O que é memória RAM?

É comum achar que, quanto mais memória RAM um dispositivo tiver, melhor será; veja para que serve o recurso e como funciona em um PC ou celular

Melissa Cruz Cossetti
Por

Indispensável em qualquer dispositivo, a memória RAM permite que o processador acesse os dados desejados de forma imediata. Entenda melhor, nas linhas abaixo, o que é memória RAM, como ela funciona e a quantidade necessária em aparelhos.

A memória RAM (Memória de Acesso Aleatório ou Random Access Memory em inglês) permite a leitura e a escrita de arquivos. Ou seja, sua função é possibilitar que o processador tenha acesso imediato aos dados que deseja, contribuindo para uma maior rapidez e capacidade de resposta das solicitações.
Definição de Memória RAM (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

A memória RAM — Memória de Acesso Aleatório ou Random Access Memory, em inglês — permite a leitura e a escrita de arquivos. Ou seja, a sua função é possibilitar que o processador tenha acesso imediato aos dados que deseja, contribuindo para uma maior rapidez e capacidade de resposta das solicitações.

Ao executar um app ou game no seu celular ou PC, por exemplo, ele é carregado na RAM. Enquanto os dados de um aplicativo ainda estiverem na memória, você poderá voltar de onde parou sem ter que carregá-lo novamente.

É por isso que a memória RAM é importante para multitarefas. Os aplicativos carregados ficam lá até que sua RAM fique cheia e precise limpar alguns dados para conseguir abrir espaço para outros.

Ao contrário da memória de armazenamento, ela não guarda o conteúdo de forma permanente, já que é usada para processar os dados que estão sendo usados naquele momento.

A memória de armazenamento interno é responsável por guardar os arquivos (apps, jogos, músicas, documentos e fotos) de forma definitiva em um local dedicado. Por isso, o armazenamento interno sempre será maior que a memória RAM, por padrão.

Há diferenças entre a memória RAM física e virtual (Imagem: Heliberto Arias/Unsplash)
Exemplo de memória RAM (Imagem: Heliberto Arias/Unsplash)

Precisamos de muita memória RAM?

Vishal Kara, chefe de produto da Piriform (fabricante do CCleaner) explica que à medida que realizamos mais tarefas nos smartphones ou computadores, mais memória RAM é necessária para que o dispositivo continue funcionando com a eficiência desejada.

“Os smartphones exigem memória de acesso instantâneo para multitarefa — que é o que a memória RAM oferece. Em resumo, a RAM mantém todas as operações funcionando de uma só vez”, explicou ao Digital Trends.

Em teoria, quanto mais seu smartphone tiver de memória RAM, mais poderá absorver processos e, portanto, mais aplicativos estarão sendo executados ao mesmo tempo.

Porém, há outros fatores envolvidos.

A somatória dos componentes é que vai determinar se o telefone vai ficar engasgando em tarefas que exigem muitos recursos ou não.

Parte 5 (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Para rodar Fortnite no smartphone é necessário 4 GB de memória RAM (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Para jogos, por exemplo, é comum observar os requisitos mínimos de RAM. O problema é acreditar que o mínimo basta e conviver com problemas constantes com a experiência de jogo. Tenha em mente que o mínimo não garante um funcionamento máximo. Garante apenas que funcione.

Lembre-se que o sistema operacional, os apps e jogos abertos, estão consumindo memória. De 4 GB disponíveis, é possível que nem tudo esteja livre.

Ter mais memória RAM nem sempre é uma vantagem

Se ter muita memória RAM só tem a oferecer melhorias em potencial ao desempenho do dispositivo, o que há de errado em ter mais?

1. Consumo de energia

John Poole, da Primate Labs, aponta que, se você não estiver usando, isso poderá prejudicar a bateria. “Quanto mais RAM você colocar no dispositivo, mais energia será consumida e menor será a duração da bateria”.

Os processos em segundo plano também têm um “custo associado”. Aplicativos rodando em segundo plano podem fazer com que o processador funcione para atender a qualquer solicitação e isso contribui para um maior consumo de energia no final das contas.

2. Gerenciamento de memória

A Apple alcança um desempenho comparável com menos memória RAM por causa do iOS, que gerencia a memória RAM de maneira diferente. Enquanto o Android depende de algo chamado “garbage collection lag” (coleta de lixo), o iOS usa uma abordagem “reference counting” (contagem de referência).

O debate sobre isso é geralmente acalorado. Em suma, compreende-se que o sistema de “coleta de lixo” do Android requer mais memória para evitar problemas de desempenho. Aumentar a quantidade de RAM não implica no aumento de desempenho. A medida mais efetiva, talvez, fosse mudar as regras de gerenciamento de memória.

3. Uso do smartphone

Falando de Androids, a quantidade de memória RAM que seu smartphone precisa depende de como você vai usá-lo. Usuários mais exigentes e gamers podem sentir o benefício de ter 6 ou 8 GB nas mãos.

Assim como ficarem mais tranquilos de que esses aparelhos seguirão funcionando bem nos próximos dois anos, já que o ciclo de troca de dispositivos só cresce

Com informações: AppAnnie, DigitalTrends e Android Authority