Início » Aplicativos e Software » Este é meu novo cliente de email preferido no iPhone

Este é meu novo cliente de email preferido no iPhone

Airmail entrega os melhores recursos dos aplicativos de email para iOS, sem inventar moda

Paulo Higa Por
4 anos atrás

O email é uma das tecnologias mais enigmáticas para mim: ele sempre é condenado à morte, mas nunca para de evoluir, recebendo constantemente novas formas de utilização e tendo um ecossistema crescente de aplicativos. Prova disso é o Airmail, cliente de email veterano para OS X que chegou recentemente ao iPhone, gerando uma série de reviews positivos.

Muita gente deixou de usar email, abrindo a caixa de entrada apenas para confirmar um cadastro ou deletar spams. Este definitivamente não é o meu caso: o email é uma das minhas principais ferramentas de trabalho e, como recebo frequentemente mais de 300 mensagens em dias úteis, é fácil perder o controle da situação. Já ultrapassei há muito tempo os 15 GB gratuitos do Gmail, aquele serviço que diz que você não precisa mais excluir emails para economizar espaço.

airmail-1

Então resolvi testar o Airmail e gostei muito do que vi. Desde que o Dropbox anunciou a morte do Mailbox, passei a usar o Spark, meio que a contragosto. Não que ele seja ruim, mas as “filosofias” são diferentes: enquanto o Mailbox se preocupava em ser simples na interface, mas poderoso nos bastidores, o Spark traz um visual carregado e com funções demais, tais como um calendário integrado. É uma abordagem semelhante a do Outlook, que também possui seus fãs. O problema é que quem faz tudo tende a não fazer nada de maneira excepcional.

airmail-4

O Airmail resgata muito dos sentimentos que eu tinha com o Mailbox. Ele possui uma interface leve, mas que esconde muitos truques úteis. Isto é basicamente o que eu gosto de ter num aplicativo de email:

  • Suporte a aliases de emails. Dessa forma, posso responder a um email com meu endereço pessoal ou do trabalho, independente de onde a mensagem chegou;
  • Assinaturas múltiplas, de preferência configuráveis para cada alias. Afinal, cada situação pode pedir um tipo de assinatura diferente (meu número de celular não vai em todas as mensagens que envio, por exemplo);
  • Uma maneira prática de arquivar múltiplos emails inúteis ao mesmo tempo com um gesto simples. Posso passar quatro dedos na tela para eliminar quatro mensagens? Ótimo! É claro que muita coisa descartável chega junto com as centenas de emails diários;
  • Notificações de novas mensagens, mas apenas para remetentes importantes. Existem alguns emails que eu preciso ler imediatamente, mas outros podem esperar um momento mais calmo;
  • Função para “adiar” um email e configurar um lembrete. Existem os emails que eu respondo e esqueço para sempre. Mas outros podem ser respondidos amanhã ou até a próxima terça-feira (sem falta!). E outros devem ser relembrados em uma data específica. Email não é WhatsApp.

airmail-5

Esses requisitos são atendidos com maestria pelo Airmail. Também há outras funções que se mostraram úteis, como a integração com bons aplicativos e serviços de terceiros. Eu posso enviar um convite recebido por email para o Fantastical, meu aplicativo de calendário preferido; salvar uma mensagem importante de viagem num caderno offline do Evernote; ou colocar uma tarefa no Wunderlist.

O leque de personalizações do Airmail é extenso, então é difícil que o aplicativo não consiga agradá-lo. As configurações padrão me atenderam relativamente bem, mas a experiência ficou melhor depois de alguns minutos investidos no menu de configurações. Dá para escolher cada aspecto do aplicativo, como as ações dos gestos, o tamanho da pré-visualização das mensagens, o limite de tamanho para o download automático de anexos e a forma de comportamento da busca, por exemplo.

airmail-2

Talvez existam dois problemas. O primeiro, claro, é que o aplicativo custa US$ 4,99, o que, pela conversão atual do dólar, dá algumas centenas de reais, portanto, ele deixa de ser interessante para quem não usa tanto o email. O segundo é que ainda não há versão para iPad: você poderá usá-lo apenas no iPhone e no Mac (onde ele custa mais US$ 9,99 e sincroniza as configurações com o iCloud, para que você tenha a mesma experiência nos dois dispositivos).

De qualquer forma, é curioso como, apesar de ainda estar na versão 1.0.1, o Airmail para iOS está bem redondo. Eu não enfrentei nenhuma falha ou recurso que não funciona como esperado. E, mesmo na primeira versão, o Airmail já trouxe uma interface refinada e totalmente traduzida para o nosso português. Fica claro que os desenvolvedores não se preocuparam em “melhorar as coisas com o tempo”, mas entregar uma solução já pronta e testada.

Parece que o email não vai morrer tão cedo.

Mais sobre: , ,