Início » Gadgets » Oculus Quest é um headset sem fio de realidade virtual por US$ 399

Oculus Quest é um headset sem fio de realidade virtual por US$ 399

Oculus Quest, do Facebook, funciona sem um PC ou celular; headset terá 50 jogos compatíveis quando for lançado em 2019

Felipe Ventura Por

O Oculus Quest é um headset de realidade virtual sem fios que promete, por US$ 399, uma experiência superior à de smartphones. Ele funciona de forma independente, sem um PC ou celular; possui controles com seis graus de liberdade; e terá 50 jogos compatíveis quando for lançado em 2019.

As telas do Oculus Quest têm resolução 1600 x 1440 por olho, superior ao Oculus Rift (que exige um PC). Será possível ajustar o espaço entre as lentes para focar melhor a imagem. O modelo básico virá com 64 GB de armazenamento e alto-falantes embutidos.

O headset possui um sistema chamado Oculus Insight: quatro sensores ultra-grande-angulares, além de algoritmos de visão computacional, para o rastreamento “de dentro para fora”. Ou seja, ele não depende de câmeras externas para acompanhar os movimentos do usuário.

Os sensores criam um mapa 3D dos seus arredores: uma nuvem de pontos que inclui paredes, móveis e objetos. O Oculus Quest é capaz de analisar uma área de até 400 m² e armazená-la para uso futuro, para que você não precise calibrar o headset de novo. Além disso, ele terá um “guardião multiambiente” para se lembrar de diferentes cômodos após escanear a sala e o quarto, por exemplo.

Os dois controles têm 6 graus de liberdade (6DoF): frente, trás, esquerda, direita, cima e baixo. Isso significa que o usuário pode se mover livremente enquanto usa o headset. Enquanto isso, alternativas sem fio como o Oculus Go, de US$ 199, têm três graus de liberdade: jogos e aplicativos só funcionam quando você fica parado ou sentado.

Oculus Quest é pensado para jogos em realidade virtual

Hugo Barra, brasileiro que comanda a Oculus VR, disse nesta quarta-feira (26) que o Oculus Quest foi “feito para jogos”. Ele virá com 50 títulos no lançamento, incluindo o simulador de escalada The Climb e o jogo de aventura Moss; a lista completa será revelada no ano que vem.

A apresentação oficial também mencionou Superhot e empresas como Halfbrick (Fruit Ninja VR) e Insomniac (Stormland, Edge of Nowhere, Ratchet & Clank). Além disso, a Lucasarts preparou uma experiência cinematográfica de Star Wars para o headset, chamada Vader Immortal.

O Oculus Quest não será compatível com títulos do Oculus Rift no PC, mas Barra promete que será fácil portar jogos e aplicativos de um headset para o outro.

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook — que comprou a Oculus em 2014 — diz que o Quest “será a base para uma nova geração de realidade virtual”. O dispositivo era conhecido anteriormente como Project Santa Cruz. Este ano, a empresa lançou o Oculus Go, com experiência próxima à do Samsung Gear VR, mas sem depender de um smartphone.

Ainda não sabemos as especificações completas do Oculus Quest, mas o Facebook diz que ele será lançado no terceiro trimestre de 2019.

Com informações: Oculus, Ars Technica, Engadget.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tomaz Diniz

os VR são imersivos... o PSVR é muito...eu imagino o oculus quest: SEM FIOS para atrapalhar,sem tomada para ter que Ligar, use a hora que quiser... e a qualidade das lentes,tela são bem melhores,além claro do controle que passa a sensação precisa do ''TOCAR''

Tomaz Diniz

discordo totalmente.agora VAI SIM! eu tenho o PSVR e ele é perfeito, essa semana comprei o Superhot VR e é extremamente divertido... agora existe um ponto que ainda tem que evoluir que é a longevidade dos games em VR,são muito curtinhos e caros...do outro lado jogos 2D são extremamente longos porem alguns tornam-se bem cansativos. jogos em VR são bem mais empolgantes se comparar entre jogar numa tv 2d ou em VR 3D e ao seu redor este mundo virtual.

Porém, eu respeito a opinião de quem não gosta e respeito sua opinião,mas se voce vai responder a um comentario de uma pessoa que esta interessada você tem que ser neutro e expor a realidade daquele produto... ''sim ele esta sendo muito bem sucedido mas é um produto com mercado especifico...''

phsodre

Mas teve. Tanto é que os primeiros jogos que saíram junto com o PS3 vinham com avisos de "Não jogar por tempo além de 1 hora sem descanso, pois poderia provocar náuseas". Um exemplo é Metal Gear 4, que tem esse aviso e eu joguei inúmeras vezes, sem sentir nada (sorte que nem todo mundo teve). O aviso aparecia naquela parte onde o jogo instala parte do conteúdo do disco, no hd do console, qnd se joga pela primeira vez!

Fabio

A democracia é UMA DELÍCIA!

Astolfinho o porco abiguinho

é uma piada a respeito da declaração do candidato Daciolo amigo, em nome de jesus se informe melhor pfv! rs

Alexandre Vieira

Nunca ouvi falar em gente passar mal por resolução "alta". Ele começou a jogar so nessa ultima geração?

Alexandre Vieira

daciolo não tem nem chance, acho que voce confundiu com bolsonaro

Robert Rey

Bom, se houver realmente uma evolução que reduza ao máximo o motion sickness, possa ser que um dia tenha futuro. É uma tecnologia muito interessante, sem dúvidas, mas não é muito confortável, quando eu tiro um tempo pra jogar eu costumo passar 3, 4 horas jogando direto e com um aparelho desses é sem condiçoes, mesmo sendo propostas diferentes, ainda considero vr somente uma prova de conceito, e deveras cara.

Astolfinho o porco abiguinho

opa Superhot nele deve ser ótimo, acho o PSVR muito caro e complexo, se o dólar não ficar maluco depois do Daciolo ser eleito com 51% de votos no 1º turno, dá pra pensar em pegar um.

Marcos Paulo Betinardi

Acredito que com a evolução do hardware não vai sumir. No momento que for mais leve, prático, barato, serviria para assistir filmes. A melhora do refresh, resolução e jogabilidade podem diminuir muito as náuseas. Por exemplo, jogar sem ter q ficar mexendo muito a cabeça, mais como tela. Mas falo em tese...

phsodre

Eu acredito que tudo é uma questão de costume. Qnd vieram os primeiros jogos em HD e FullHD, muita gente tbm passava mal se jogasse por um período de tempo. Um amigo meu inclusive semana passada passou mal, qnd tentou jogar Titanfall (isso claro já considerando o Daltonismo que ele tem). Entretanto eu tenho que concordar que não é pra agora. Ainda é caro e jogos não são experiências muito completas. Até então o único jogo grande que foi totalmente pensado para o VR, foi Resident Evil VII (tanto que mudou a perspectiva para a 1ª pessoa). Além do que, é sempre bom ver que o mercado tem se esforçado para entregar melhores experiências, pois num futuro talvez não muito longínquo, estaremos tendo experiências imersivas com base nessas tecnologias de agora, como a própria matéria já mostra que foi sugerido.

uma pena.. pq immersao para jogos seria algo bem revolucionário...

Robert Rey

Ainda não. Na verdade, essa tecnologia é estritamente de nicho. Eu mesmo já tentei gostar dela algumas vezes, mas além de sentir nauseas, você joga por uns 30 min e já enjoa (nos dois sentidos) . É similar ao Kinect, daqui um tempo some.

Danilo

Agora vai? Ou ainda não?