O que é e como funciona o inDriver

Se fazendo presente no Brasil, este aplicativo de viagens promete oferecer um diferencial; saiba mais sobre o que é o inDriver

Ricardo Syozi
Por

Funcionando como um aplicativo de viagens similar a outras opções populares, o inDriver tem como seu maior diferencial a ideia de que o passageiro é quem define o valor da corrida. Isso pode parecer maluco, mas há regras que devem ser seguidas na hora de solicitar e aceitar uma nova viagem. Para entender melhor como a plataforma funciona, confira logo abaixo.

inDriver
O aplicativo está disponível para Android e iOS (Imagem: Ricardo Syozi / Tecnoblog)

O inDriver é um serviço de viagens via aplicativo para dispositivos móveis. O cliente escolhe o seu ponto de partida e o de destino, enquanto o motorista se oferece para levá-lo ao seu objetivo. Muitas de suas mecânicas funcionam de forma similar a alternativas como a Uber e o 99.

Porém, seu maior diferencial é que o próprio passageiro é quem oferece o preço pela corrida.

Como funcionam as viagens pelo inDriver?

Abaixo você confere com mais detalhes sobre como a plataforma atua tanto para quem pede a viagem quanto para quem a realiza, incluindo taxas e dados pessoais.

Para o passageiro

Após fazer um cadastro simples que exige apenas nome completo, CPF e número de telefone, o usuário pode abrir o app e adicionar o destino da corrida. Após isso, deve escolher que tipo de trabalho deseja entre as opções abaixo:

  • Viagem: considerado o tipo padrão, permite viagens com qualquer veículo e motorista da plataforma;
  • Comfort: oferece veículos mais confortáveis e os motoristas mais bem avaliados do app, tudo isso por um pequeno aumento na tarifa;
  • Interurbano: permite que o usuário combine uma viagem para outra cidade com data e local de saída e número de passageiros predeterminado;
  • Entregador: um delivery de itens de até 20 kg;
  • Frete: envio de cargas maiores e mais pesadas.

Depois de definir o ponto de partida e o destino, a pessoa deve sugerir um valor da tarifa que, segundo a empresa, precisa ser “razoável”. O próprio aplicativo apresenta recomendações de preços, sempre considerando o custo médio da viagem desejada. Porém, cabe ao usuário bater o martelo.

A partir daí, é necessário aguardar alguém que aceite a oferta para realizar a viagem.

Para o motorista

Já para quem vai estar atrás do volante, é preciso fazer um cadastro online mais minucioso, que inclui dados como CPF, CNH, certidão de antecedentes criminais, informações sobre o veículo, etc. Só com tudo conferido é que ele pode ser aceito para começar as jornadas com a inDriver.

É necessário escolher qual tipo de trabalho será realizado dentro de duas opções:

  • Motorista;
  • Entregador.

A partir daí, a pessoa poderá procurar por corridas e escolher a que quer fazer. Como o passageiro sugere um valor, o motorista tem a opção de aceitar ou de fazer uma contraproposta.

Como o inDriver, assim como a Uber, funciona com um sistema de avaliações de ambas as partes, os motoristas mais bem avaliados têm prioridade em viagens sobre outros. A empresa afirma que sua taxa não passa de 9,5% do valor da corrida, a mais baixa dentre os apps da categoria.

Pode ser interessante dirigir pela plataforma (Imagem: Unsplash / Dan Gold)
Pode ser interessante dirigir pela plataforma (Imagem: Unsplash / Dan Gold)

Disponibilidade e formas de pagamento do inDriver

A plataforma é relativamente nova no Brasil (desde 2018), sendo assim, ela ainda não faz parte de todo o território nacional. Até o momento da publicação deste artigo, o serviço está disponível nas seguintes cidades:

  • Belo Horizonte (MG);
  • Macapá (AP);
  • Belém (PA);
  • Teresina (PI);
  • Natal (RN);
  • Recife (PE);
  • Caruaru (PE);
  • Aracaju (SE);
  • Curitiba (PR);
  • Londrina (PR);
  • São Paulo (SP);
  • Santos (SP);
  • Sorocaba (SP);
  • São José do Rio Preto (SP);
  • Porto Alegre (RS);
  • Florianópolis (SC);
  • Goiânia (GO);
  • Cuiabá (MT).

Já no quesito formas de pagamento, é bom deixar claro que não há a opção de cadastrar cartão de crédito ou débito. Dessa maneira, há apenas três maneiras para o passageiro pagar pela viagem:

  • Dinheiro;
  • Maquininha de cartão;
  • Pix.

No geral, a plataforma não se distancia muito de suas concorrentes. As viagens funcionam de um jeito muito similar a 99 ou Uber, com preços similares, assim como tempo de viagem. Por outro lado, por ainda não ser muito popular, pode demorar um pouco mais de tempo para encontrar um cliente em sua região.

Você tem interesse em começar a usar a inDriver ou prefere continuar com os serviços que já está acostumado? Será que vale experimentar? Conta pra gente!

Ricardo Syozi

Repórter

Ricardo Syozi é jornalista apaixonado por tecnologia e especializado em games atuais e retrôs. Já escreveu para veículos como Nintendo World, WarpZone, MSN Jogos, Editora Europa e VGDB. Possui ampla experiência na cobertura de eventos, entrevistas, análises e produção de conteúdos no geral. Entrou para o Tecnoblog em 2021.

Relacionados

Relacionados