TikTok pode começar a cobrar assinatura em alguns conteúdos

Paywall começaria com US$ 1 por mês, mas poderia ficar mais caro; novo programa de fundos para criadores também pode chegar aos EUA

Ricardo Syozi
Por
• Atualizado há 6 meses
Logotipo do TikTok
TikTok (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A experiência para os produtores de conteúdo e seus seguidores no TikTok pode estar perto de mudar. Segundo informações, a plataforma está trabalhando em novas maneiras de expandir sua audiência ao mesmo tempo em que segura usuários mais antigos. Uma das novidades seria a adição de paywall, que daria a opção para quem cria vídeos de cobrar uma taxa de seus fãs.

Os valores começariam a US$ 1, mas poderiam aumentar conforme a vontade do criador de conteúdo. Assim, os inscritos precisariam pagar essa “mensalidade” para continuar conferindo os vídeos, fotos e participar de enquetes, por exemplo.

É claro que essa mudança seria opcional, como relatado pelo The Information. Pensando nisso, é possível que apenas uma parte do catálogo do perfil se torne paga, enquanto a outra se manteria aberta para qualquer seguidor.

Vale lembrar que plataformas como o Instagram e o YouTube já oferecem alternativas similares, trazendo conteúdo exclusivo para quem abre a carteira mensalmente nos sistemas de membros e assinantes.

App do TikTok (Imagem: Cottonbro/Pexels)
App do TikTok (Imagem: Cottonbro/Pexels)

Novo modelo de fundos também pode chegar

Ainda segundo o relato do The Information, a marca chinesa está planejando uma versão aprimorada de seu sistema de fundos para produtores dos Estados Unidos.

Na original, o TikTok separava US$ 1 bilhão a cada três anos para pagar os criadores dos vídeos mais populares. Algo como “eu pago tudo no montão do fim do ano”. Contudo, após diversas críticas sobre a limitação do programa, a empresa chinesa pode estar revendo essa empreitada.

O novo modelo de fundos pagaria mais para cada perfil com produções de sucesso. De acordo com as informações, as lideranças da plataforma estaria considerando em oferecer ganhos maiores, mas também aumentaria os requisitos para a pessoa participar do sistema. Ou seja, ter 100 mil seguidores não seria mais o suficiente para garantir a grana.

Além disso, o TikTok pode dar prioridade para quem produz vídeos mais longos.

Não podemos esquecer que o Brasil e a França já têm um programa de fundos muito similar ao que pode ser implementado nos EUA. Essa seria mais uma tentativa de manter seus usuários mais antigos, prestigiando o tempo que essas pessoas investiram na criação de conteúdo.

TikTok ainda é um dos que melhor paga

Em outubro de 2022, uma pesquisa feita pelo Digiday apontou que a plataforma chinesa era uma das mais interessantes para quem quer fazer dinheiro enquanto grava vídeos.

O TikTok fica com 50% da receita das propagandas, enquanto distribui a outra metade para os usuários verificados (aqueles com mais de 100 mil seguidores). Para efeito de comparação, o Instagram ficava com 55%, mas já interrompeu esse modelo de receita.

Já o YouTube Shorts começou a dividir o dinheiro dos anúncios em fevereiro de 2023. Entretanto, ele repassa 45% aos donos dos canais.

Mesmo com o formato curto se tornando cada vez mais popular, ainda falta muito para que os criadores fiquem amplamente satisfeitos com o retorno financeiro de seus trabalhos.

Com informações: The Verge.

Relacionados