ChatGPT: OpenAI permite criar versão personalizada do chatbot

Assinantes do ChatGPT poderão customizar modelos de linguagem, mesmo sem saber programar, e ganhar dinheiro com suas criações

Giovanni Santa Rosa
Por
ChatGPT
ChatGPT, da OpenAI (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A OpenAI anunciou nesta segunda-feira (6) que desenvolvedores poderão criar suas próprias versões do ChatGPT, sem precisar usar ferramentas de código. A empresa vai criar uma loja para que os criadores compartilhem seus modelos de linguagem com outros usuários e ganhem dinheiro com isso.

Segundo a empresa, estes “agentes de inteligência artificial” serão chamados GPTs, e a loja receberá o nome de GPT Store. Os GPTs estarão disponíveis para assinantes do ChatGPT Plus (que custa US$ 20 mensais) e clientes do plano empresarial. No segundo caso, os consumidores poderão criar GPTs para uso interno. Já a loja chega no mês que vem.

Configuração sem código

A ferramenta é uma evolução da ferramenta de instruções predefinidas, liberada pela OpenAI em julho de 2023. Com ela, usuários do ChatGPT Plus conseguem configurar instruções padrão. Assim, não é mais necessário repetir algumas preferências na hora de fazer pedidos ao chatbot.

“Muitos usuários avançados mantêm listas cuidadosamente construídas de pedidos e instruções, copiando-as manualmente para o ChatGPT. Os GPTs podem fazer tudo isso agora”, diz a OpenAI em um texto publicado no seu blog.

A reportagem do site The Verge testou os GPTs customizados. Um deles recebia arquivos PDF e dava dicas de como melhorar o texto enviado, sem que o usuário pedisse. Outro ajudava os participantes do DevDay, evento da OpenAI realizado nesta segunda (6).

Os GPTs podem ser configurados de várias formas. Dá para predefinir o tom que eles vão usar nas conversas e qual será a primeira pergunta feita por ele, por exemplo. Isso tudo pode ser feito por meio de uma interface simples, sem precisar mexer em códigos.

OpenAI vai criar loja de GPTs

Os GPTs têm acesso a ferramentas próprias da OpenAI, como navegação na web, Dall-E e interpretação de códigos, e serviços externos, como Canva e Zapier. Outra possibilidade é usar dados customizados — a plataforma permite o upload de informações próprias.

Os modelos poderão ser compartilhados e vendidos na GPT Store, que deve chegar mês que vem. Até agora, não há muitos detalhes sobre como ela deve funcionar, mas a OpenAI garante que os criadores não poderão ver as conversas envolvendo seus GPTs.

Com informações: OpenAI e The Verge

Relacionados