Talvez você já tenha ouvido falar do WiGig. Se não, talvez não demore a se familiarizar com o nome: muito mais rápida que as redes Wi-Fi atuais, a tecnologia deve começar a chegar ao mercado até o final deste ano. Pelo menos é o que sinalizam empresas como Qualcomm, Intel e Samsung.

Formalmente conhecido como 802.11ad, o WiGig tem este “apelido” em alusão à sua frequência: a tecnologia funciona à taxa de 60 GHz (gigahertz). As redes Wi-Fi que conhecemos hoje trabalham nas chamadas faixas ISM (Industrial, Scientific and Medical) que compreendem, entre outros, intervalos de 902 MHz a 928 MHz e 2,4 GHz a 2,485 GHz.

802.11ad - Qualcomm

Esta enorme diferença é, em essência, a característica que torna o WiGig tão rápido. Estima-se que, em condições laboratoriais, a tecnologia possa transmitir dados à taxa de 7 Gb/s (gigabits por segundo) apenas em um único canal.

Em situações cotidianas, esta velocidade deve cair por causa das frequentes adversidades, mas ainda assim se mantendo em níveis mais expressivos que no 802.11ac, as especificações Wi-Fi mais atuais, cuja velocidade máxima em um canal simples é de 433 Mb/s (megabits por segundo).

A tecnologia tem outras vantagens: é mais eficiente no consumo de energia (as baterias dos nossos gadgets agradecem) e menos suscetível a interferências causadas por outros equipamentos.

Diante de todas estas características, a indústria vislumbra o WiGig sendo utilizado na criação de redes locais capazes de transmitir muito mais dados simultaneamente – requisito para streaming em 4K, por exemplo – como também em substituição aos cabos que usamos para conectar nossos dispositivos.

A Qualcomm é uma das companhias mais engajadas com o padrão. O poderoso SoC Snapdragon 810, um dos lançamentos mais esperados da companhia para o ano, será compatível com o WiGig. Na CES 2015, que aconteceu recentemente, a empresa também apresentou um roteador baseado na tecnologia.

qualcomm-snapdragon

2015 deve mesmo marcar a chegada do 802.11ad ao mercado. Além da Qualcomm, a Intel está se preparando para explorar a tecnologia neste ano, mas focando-se em laptops. Companhias como Samsung e Sony já confirmaram planos de abrir o caminho em relação a dispositivos móveis e outros eletrônicos.

Só não dá para esperar que o WiGig venha para tomar o espaço dos padrões Wi-Fi que usamos hoje. Transmissões em 60 GHz são mais facilmente bloqueadas por paredes e tetos, portanto, funcionam bem apenas em ambientes com poucos obstáculos. Mas, com o aprimoramento da tecnologia nos próximos anos, quem sabe?

Com informações: MIT Technology Review

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tiago Junio
E no meu caso que tenho um noteboo ? Como fica se eu quiser ter WiGig ? Basta apenas comprar uma placa e instalar no meu notebook ? E minha MB vai aceitar esta placa ?
Keaton
Já tem umas duas semanas que é contagem regressiva para dia primeiro de fevereiro. E posso provar: http://www1.folha.uol.com.br/tec/2015/01/1569738-pagina-oficial-do-pirate-bay-inicia-contagem-regressiva-misteriosa.shtml
Bruno Vieira
A contagem regressiva já tem faz um tempinho mesmo.
Maico Andrade
Animei com: "como também em substituição aos cabos que usamos para conectar nossos dispositivos." Mas veio a paulada: "Transmissões em 60 GHz são mais facilmente bloqueadas por paredes e tetos, portanto, funcionam bem apenas em ambientes com poucos obstáculos"
Emerson Alecrim
Eles querem fazer com que a tecnologia se torne mesmo suscetível a bloqueios. Como, não faço a menor ideia. Mas não duvido da capacidade desses caras de encontrar alguma solução sem alterar as leis da física. Não digo para "curar" a frequência de 60 GHz desta limitação, mas para burlar o problema de alguma forma.
Thiago Amelotti Portela
Lendo os comentários, nem parece q a galera aqui segue um blog de tecnologia...
Oswaldo Rodrigues
Só acho que será realmente útil e, de fato, parecer que será, quando os suportes que temos tiverem condição de nos dar primeiramente o que pagamos pra ter! Não adianta ter isso sem ter nem uma internet de 10 mb direito!
tsouzar
"Transmissões em 60 GHz são mais facilmente bloqueadas por paredes e tetos, portanto, funcionam bem apenas em ambientes com poucos obstáculos. Mas, com o aprimoramento da tecnologia nos próximos anos, quem sabe?" Só se alterarem a física é que vão conseguir solucionar o problema de um sinal a 60GHz ser facilmente obstruído.
tsouzar
São aplicações diferentes: 802.11ac trabalha em 5GHz, logo vai se tornar comum em enlaces PTP e PTMP de provedores. 802.11ad trabalha em 60GHz, funciona dentro de um único cômodo e duvido que prospere (dentro de um cômodo pode usar cabo logo).
Eliezer
Não faz tempo ....ele tava com uma contagem pra frente agora tá reversiva...
Keaton
faz tempo isso. Mas acredito que vai saltar um pegadinha do malandro quando a contagem acabar.
Eliezer
[Off] O The Pitate Bay, esta mostrando uma contagem regressiva, sera que ele volta em 14 dias. .http://thepiratebay.se/
Silvio Chagas

Exato; a maioria só usa o Wireless do provedor de internet com 1 a 4 dispositivos próximos e que não demandam conexão rápida; Wireless N é mais que suficiente.

silvioricardo
Exato; a maioria só usa o Wireless do provedor de internet com 1 a 4 dispositivos próximos e que não demandam conexão rápida; Wireless N é mais que suficiente.
Silvio Chagas

Em meu apartamento já usei vários roteadores, repetidores de diversas marcas até enfim com o Apple AirPort Extreme consegui velocidades suficientes pra streaming local direto por NAS - é preciso de 20 a 30 Mbits constantes para não sofrer engasgos (arquivos em 1080p em média 15GB);

Ainda assim a quantidade de dispositivos atrapalha o fluxo e a conexão no quarto estava muito instável, então optei por fazer a conexão entre o AirPort repetidor e o switch principal via rede elétrica utilizando PowerLine de 600 Mbits da DLink e passei todos os dispositivos fixos para conexão cabeada (tv, videogame, home, etc); pronto, todos os problemas resolvidos, principalmente a perda de pacotes por conta do sinal instável e dos repetidores que acabam um interferindo no outro;

Enfim; conexão cabeada ainda é a melhor solução quando possível adota-lá, principalmente se tiver muitos obstáculos, dispositivos ou precisar de um fluxo muito grande de dados;

O Wireless 802.11ac já alterou pelo menos 50% desse cenário, mas ainda são poucos dispositivos que suportam.

Exibir mais comentários