Início » Carro » Carro autônomo do Uber mata pedestre nos EUA

Carro autônomo do Uber mata pedestre nos EUA

Paulo Higa Por

Uma pedestre morreu na manhã desta segunda-feira (19) no Arizona, nos Estados Unidos, depois de ser atropelada por um carro do Uber. De acordo com a mídia local, o veículo estava circulando em modo autônomo, com um operador atrás do volante, quando atingiu a mulher, que andava fora da faixa de pedestres. Ela foi levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Após o acidente, o Uber anunciou que retirou todos os seus carros autônomos das vias públicas do estado do Arizona e das cidades de San Francisco, Toronto e Pittsburgh. O CEO Dara Khosrowshahi disse no Twitter que a empresa trabalha com as autoridades para entender o que aconteceu.

O departamento de polícia da cidade de Tempe emitiu um comunicado informando que o acidente ocorreu aproximadamente às 22 horas (horário local) do domingo (18). Segundo a polícia, o carro do Uber andava no sentido norte de uma rodovia e atropelou uma mulher que caminhava fora da faixa de pedestres e cruzava a via do oeste para o leste.

“Ela foi transportada para um hospital local, onde faleceu devido aos ferimentos. Os parentes mais próximos ainda não foram notificados, por isso o nome dela não será divulgado neste momento”, diz o comunicado da polícia. Pouco tempo após o Uber se pronunciar oficialmente sobre o caso, as autoridades informaram que a vítima se chama Elaine Herzberg e tinha 49 anos.

Um carro autônomo do Uber sofreu um acidente na mesma cidade em fevereiro de 2017. Na ocasião, o veículo virou de lado após ser atingido por outro carro que fazia uma curva à esquerda. Ninguém ficou gravemente ferido. Em San Francisco, a licença do Uber chegou a ser revogada porque os carros estavam furando sinais vermelhos. No passado, o projeto foi suspenso pela empresa porque o software que controlava o carro era falho, exigindo intervenção humana uma vez a cada quilômetro, em média.

Com informações: ABC, Bloomberg.

Tecnocast 033 – Programados para matar

033

Engenheiros estão enfrentando dilemas éticos no desenvolvimento dos sistemas de carros autônomos: eles precisam ser programados para matar. Mais do que isso, precisam decidir qual vida é mais importante, em caso de uma colisão iminente.

E aí, como vocês acham que os carros deveriam agir em uma situação desse tipo? E como seria um mundo onde todos os carros nas ruas dirigissem sozinho? Cabeças explodirão. Dá o play e vem com a gente!

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Firmino Gomes

premio Darwin pra pedestre. Atravessou fora da faixa e numa rodovia? já foi tarde!

Kaiser Wolf 💀

Ou era um Decepticon

Juaum

E qual a proporção onde a vítima é a culpada?

Juaum

Incrível é confiar em algo desenvolvido e manipulado por humanos e ainda dizer que é mais confiável que humanos.

Noscaj Hcirlu

Pra que 7 bilhões de pessoas sugando o planeta ? O mundo seria tão bom sem a futilidade humana.

Valdinei Ferreira

"até hoje nem dinheiro ela fez" Não é assim que a coisa funciona? Testes, testes, simulações, testes até chegar em um momento em que a própria Uber oferecerá seus serviços, sem precisar de motoristas. Não é algo feito em meses.

Marcos Guilherme

Para que computador? Poderiamos fazer todos esses cáulculos em conjunto, juntando muitas pessoas ou seja mais empregos, mas se um errar tudo bem volta tudo de novo.

Fabio Montarroios

mas não é esta a questão, jovem... ela não é nem cabível... e vc não está suficiente informado sobre esse assunto. e, veja, isso não é uma ofensa e nem uma afronta, ok? mas a questão é: essa morte é muito impactante num meio cheio de marketing e esperanças verdadeiras de solução para as mortes no trânsito (q tb é violento nos eua). não importa muito a condição do acidente, pq havia uma aposta exagerada em q esses carros seriam capazes de evitar acidentes como estes e, como se vê, não é bem assim, pois a tecnologia disponível é nitidamente insipiente e precisa ainda de muito teste (rodagem) pra funcionar. carros autônomos são tão complexos qto um avião e veja a regulação e a complexidade da indústria da aviação pra fazer tudo funcionar a contento e dentro da lei... o q acontece com os carros autônomos é: não existem leis bem definidas pra eles ainda. é como se alguém tivesse inventado o avião agora e resolvesse testá-lo no meio duma praça cheia de gente (vai dar merda, claro)... bill peduto, prefeito de Pittsburgh disse à época em q ele autorizou o primeiro teste dos carros da uber/ford: 'temos q transformar nossa cidade num laboratório'. ok... a ideia é linda, mas há pessoas nesse 'laboratório' e eu desconfio q nem todo mundo, mesmo os mais entusiastas dos carros autônomos, topam ser cobaias desse tipo de iniciativa q, como todo mundo sabe e q este site já cantou a bola, os carros autônomos mudarão a indústria automotiva pra valer. então, não é só um teste qualquer; o q tá rolando é uma verdadeira corrida pra ver quem consegue emplacar um carro autônomo funcionando no estágio 5 (dentre os vários estágios possíveis) primeiro e faturar muito com isso. é MUITA grana em jogo e empresas grandes (todas de automóveis) podem simplesmente ficar no passado e desaparecerem caso não se mexam. vc viu q o ceo da ford levou um pé na bunda, não viu? pq ele tinha um plano urbanístico amplo pra fazer os carros autônomos funcionarem, pq, claro, ele tinha visão (a mais adequada, a meu ver, apesar de achar inadmissível uma sociedade permitir q uma empresa tome esse tipo de atitude sem consultar a sociedade), de q sem um plano urbanístico, os carros autônomos poderão não funcionar muito bem nas cidades como estão hoje. a moça atropelada estava de bike e, pode ser, q os sensores do carro não estivessem bem calibrados pra aquela situação específica: um ciclista é, geralmente, um corpo estranho na maioria das cidades desenhadas para carros. um motorista experiente poderia ter evitado aquela situação? talvez... e saiba vc q a nova legislação americana, já pensada para os carros autônomos, não obriga as empresas a compartilharem os dados umas com as outras, então se o uber/volvo/ford resolverem esse problema, eles, pela nova lei, não são obrigados a compartilhar essa solução com os concorrentes e novos atropelamentos, com a mercedes, por exemplo, precisarão ocorrer pra eles resolverem esse tipo de situação tb. essa morte, q agora é tratada só como uma maldita alegoria nessa discussão, é uma morte de verdade... não é a brincadeirinha de um teste A/B do MIT...

Keaton

Ai complica, né Uber.

ochateador

Até onde sei, para atravessar rodovias todo e qualquer pedestre (e ciclistas) são obrigados por lei a atravessar pela passarela por medida de segurança.

ʞǝʌǝɥs

pressionante...mais uma vez a culpa é da vítima...

Programador Front-End

Pra que carro? Poderiam ter ficado nos cavalos, mas o Henry Ford inventou de automatizar o processo de fabricação dos carros e roubou muito emprego da manufatura

Ricardo

Pra que carro autônomo !? Com tanto desemprego e a população mundial só aumentando , o que custa pagar um motorista ? É tanta ganância dessas empresas ...

tuts

Tá me chamando de taxista? Kkkkkkk, chutou longe, adoro o Uber, mas não é uma empresa pra carros autônomos, até hoje nem dinheiro ela fez, sou estudante de engenharia

Renan

Obrigado. Sabia que tinha coisa estranha. 200 é só do Uber. O número estava muito baixo com tantas empresas testando essa tecnologia. Como o tema é o primeiro acidente fatal por carro autônomo, sua conta está incompleta.

Exibir mais comentários