado de games. A mais nova é que a fabricante do Xbox considerou comprar a Sega e outros estúdios para incrementar a oferta de games no Xbox Game Pass.

O plano aparece em um e-mail enviado por Phil Spencer, chefe da divisão de Xbox, a Satya Nadella e Amy Hood, CEO e CFO da Microsoft, respectivamente.

Na mensagem, escrita em novembro de 2020, Spencer pede uma aprovação para a estratégia de abordar a Sega Sammy e fazer uma oferta pelo estúdio de games Sega.

“Acreditamos que a Sega construiu um portfólio equilibrado de jogos em vários segmentos, com apelo geográfico global, e isso vai nos ajudar a acelerar o Xbox Game Pass, tanto nos consoles quanto fora deles”, argumenta o chefe da divisão de Xbox.

Spencer considerava que as “amadas propriedades intelectuais” da Sega ajudariam a expandir o Xbox Game Pass e alcançar novos públicos, principalmente na Ásia. O estúdio também traria oportunidades de monetização no futuro, com transações nos games.

Bungie e Zynga também chamaram a atenção da Microsoft

Documentos de abril de 2021 mostram que a Microsoft também ficou de olho em Bungie (Destiny), Zynga (Farmville), IO Interactive (Hitman) e Niantic (Pokémon GO), entre outros.

A Sega já não constava mais nessa relação. Não está claro qual foi o motivo que fez a Microsoft desistir.

A Bungie é um caso curioso. Ela era apontada como detentora de propriedades intelectuais valorosas, além de Destiny e sua comunidade. A Microsoft ainda observava que Destiny era um dos títulos com mais horas jogadas no Game Pass.

A Bungie foi da Microsoft entre 2000 e 2007, período em que Halo fez sucesso como exclusivo do Xbox. Em 2022, após 15 anos independente, ela foi comprada pela Sony, grande rival da empresa de Redmond.

De todas as mencionadas, a Zynga foi a que chegou mais perto de ser comprada pela Microsoft. As empresas chegaram a negociar, mas a empresa do Xbox preferiu investir na Activision Blizzard. Já a Zynga foi comprada pela Take-Two, desenvolvedora da série GTA.

Não se sabe se a Microsoft chegou a negociar com outras empresas com foco em dispositivos móveis. Mesmo assim, nas audiências até aqui, Phil Spencer garante que a Microsoft dá o mercado de consoles por perdido e quer crescer nos games para smartphones.

Com informações: The Verge

Receba mais sobre Microsoft na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Relacionados