Microsoft quer lançar ferramenta de voz para quem tem problemas na fala

Durante evento sobre acessibilidade, Microsoft revelou ferramenta que permitirá que usuários com problemas na fala usem voz personalizada para se comunicarem

Felipe Freitas
Por
Logotipo da Microsoft
Microsoft confirmou recurso Speak For Me, que usa IA para gerar voz para pessoas com problemas na fala (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A Microsoft anunciou nesta quinta-feira (7), durante o Microsoft Ability Summit, evento sobre tecnologia e acessibilidade, a Speak For Me, ferramenta de voz que usa IA para falar pelo usuário. O recurso já era cotado desde fevereiro, quando um leaker o encontrou em uma build do programa Windows Insider, em que os usuários podem testar os betas do sistema operacional.

Durante o evento, a Microsoft revelou que o seu plano é lançar a ferramenta ainda neste ano. O mais provável é que a big tech queira disponibilizar o Speak For Me na atualização 24H2, o próximo grande update do Windows 11, previsto para chegar no segundo semestre desse ano. A Microsoft apresentou ainda melhorias nos recursos de descrição visual e políticas de fomento à participação de pessoas com deficiências no desenvolvimento de IAs.

Speak For Me é um “deep fake” do bem

O funcionamento do Speak For Me é bem simples: ele utiliza inteligência artificial (um dos maiores investimento da Microsoft na atualidade) para gerar uma voz para o usuário. O público-alvo desse recurso são as pessoas com problemas na fala, seja algum tipo de surdez, mudez ou alguma lesão que prejudicou a habilidade de comunicação.

Inteligência artificial
Inteligência artificial da Microsoft permitirá que usuários customizem vozes (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Por exemplo, mudez é a ausência total de voz, mas um paciente que realizou traqueostomia (caso do ator Val Kilmer) pode ficar com a fala altamente prejudicada, ainda que utilize uma laringe eletrônica — equipamento que “traduz” as vibrações da fala para amplificar o que é dito.

A comparação com um deep fake merece aspas porque, até onde sabemos, ela não simulará o movimento da boca do usuário. Ainda assim, com os grandes passos dessas tecnologias, vide a ferramenta da Nvidia para apontar seus olhos sempre para a câmera, não é loucura imaginar que o Speak For Me — ou outra ferramenta — utilize as técnicas de deep fake para simular a movimentação da boca de uma pessoa com fala debilitada.

O desenvolvimento do Speak For Me conta com participação da Team Gleason, associação sem fins lucrativos criada pelo ex-jogador da NFL Steve Gleason, diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica (ELA), a mesma doença de Stephen Hawking, que afeta a fala de seus portadores.

Com informações: Engadget

Relacionados