Início » Brasil » Correios acabam com e-Sedex, versão mais barata do Sedex

Correios acabam com e-Sedex, versão mais barata do Sedex

Decisão judicial obrigava Correios a manterem e-Sedex, mas a modalidade de envio só durou mais seis meses

Paulo Higa Por

Quando os Correios anunciaram o fim do e-Sedex, em novembro de 2016, uma decisão da justiça obrigou a estatal a continuar oferecendo o serviço, sob pena de multa. Mas a modalidade de envio, que era voltada a lojas online e mais barata que outros serviços de entrega rápida, só teve uma sobrevida de seis meses: na próxima segunda-feira (19), ela será definitivamente encerrada.

A decisão foi comunicada às empresas que utilizavam o serviço e divulgada pelo Mandaê. Em memorando, a estatal informa que “em virtude da aprovação da nova Política Comercial pelo Conselho de Administração dos Correios, informamos que o serviço e-Sedex será descontinuado a partir de 19/06/2017”, acrescentando que “todas as postagens deverão ser realizadas nos códigos de Sedex ou PAC ativos no contrato”.

O e-Sedex era um serviço com tarifas próximas às cobradas em entregas convencionais (PAC), mas com os prazos do Sedex. Na época do anúncio da extinção da modalidade, o presidente dos Correios, Guilherme Campos Júnior, afirmou à imprensa que o e-Sedex era o equivalente a “ter a liberdade de ser solteiro com o conforto de casado”.

Com o fim da modalidade, a tendência é que os fretes em lojas online fiquem mais caros, principalmente para empresas que não possuem contratos com outras transportadoras. Quando a descontinuação do serviço foi anunciada pela primeira vez, o e-Sedex ainda era bastante popular entre os varejistas, representando 30% do faturamento das lojas franqueadas dos Correios.

A medida é uma tentativa de equilibrar as contas dos Correios. A empresa, que detém o monopólio de entrega de correspondências, teve prejuízo de R$ 2,1 bilhões em 2015. Nos primeiros quatro meses de 2017, os Correios já perderam R$ 800 milhões; a previsão é terminar o ano com rombo de R$ 1,3 bilhão.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Neto
Privatizar ou abrir "mais espaço" para outras empresas é a solução mais eficiente para melhorar a qualidade dos serviços.
Neto
Privatizar ou abrir "mais espaço" para outras empresas é a solução mais eficiente para melhorar a qualidade dos serviços.
Vitor Hugo
Você sabe que 2 bilhões não são "nada", né? Digo, é muito dinheiro, claro (ainda mais quando se lembra que ele sai do povo), mas se comparado ao que se capita, é um valor ínfimo. O problema não é e nunca foi falta de dinheiro. É a má gestão pública. A ECT liga, querendo ou não, todo território nacional. Parece que não, mas o Correios faz isso. O Brasil é enorme. Imagina se privatizam a ECT e a nova gestão resolve não "sangrar dinheiro" deixando de atuar em cidades muito pequenas e que geram prejuízo? É incabível que o governo privatize-a e deixe essas cidades esquecidas. Pra empresas públicas, qualquer cidadão é um cidadão e deve ser atendido pelos serviços públicos (pelo menos no papel), pra empresas privadas, o lucro é o principal fator.
BuffyDawn Summers
Mercado livre e Correios é roubo também. Simule pacotes que você comprou e vai ver que os fretes são superfaturados. No mercadolivre, um objeto de 6 cm de diâmetro e 30 g custa 38 e o frete sai 49 no PAC, que parte de 1 kg. Curiosamente, se você comprar mais de 1 objeto, O FRETE SOBE. Esse frete que serve para até 1 kg. Já simulei preços com ceps de objetos que recebi e o valor quase sempre é a metade do que cobra o ML.
BuffyDawn Summers
Mas essas empresas não concorrem de igual para igual. Tem que pagar impostos, ipva da frota, etc, etc, etc. Fiz compra recentemente e o frete pela directlog foi 15 reais de SP a SE. Anos que não vejo esse valor de frete. Agora pense comigo, se a DirectLog oferece frete de 15 reais arcando com tudo o que arcam os empresários do Brasil (fora propins + ganância) e certamente dá lucro, tudo para um pacote que o correios cobraria 25-30 reais para dar prejuízo, imagine a roubalheira nessa estatal.
BuffyDawn Summers
É obrigado? Com a palavra os moradores de lugares do Rio e outras tantas cidades/bairros onde os Correios não entregam pela localidade ser distante ou violenta.
@Sckillfer

"...Correspondência em regiões que ninguém quer atender (basta ver as telecoms, que fogem do interior como o Temer foge do alho). Nesse caso, privatizar só encarece/restringe o serviço."

Não critiquei o mercado aberto como um todo e o mercado de logística é aberto, se não não teríamos UPS, Braspress, etc.

Sckillfer
"...Correspondência em regiões que ninguém quer atender (basta ver as telecoms, que fogem do interior como o Temer foge do alho). Nesse caso, privatizar só encarece/restringe o serviço." Não critiquei o mercado aberto como um todo e o mercado de logística é aberto, se não não teríamos UPS, Braspress, etc.
Sander Sabino
Empresas postais são monopólios estatais no mundo todo e o povo ainda acha que privatizar é a solução... ou ainda acham que são geniais revolucionários por pensar nisso, mania de achar que a iniciativa privada é a melhor opção em qlqr caso.
Lobo Solitário
Vc está dando uma nova definição aos termos "só olhar para o próprio umbigo" e "viver numa bolha".
RAJACASABLANCA 6a1o
nunca abriu capital, porque é um dos maiores cabides de emprego do governo
Pedro Cavalieri
Querido, você sinceramente não sabe do que está falando... Citações e intimações chegam por email (para quem não é advogado)? Seu cartão de crédito chega por email? Seu cartão do plano de saúde? Suas cartas de cobranças formais? Os informativos, propaganda, publicidade? Revistas? Jornais? Além disso, todo mundo tem acesso ao meio digital? Todas as vovós recebem a conta de água delas por email? Em qual mundo você vive, para dizer que "nem conta de papel estão mandando mais", como se fosse verdade absoluta, para todo mundo? Email tem Aviso de Recebimento oficial, válido como prova judicial? E o principal: suas comprinhas online no Mercado Livre chegam... por email? Em tempo: qual alternativa tecnológica as igrejas deram às velas? Você está querendo me dizer que TODAS as igrejas substituíram as velas por aquelas elétricas do R$ 1,99? E as pessoas que ficam sem energia, ou sequer têm energia em suas casas? Gente que vive abaixo da linha da probreza, tem luz de emergência com bateria?
Alecsandro Milani
Cara vc é burro demais, não vale nem o esforço pra rebater seus argumentos!!!
Porto Velho

Serviço essencial? Cartas?

Cara, nem conta de papel estão mandando mais. Isso era o que mantinha o correio.

Usei o exemplo da vela porque já foi um produto essencial e que hoje não é mais devido a inovações tecnologicas.

Em tempo, serviço de Correio da prejuízo porque sua intenção não é dar lucro, é manter um serviço que já foi essencial até em áreas que não há viabilidade econômica nenhuma. Correio americano, canadense e de diversos outros países operam no vermelho tendo o mesmo monopólio do Correio brasileiro: o de cartas e correspondências.

Emanuel Schott
Serviço essencial? Cartas? Cara, nem conta de papel estão mandando mais. Isso era o que mantinha o correio. Usei o exemplo da vela porque já foi um produto essencial e que hoje não é mais devido a inovações tecnologicas. Em tempo, serviço de Correio da prejuízo porque sua intenção não é dar lucro, é manter um serviço que já foi essencial até em áreas que não há viabilidade econômica nenhuma. Correio americano, canadense e de diversos outros países operam no vermelho tendo o mesmo monopólio do Correio brasileiro: o de cartas e correspondências.
Exibir mais comentários