Início » Legislação » Uber deixa de aceitar mais motoristas em Nova York devido a nova lei

Uber deixa de aceitar mais motoristas em Nova York devido a nova lei

Uber tem que pagar salário mínimo para motoristas; Lyft também restringiu novos cadastros

Paulo Higa Por

Uma lei recente da cidade de Nova York começou a surtir efeito nos apps de transporte: a Uber confirmou que, desde 1º de abril, não está aceitando cadastros de novos motoristas. O principal concorrente, o Lyft, criou uma lista de espera para interessados em dirigir na plataforma. Pelas novas regras, as empresas são obrigadas a pagar uma espécie de salário mínimo aos motoristas.

Uber - smartphone

As regras foram aprovadas no final de 2018 pela Comissão de Táxis e Limusines (TLC, na sigla em inglês) da cidade, que se tornou a primeira a ter uma regra desse tipo. O valor mínimo a ser pago pela Uber, Lyft e outras empresas é de US$ 17,22 (líquido) ou US$ 26,51 (sem descontos) por hora de trabalho. Para fins de comparação, o salário mínimo em Nova York é de US$ 15 por hora.

Esse valor de US$ 17,22 é baseado em uma fórmula que considera a distância percorrida, o tempo de trabalho e a taxa de utilização, isto é, a porcentagem média de tempo em que os motoristas da empresa realmente têm passageiros. Quanto menos veículos ociosos estiverem circulando nas ruas, menos os apps de transporte poderão pagar aos motoristas.

A ideia por trás da lei é penalizar empresas que deixam muitos carros sem passageiros ocupando as vias da cidade. Normalmente, após finalizarem uma corrida, os motoristas esperam alguns minutos nas ruas até encontrarem outro usuário. Se houver oferta em excesso de motoristas, o trânsito tende a piorar devido ao maior número de carros.

Segundo o The Verge, nos Estados Unidos, apps como Uber e Lyft têm sido alvo de críticas por parte de legisladores, taxistas e sindicatos por não seguirem as mesmas regras dos táxis. Isso teria causado um “excesso de motoristas que superou a demanda, reduzindo os salários e aumentando o congestionamento no trânsito”.

Tanto a Uber quanto a Lyft processaram a cidade de Nova York pela nova lei. A Lyft diz que as regras prejudicam a competição e poderiam dar vantagem à Uber em detrimento de empresas menores. Já a Uber defende que a cidade restringiu a oferta, o crescimento e a concorrência de serviços de transporte, impactando a população que mora em regiões mais distantes e mal servidas por táxis e transporte público.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Caio Alexandre
Reportagem recente da imprensa mostrou motoristas de Uber esperando até DOZE HORAS próximo do Aeroporto de Guarulhos por uma única corrida que lhe desse pelo menos 100 reais pra poder levar pra casa no final do dia.

A notícia é de 2017. https://www1.folha.uol.com....

Dayman Novaes

Depende do que é X e Y.

Marcus Pessoa

Os nerds são fanboys de empresas bilionárias que estão cagando pra eles.

Paçaro

Não me importo o suficiente pra redigir uma análise crítica da situação.

Dayman Novaes
Era nessa época em que não havia nenhum controle trabalhista e pessoas trabalhavam jornadas insanas para conseguir um valor que mal dava para sua subsistência... OPS, é exatamente isso que está acontecendo com motoristas de aplicativos.

Erro básico de lógica.

A - houve uma época que não havia controle trabalhista
B - nessa época as condições de trabalho eram péssimas e generalizadas
C - Logo, controle trabalhista causa boas condições de trabalho

Correlação não implica causalidade, portanto é um Non Sequitur.

Precisa estudar um pouco mais de epistemologia e filosofia antes de compreender melhor como as relações entre indivíduo e o meio (mercado) funcionam.

Dayman Novaes

To vendo tu zoar mas não to vendo tu refutar.

Paçaro

Falou de Venezuela eu já não levo à sério.

Eduardo Costa

Engraçado, vc sabe quais são as duas empresas que mais empregam em 2019 no nosso Brasil fudido deixado pela Dilmanta/Temer? Pois é, pasmem, Uber e iFood? Mas bom mesmo é passar fome, é assaltar, se prostituir, vide nosso grande exemplo seguido pela esquerda, Venezuela, né?

Eduardo Costa

“Não aumentar preço para os usuários”, claro... No fantástico mundo dos unicórnios kgadores de dinheiro que acreditam que as empresas engolem prejuízos com uma colher de açúcar... Falaram a mesma coisa aqui quando taxaram a Netflix e o Spotify, não deu um mês para subirem de preço “sem nenhuma relação com o novo imposto, apenas para melhorar a qualidade dos serviços”... E o cara ainda fala em ficar preso no tempo citando conceitos da época de Getúlio, vc sim é moderno, CLT e “proteção” são o futuro, vamos comparar o ranking de IDH dos países mais liberais com os menos?

Lord Cheetos

Causar desemprego é solução sim.

Porto Velho

Com o preço de um PS4 aqui paga dois meses de aluguel. Com um mês de aluguel lá compra no minimo quatro PS4.

Paçaro

Mas aí junta duas coisas que faz a nerdaiada ir à loucura.

1 - estado querendo controlar a vida do cidadão de bem, aí meu deus estamos a um passo de 1984
2 - empresa cool de tecnologia, que só faz o bem e irá acabar com todos os males

A galera tá num cabresto que impede de enxergar as coisas fora de exatamente um ponto de vista. É complicado.

Paçaro

Mas e se você quiser fazer X e o seu vizinho quiser fazer Y, mas o Y dele te impede de fazer o X. E aí, como fica?

Paçaro

Exatamente. O PS4 é barato. Pena que com o valor do aluguel você poderia comprar alguns PS4 por mês.

Elias

Parabéns prefeito de nova York, alguém tem que dá o primeiro passo.

Exibir mais comentários