No início de 2013, integrantes da Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC, na sigla em inglês) decidiram encerrar a investigação antitruste que o Google vinha sofrendo depois que a companhia se comprometeu a adotar práticas mais saudáveis para o mercado. Mas um relatório “vazado” recentemente indica que o caminho seguido não deveria ter sido esse.

Com 160 páginas, o documento é sigiloso, mas aparentemente foi disponibilizado por engano pela FTC, embora de maneira incompleta. O Wall Street Journal teve acesso ao relatório e contatou a entidade para solicitar as páginas faltantes.

O pedido foi negado, mas as partes disponíveis permitiram ao jornal extrair conclusões importantes. A principal delas é a de que o Google tinha, pelo menos na época investigada, mais domínio do mercado norte-americano de buscas do que se pensava.

A equipe técnica que analisou o caso e elaborou o documento concluiu que a companhia usou mesmo táticas anticompetitivas, prejudicando usuários e concorrentes. O Google teria favorecido seus serviços nos resultados de buscas e piorado o posicionamento de links de empresas que oferecerem comparação de preços, por exemplo.

Google

Diante das evidências, a equipe técnica recomendou aos comissários a abertura de ações judiciais contra o Google. O Wall Street Journal destaca que não é comum os comissários ignorarem essas recomendações, mas foi exatamente isso o que aconteceu.

É verdade que os comissários também receberam indicações de departamentos da FTC contrários a medidas mais duras contra o Google. O que fez a entidade acabar não acatando a recomendação dos técnicos não ficou claro, no entanto.

Mas há um detalhe curioso nesse ponto: uma ação antitruste teria colocado o governo de Barack Obama contra um de seus maiores aliados – o Google foi a segunda corporação que mais contribuiu com a campanha eleitoral do presidente.

O vazamento do relatório não deve levar à reabertura do caso pela FTC, mas pode ajudar companhias que têm se queixado de práticas supostamente monopolistas do Google, como é o caso do Yelp. O documento também pode favorecer a averiguação antitruste contra o Google que a Comissão Europeia vem promovendo.

Investigações do tipo frequentemente são complexas e demoradas, mas essa história toda há tempos nos dá uma impressão eminente: a de que o Google abandonou mesmo o lema “don’t be evil“.

Atualização em 27/03/2015 às 18:00: a FTC liberou uma nota afirmando que as informações acessadas pelo Wall Street Journal são apenas uma fração do documento. Após extensa análise de todo o material, os comissários concordaram que não havia base legal para uma ação focada na investigação. Em outras palavras, a entidade concluiu que o Google não realizou práticas comprovadamente anticompetitivas. A FTC declarou ainda que o Google tem respondido satisfatoriamente ao compromisso de adotar medidas que não o privilegiam no mercado.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

René Ribeiro
vc que pensa, Kazz. Bloqueia sim. Leia o excelente livro "Busque e destrua", que fala sobre todas as ações que o Google tomou processo nos EUA.
René Ribeiro
Perfeito, @paulohiga:disqus! O Buscapé também sofre com o mesmo problema aqui no Brasil.
Camila Pretezkc Marcondes
www.comproiphone.com.br
Guilherme Alexandre
Já que o Google agora está ficando muito mal e Micro$oft agora é MicroS2oft, seria melhor usar o Bing?
Lucas Carvalho
A questão é de caso a caso e opinião. Alguns acreditam que existe uma mão invisível que resolveria isso (na verdade o problema se resolveria por si só), já que uma empresa, mesmo dominante como Windows, por exemplo, perderia mercado se obrigasse você a usar o Internet Explorer. Ou seja, na teoria o governo não "precisaria" impedir Microsoft de fazer isso já que tal medida seria prejudicial pra ela mesma, mas na prática talvez valha a pena (provavelmente, eu acho). Mas a questão é elaborar estudos e verificar na PRÁTICA se vale a pena o governo se meter na relação empresa x consumidor. É claro que o perfeito seria se o mercado se ajustasse sozinho, mas isso necessitaria de clientes conscientes e/ou empresas preocupadas com o ambiente comercial. Talvez se intrometer seja o correto, mas não deixa de ser estranho.
NickyNOS

Então, o problema é que esse supermercado não domina.

Se a MS decide "desincentivar" outros navegadores, ela consegue. Duvido que alguém mude de sistema operacional apenas por causa do navegador. Com isso fará ela ter o monopólio de outro sistema, o de navegadores. Com isso ela resolve deixar apenas o Bing como padrão do navegador e de buscas. Por praticidade muita gente vai usar, fazendo ela dominar outro mercado.

Entendeu o problema? Ela, como dominante de um mercado, conseguiu dominar outros 2 usando esse primeiro monopólio, prejudicando a livre concorrência, o consumidor e outras empresas.

Os mercados que você citou tem concorrência. Se eles tentarem impor um produto o público não vai aceitar e tem outras opções.

Navegadores no celular também considero algo estranho, pois na Europa a MS foi obrigada a colocar uma opção ao iniciar o windows para o usuário escolher qual navegador queria, ao invés de deixar o IE já instalado.

Nicholas Oliveira Silva
Então, o problema é que esse supermercado não domina. Se a MS decide "desincentivar" outros navegadores, ela consegue. Duvido que alguém mude de sistema operacional apenas por causa do navegador. Com isso fará ela ter o monopólio de outro sistema, o de navegadores. Com isso ela resolve deixar apenas o Bing como padrão do navegador e de buscas. Por praticidade muita gente vai usar, fazendo ela dominar outro mercado. Entendeu o problema? Ela, como dominante de um mercado, conseguiu dominar outros 2 usando esse primeiro monopólio, prejudicando a livre concorrência, o consumidor e outras empresas. Os mercados que você citou tem concorrência. Se eles tentarem impor um produto o público não vai aceitar e tem outras opções. Navegadores no celular também considero algo estranho, pois na Europa a MS foi obrigada a colocar uma opção ao iniciar o windows para o usuário escolher qual navegador queria, ao invés de deixar o IE já instalado.
Fabiano

Ainda assim não vejo problema da MS bloquear.. O produto dela só funcionaria daquela forma e deu. Quem não quiser vai pro concorrente. Claro que seria terrível para eles..

Concordo que o Google seja dominante, assim como o Windows, mas mesmo assim não consigo enxergar o problema.
A Globo é dominantes, então não poderia fazer propaganda dos programas e outros meios de comunicação deles (jornal impresso)? Silvio Santos fazendo propagando da Jequiti/Baú/Telesena?
Um supermercado que produz seus produtos não pode colocar na prateleira da frente? Aqui em Floripa tem um supermercado que agora só vende presunto da sua própria marca (fuck). Eu não vou mais lá para comprar isso, mas ninguém obriga eles a venderem pelo menos 3 marcas.

O iPhone só vem com Safari, Android com Chrome.. isso tudo bem?

Não sei se to viajando muito, mas é que realmente não entendo/aceito essa parada.

Chicken Little
Ainda assim não vejo problema da MS bloquear.. O produto dela só funcionaria daquela forma e deu. Quem não quiser vai pro concorrente. Claro que seria terrível para eles.. Concordo que o Google seja dominante, assim como o Windows, mas mesmo assim não consigo enxergar o problema. A Globo é dominantes, então não poderia fazer propaganda dos programas e outros meios de comunicação deles (jornal impresso)? Silvio Santos fazendo propagando da Jequiti/Baú/Telesena? Um supermercado que produz seus produtos não pode colocar na prateleira da frente? Aqui em Floripa tem um supermercado que agora só vende presunto da sua própria marca (fuck). Eu não vou mais lá para comprar isso, mas ninguém obriga eles a venderem pelo menos 3 marcas. O iPhone só vem com Safari, Android com Chrome.. isso tudo bem? Não sei se to viajando muito, mas é que realmente não entendo/aceito essa parada.
NickyNOS

Tem razão. Imagina se apenas o IE pudesse ficar como navegador padrão. Ou então os demais navegadores não pudessem ficar na área de trabalho (desktop).

Nicholas Oliveira Silva
Tem razão. Imagina se apenas o IE pudesse ficar como navegador padrão. Ou então os demais navegadores não pudessem ficar na área de trabalho (desktop).
Kazz
"Imagina se a Microsoft resolve bloquear todos os navegadores, com exceção do IE." A Google não bloqueia os resultados de serviços concorrentes.
NickyNOS

Imagina se a Microsoft resolve bloquear todos os navegadores, com exceção do IE.

Carro você não tem uma empresa dominante no mercado, mas se tivesse seria a mesma história. Você consegue trocar o pneu, o aro, o banco do carro.

O grande problema é que ela usou sua posição dominante em um segmento (buscas) para dominar outros (comparação de preços, tradutor, e-mail).

Nicholas Oliveira Silva
Imagina se a Microsoft resolve bloquear todos os navegadores, com exceção do IE. Carro você não tem uma empresa dominante no mercado, mas se tivesse seria a mesma história. Você consegue trocar o pneu, o aro, o banco do carro. O grande problema é que ela usou sua posição dominante em um segmento (buscas) para dominar outros (comparação de preços, tradutor, e-mail).
Fabiano

Sou contra tudo isso. Por que uma empresa privada não pode priorizar suas ferramentas? Se fosse algo público, beleza. Ninguém é forçado a usar nada. Por que a MS não pode lançar o sistema deles com os softwares deles? Quem quiser usar outros, baixa depois. Se eu compro um carro, não tenho 10 opções de marca de tapete, pneus, aros, bancos, etc.. é tudo 'de fábrica'

Exibir mais comentários