Como instalar o Chrome OS Flex

Saiba como instalar o Chrome OS Flex; novo sistema operacional do Google é gratuito e pode levar modernidade a computadores antigos

Wagner Pedro
Por

O Chrome OS Flex consegue dar uma sobrevida a computadores antigos. O software, baseado em Linux, pode ser instalado gratuitamente em PCs com Windows e Mac, sendo uma alternativa interessante na hora de modernizar dispositivos com hardware básico, evitando que sejam descantados e reduzindo a quantidade de lixo eletrônico. Abaixo, vou te mostrar como instalar esse sistema operacional em poucos minutos.

Chromebook (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)
Chromebook (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

Requisitos mínimos

  • Processador Intel ou AMD (64 bits);
  • 4 GB de RAM;
  • 16 GB de armazenamento interno;
  • Acesso às configurações da BIOS;
  • Ter um pendrive com 8 GB ou mais;
  • Acesso a um computador com Chrome OS, macOS ou Windows para criar um pendrive bootável.

Como instalar o Chrome OS Flex

Time needed: 50 minutes.

No momento, o Chrome OS Flex encontra-se em fase de testes. Isso significa que ele pode apresentar bugs e instalabilidades durante o uso — a instalação é por sua conta e risco.

Antes de iniciar o procedimento, verifique à lista de computadores certificados para saber se o sistema funcionará adequadamente ou não. Caso seu PC não tenha sido listado, não se preocupe, a instalação ainda pode ser feita normalmente.

Acompanhe as instruções abaixo para saber como instalar o Chrome OS Flex:

  1. Instale a extensão do Chromebook:

    Acesse a Chrome Web Store e instale a extensão “Utilitário de recuperação do Chromebook” — basta clicar em “Usar no Chrome” e depois em “Adicionar extensão”;

  2. Inicie a extensão:

    Clique em “Extensões” (ícone de quebra-cabeça) no canto superior direito e depois em “Utilitário de recuperação do Chromebook”;

  3. Comece o procedimento:

    Quando a extensão abrir, clique em “Primeiros passos” para continuar;

  4. Selecione um modelo:

    Clique em “Selecionar um modelo na lista”. Feito isso, na opção da fabricante, escolha “Google Chrome OS Flex”. Abaixo, na opção de produto, selecione “Chrome OS Flex (Developer-Unstable)” e clique em “Continuar”;

  5. Insira o pendrive:

    Após inserir o pendrive em uma porta UBS do computador, selecione-o no menu suspenso e clique em “Continuar”;

  6. Crie a imagem de recuperação:

    A extensão vai alertar que todos os dados e partições do pendrive serão excluídos. Clique em “Criar agora” para inserir o software no dispositivo de armazenamento — esse processo pode demorar de 20 a 40 minutos.

  7. Entre na BIOS do computador:

    Assim que o utilitário informar que a mídia de recuperação está pronta, desligue o computador e insira o pendrive. Em seguida, ligue o PC e pressione repetidamente as teclas F1, F2, F9, F12, Delete ou Esc para acessar a BIOS — no Mac é a tecla Option. Tela de inicialização do sistema

  8. Configure a inicialização do sistema:

    Dentro da BIOS, use as setas do teclado para acessar à aba “Boot”. O sistema vai mostrar uma ordem de inicialização que pode variar dependendo do seu dispositivo. Coloque o pendrive como prioridade da lista;

  9. Salve as alterações e reinicie o PC:

    Na aba “Exit”, selecione a opção “Exit Saving Changes” para sair e iniciar o boot a partir do pendrive;Tela de inicialização do sistema

  10. Inicie a instalação:

    Quando a tela de instalação carregar, clique em “Get started”;

  11. Continue a instalação:

    Clique na opção “Install CloudReady 2.0” para continuar com a instalação — caso queira, é possível testar o sistema clicando em “Try it frist”;

  12. Conclua a instalação:

    Clique em “Install CloudReady 2.0” no canto inferior direito para instalar o Chrome OS Flex — essa etapa vai apagar todo o disco rígido, então aconselho que faça um backup antes de confirmar.

Quais funções não estão disponíveis no Chrome OS Flex?

Por enquanto, as seguintes funcionalidades não têm suporte ou não foram testadas no Chrome OS Flex: leitores de CD e DVD; leitores de impressão digital; portas FireWire; câmeras infravermelhas (IR) e de reconhecimento facial; conectores e docks proprietários; canetas stylus e funcionalidade Thunderbolt.

Wagner Pedro

Ex-autor

Wagner Pedro é um paraibano “arretado” apaixonado por smartphones e cobre tecnologia desde 2017. Autodidata desde a época dos PCs de tubo, internet discada e Windows XP, buscou conhecimento em pequenos cursos de Informática e uniu essa paixão ao jornalismo. Ainda sente falta do extinto Windows Phone.

Relacionados

Relacionados