Navegador Opera lança sua versão com inteligência artificial nativa e volta a agrupar abas

Opera One substitui navegador principal da empresa e é 100ª versão do programa; Opera One com IA generativa está disponível para macOS, Windows e Linux

Felipe Freitas
Por
Opera One traz inteligência artificial integrada e retorna recurso de agrupar abas (Imagem: Divulgação/Opera)
Opera One traz inteligência artificial integrada e retorna recurso de agrupar abas (Imagem: Divulgação/Opera)

O Opera lançou nesta terça-feira (20) o seu novo navegador Opera One. A 100ª versão do navegador possui como grandes novidades uma inteligência artificial nativa e o retorno do agrupamento de abas. Batizada de Aria pela empresa, a IA é baseada na tecnologia GPT — a mesma utilizada pelo ChatGPT.

Segundo o Opera, o One é o primeiro navegador com inteligência artificial integrada. Para acessar os recursos da IA, o usuário pode digitar uma linha de comando no programa ou utilizar o atalho na barra lateral do navegador — um ferramenta conhecida por quem utiliza regularmente o programa da empresa norueguesa.

Aria promete resultados ao vivo para a sua busca

De acordo com a criadora do navegador, a Aria será capaz de entregar “resultados ao vivo da web” para o usuário. Quem sabe a IA generativa do Opera resolva o problema de “confusão temporal” do Bing Chat — a IA da Microsoft não identifica o dia presente e entrega resultados errados quando você pede agenda de eventos, como a próxima partida do seu time de futebol.

Apesar de estar utilizar a API da OpenAI, criadora do ChatGPT, a empresa norueguesa também aplicou sua própria tecnologia na sua inteligência artificial. Além de buscar informações na internet, a Aria atua como uma assistente, sendo capaz de ajudar o usuário fornecendo suporte ao uso do navegador. Para usar a Aria é necessário ter conta no Opera.

Aria poderá ser ativada por atalho no teclado ou por botão na barra lateral (Imagem: Divulgação/Opera)
Aria poderá ser ativada por atalho no teclado ou por botão na barra lateral (Imagem: Divulgação/Opera)

Para abrir a inteligência artificial, o usuário pode usar o atalho “Ctrl” + “/” no Windows ou “cmd” + / no Mac (sem digitar o sinal de mais). Usando esse comando, a Aria será aberta em sobreposição no navegador. Quem (assim como eu) usa o Opera, já está vendo a opção de usar prompts ao selecionar algum texto. Quem não quiser usar a Aria, pode acessar o ChatGPT pelo novo botão de atalho na barra lateral — igual acontece com o WhatsApp e Messenger.

Tab Islands é novo nome para velho recurso: agrupar abas

Não sei porquê agrupar abas se foi, tantas saudades eu senti (Imagem: Divulgação/Opera)
Não sei porquê agrupar abas se foi, tantas saudades eu senti (Imagem: Divulgação/Opera)

E para a alegria de quem é “old school” no uso do Opera, a função de agrupar abas retornou. O Opera One batizou essa nova e velha função de “Tab Islands”. Presente no Chrome e no Edge, o Opera contava com esse recurso nos anos 2000 — lembro que me encantei por ela lá em 2008.

Porém, a empresa descontinuou essa função por volta de 2014. Só em 2020 que o Opera voltou a ter um recurso para organizar abas, o Contexto. Só que ele não agrupa abas tal qual o Chrome e o Edge, apenas cria uma outra “área de trabalho” no navegador. Assim, você pode deixar um Contexto para o trabalho e outra para lazer, por exemplo. Mas nada de agrupar abas.

Relacionados