Google recomenda o ChromeOS Flex se o Windows 11 não rodar no seu PC

Com kernel Linux e interface simples, ChromeOS Flex foi lembrado pelo Google como uma alternativa aos Windows 10 e 11

Emerson Alecrim
Por
Tela inicial do ChromeOS Flex (imagem: reprodução/Google)
Tela inicial do ChromeOS Flex (imagem: reprodução/Google)

Há sinais de que o Windows 11 24H2 tornará mais difícil a sua instalação em computadores antigos. Coincidência ou não, o Google veio a público lembrar que o ChromeOS Flex é uma alternativa para quem não quer ficar preso ao Windows 10, sistema operacional que, aliás, só será suportado pela Microsoft até 2025.

O que é o ChromeOS Flex?

O ChromeOS Flex é um sistema operacional lançado pelo Google em 2022. Ele é baseado no kernel Linux e tende a ser mais leve que o Windows e o macOS. Some esses fatores ao fato de esse ser um software gratuito e temos então um sistema operacional adequado a computadores antigos ou com hardware modesto.

A versão Flex é a solução que o Google encontrou para levar o ChromeOS para além dos Chromebooks, embora ambos os sistemas não sejam iguais. O ChromeOS roda aplicativos do Android, coisa que a versão Flex não faz.

Tanto o ChromeOS “normal” quanto a versão Flex são cloud-based, isto é, têm seus recursos principais integrados às nuvens, mais precisamente, às ferramentas do Google, a exemplo do Gmail, YouTube, Docs, Meet e, claro, o navegador Chrome.

Por que o ChromeOS Flex voltou a ser assunto?

O Google publicou uma lista de 11 razões para uma empresa adotar o ChromeOS Flex. O texto foi publicado dias depois de um entusiasta ter descoberto que o Windows 11 24H2 poderá exigir uma instrução que não existe em processadores fabricados antes de 2006 (AMD) ou 2008 (Intel), tornado essa atualização incompatível com máquinas antigas.

Parece ser só coincidência. Mas, também nesta semana, o Neowin afirma ter sido procurado pelo Google, que ressaltou que os usuários que não puderem instalar o Windows 11 em um computador antigo têm o ChromeOS Flex como alternativa.

É bom que haja opções. A solução mais óbvia para computadores não compatíveis com o Windows 11 é permanecer com a versão anterior do sistema operacional. Porém, o Windows 10 deixará de receber suporte da Microsoft em outubro de 2025.

Nesse sentido, o Google menciona uma previsão da empresa de pesquisa Canalys de que, sem o Windows 10, 240 milhões de PCs poderão ir para o lixo, a não ser que seus proprietários aceitem ficar com um software desatualizado ou instalem outro sistema operacional, como uma distribuição Linux ou o próprio ChromeOS Flex.

Tela de login do ChromeOS Flex (imagem: reprodução/Google)
Tela de login do ChromeOS Flex (imagem: reprodução/Google)

Mas o ChromeOS Flex vale a pena?

Depende das expectativas e necessidades de cada um. Quem usa prioritariamente serviços web pode se dar bem com o ChromeOS Flex. Quem depende de softwares só disponíveis para Windows provavelmente terá dificuldades.

De todo modo, a postagem do Google sobre o ChromeOS Flex cita as suas vantagens. Elas dizem respeito ao ambiente corporativo, mas muitas valem para o uso doméstico, como estas:

  • Segurança: o ChromeOS Flex é atualizado constantemente e tem mecanismos de proteção, como criptografia e sandbox;
  • Fácil de usar: o Google dá a entender que qualquer pessoa familiarizada com o navegador Chrome terá facilidade de usar o ChromeOS Flex;
  • Eficiência energética: o Google afirma que o ChromeOS Flex demanda até 19% menos energia do que outros sistemas operacionais.

Se você quiser testar, saiba como instalar o ChromeOS Flex.

Receba mais sobre Google na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Canal Exclusivo

Relacionados