OpenAI libera ferramenta de instruções predefinidas para respostas do ChatGPT

Funcionalidade está em beta no ChatGPT Plus e permite que usuários definam como a IA deve responder as suas perguntas; versão final deve ser liberada para todos em breve

Felipe Freitas
Por
ChatGPT
ChatGPT deve dar respostas mais objetivas com nova funcionalidade (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A OpenAI anunciou na última quinta-feira (20) a ferramenta de instruções padrões para o ChatGPT. Ainda em fase beta e disponível apenas para os assinantes do ChatGPT Plus, o recurso deve facilitar o uso da IA, permitindo que os usuários criem uma “estrutura” para que a inteligência artificial responda um comando de modo específico. A OpenAI espera lançar o recurso definitivamente e para todos os usuários nas próximas semanas.

O exemplo dado pela OpenAI e que também usaremos aqui é o seguinte: um professor da terceira série registrará na sua conta a sua profissão, permitindo que ele não repita que é um professor toda vez que enviar um prompt para o ChatGPT.

Além disso, o usuário pode definir como deseja receber a resposta. Por exemplo, o professor imaginário citado anteriormente pode preferir uma tabela com coluna de lado positivo e negativo de um determinado assunto que será apresentado em sala.

Em outra situação, a OpenAI mostra que um programador pode pedir que a resposta do ChatGPT seja direta, sem explicação sobre como funciona o código e que ele busque pela solução mais eficiente. E neste caso, o programador ainda pode adicionar com qual linguagem ele trabalha. Assim, não precisa escrever “escreva um código em Python” ou “escreva um código GoLang”.

Com instruções predefinidas para responder na linguagem GoLang, ChatGPT entrega código sem precisar que o usuário definida a linguagem (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)
Com instruções predefinidas para responder na linguagem GoLang, ChatGPT entrega código sem precisar que o usuário definida a linguagem (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Novidade da OpenAI é bem invasiva e a empresa “sabe disso”

Informar a sua profissão ou o tamanho da sua família e onde você mora (esse é um dos exemplos no site da OpenAI) é bem invasivo do ponto de vista de privacidade. Ciente disso, a OpenAI permite que o usuário desative o uso das informações das instruções padrões para melhorar o desempenho do ChatGPT.

A empresa afirma que os dados pessoais que facilitem a identificação de alguém são removidos quando usado para treinar a IA. Todavia, o problema é se acontecer um vazamento, como já sofreu a OpenAI duas vezes: uma por erro próprio e a outra na qual ela jogou a culpa nos usuários.

Com informações: OpenAI

Relacionados