Início » Negócios » Com equipe montada no Brasil, Xiaomi é avaliada em US$ 45 bilhões

Com equipe montada no Brasil, Xiaomi é avaliada em US$ 45 bilhões

Paulo Higa Por

xiaomi-logotipo-marca

A Xiaomi, maior fabricante de smartphones da China, confirmou nesta segunda-feira (29) que arrecadou US$ 1,1 bilhão em uma rodada de investimentos, o que fez o valor da empresa subir para impressionantes US$ 45 bilhões — uma quantia muito importante para quem valia apenas cerca de US$ 4 bilhões em 2012. A fabricante está se expandindo globalmente e já tem uma equipe de 11 funcionários no Brasil.

anúncio foi feito por Bin Lin, cofundador e vice-presidente da Xiaomi. A quantia arrecadada é “uma afirmação dos resultados positivos da Xiaomi em quatro anos e marca uma nova fase para a companhia”, segundo o executivo. A empresa vem quebrando seguidos recordes: na China, chegou a vender 1,16 milhão de smartphones em um dia, gerando uma receita de US$ 254 milhões.

Redmi Note 4G, o primeiro smartphone da Xiaomi homologado no Brasil

Redmi Note 4G, o primeiro smartphone da Xiaomi homologado no Brasil

No terceiro trimestre do ano, de acordo com o relatório do IDC, a Xiaomi foi a terceira maior fabricante de smartphones do mundo, atrás apenas de Samsung e Apple. Em comparação com o terceiro trimestre de 2013, houve um crescimento de 211,3% nas vendas da Xiaomi, contra um aumento menor de 16,1% da Apple e uma queda de 8,2% da Samsung.

A empresa já deu seus primeiros passos para entrar no Brasil. A Xiaomi do Brasil Tecnologia Ltda foi formalizada em maio, com escritório no bairro da Vila Olímpia, em São Paulo. Há duas semanas, a Anatel homologou o Redmi Note 4G, um aparelho de 5,5 polegadas para competir no segmento de phablets intermediários. Com isso, a Xiaomi está autorizada a comercializar o smartphone no Brasil.

xiaomi-brasil

Na véspera de Natal, Hugo Barra, vice-presidente global da Xiaomi, publicou uma foto com os 11 primeiros funcionários da Xiaomi no país. A lista dos executivos conta com Luiz Fernando de Biazzi, líder de logística (ex-diretor de logística da Apple); Gabriela Viana, líder de marketing e desenvolvimento de negócios (ex-diretora de marketing do Android); e Rogério Marçal, gerente de pós-venda (ex-gerente de assistência ao cliente da Nokia).

Segundo a Xiaomi, o plano é começar a vender smartphones no Brasil ainda na primeira metade de 2015.

Mais sobre:

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Orildo M
sera q eles conserta smartwat xiaomi amazfit?
DaniloeCláudia Salvanhini
fiquem atentos estão tratando os consumidores como lixo...

http://www.reclameaqui.com.br/13703057/xiaomi-do-brasil-tecnologia/propaganda-enganosa/
Kleiton Giebeler
nao vejo a hora de ter um mi4
Fabio Prates
Já deveria ter começado a comercialização desses produtos.
Quero um Phablet e um MI Band. Se demorar estarei muito tentado com um Lumia 640 XL.
Chega de pagar rios de dinheiro por aparelhos TOP.
João Paulo Santos Carvalho
Já têm um cliente fiel. Chega de modinha e smartphone morrendo do nada!
Samsung nunca mais e Nexus então nem se fala... Ainda deixo um pouco de confiança em termos s.o. para o nexus, pois o aparelho recebe update mais que frequente, o que o torna ainda confiável, mas o meu depois de um ano deu falha no touch. Motorola nunca mais, 3 marcas que não quero nem de perto -> LG, Samsung e Motorola. Xiaomi, vem logo POR FAVOR!
hudson martins
O mercado Brasileiro está esquentadíssimo ! Motorola com tudo , Samsung com 1 milhão de aparelhos acessiveis, windows phone crescendo, Asus estreiando bem, Lg com Flashships com bom custo benefício.
Vou deseja-los sorte, por que vão precisar !
Felipe Teodoro
logista da Apple, marketing e desenvolvimento de negócios do android, e pós venda, assistência ao cliente da Nokia, será que essa mistura vai dar certo??? espero que sim.