Microsoft vence processo que tentava impedir compra da Activision

Justiça da Califórnia nega pedido de liminar do FTC para suspender compra da Activision Blizzard pela Microsoft; aquisição segue bloqueada no Reino Unido

Giovanni Santa Rosa
Por
Xbox Series X + Series S
Xbox Series X + Series S (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

A Justiça da Califórnia (EUA) negou um pedido de liminar da Comissão Federal de Comércio dos EUA (FTC, na sigla em inglês) para suspender a compra da Activision Blizzard pela Microsoft. Com isso, a empresa pode prosseguir com a aquisição no país. A FTC ainda tem um processo administrativo contra o negócio, e o caso segue em disputa no Reino Unido.

A juíza Jacqueline Scott Corley decidiu a favor da Microsoft após cinco dias de audiência. Ela considerou que a empresa se comprometeu a disponibilizar Call of Duty no PlayStation por mais dez anos, nas mesmas condições que no Xbox, além de ter feito um acordo com a Nintendo para levar a franquia ao Switch.

Outra garantia é de disponibilizar os conteúdos da Activision em vários serviços de cloud gaming.

A FTC ainda pode apelar no tribunal até o dia 14 de julho. Com a vitória no tribunal, a Microsoft pode fechar o acordo antes do prazo de 18 de julho, estipulado no contrato entre as partes.

Autoridades ainda têm chances de impedir compra

A Microsoft vai ter que dar um jeito de resolver o bloqueio no Reino Unido. A Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA, na sigla em inglês) suspendeu a proposta de aquisição em abril. O órgão considera que a compra colocará a Microsoft em uma posição injusta de vantagem no mercado de cloud gaming.

A Microsoft apelou, mas as audiências só começariam em 28 de julho. A empresa e o órgão entraram em um acordo, anunciado também nesta terça-feira (11): a Microsoft pausa seu recurso e passa a negociar com a autoridade. Assim, os dois lados podem modificar a transação para resolver os problemas identificados pela CMA.

A FTC ainda tem um processo administrativo contra a compra da Activision Blizzard pela Microsoft. A comissão, porém, considera que vai ser difícil reverter o negócio caso ele seja consumado — até por isso tentou uma medida preliminar para bloquear a aquisição.

Com informações: The Verge, CNBC

Atualizado às 17h11 com as negociações entre a Microsoft e a CMA

Receba mais sobre Microsoft na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados