Início » Negócios » LG promete lucrar com celulares após acumular US$ 2,67 bilhões em prejuízos

LG promete lucrar com celulares após acumular US$ 2,67 bilhões em prejuízos

CEO da LG promete mais lançamentos de smartphones e "fatores surpresa" para reverter prejuízo com celulares até 2021

Felipe Ventura Por

A LG é uma empresa lucrativa graças aos setores de TV e eletrodomésticos, mas há uma parte da empresa que não é tão bem-sucedida: a divisão de celulares acumula prejuízo operacional de US$ 2,67 bilhões entre o início de 2015 e o terceiro trimestre de 2019. O CEO Brian Kwon promete reverter esse quadro até 2021 com mais lançamentos de smartphones e “alguns fatores surpresa”.

LG G8X ThinQ - Review

LG G8X ThinQ

Segundo o Korea Times, Kwon disse durante a feira CES: “a divisão móvel da LG Electronics será lucrativa até 2021; posso dizer que conseguiremos fazer isso acontecer, pois a LG Electronics expandirá nossa linha de celulares e lançará constantemente novos modelos atrelados a alguns fatores surpresa para atrair consumidores”.

O CEO não revelou exatamente quais diferenciais são esses, mas isso pode ser algo bem-vindo: no review do LG G8S ThinQ, Emerson Alecrim já diz no título que ele tem “muito desempenho e poucos diferenciais”. O smartphone decepciona em alguns aspectos: a câmera dele ficou atrás do Galaxy S9+ e do iPhone X nos testes do DxOMark.

Claro, é importante que os recursos únicos também sejam úteis: o G8X ThinQ possui duas telas, mas “a vantagem da segunda tela é quase anulada por um sistema operacional que ainda não está pronto para isso”, como conclui Paulo Higa no review do aparelho.

LG não tem lucro em celulares desde 2014

A LG ainda não divulgou o resultado financeiro para o ano completo de 2019; isso deve ser feito no final de janeiro. No entanto, ela acredita que teve lucro operacional de US$ 85 milhões ao longo do ano passado, bem abaixo dos US$ 233 milhões esperados por analistas de mercado — e a culpa, em parte, pode ter sido da divisão móvel.

Para cortar custos, a empresa transferiu sua principal linha de produção de smartphones para o Vietnã; antes, eles eram feitos na Coreia do Sul. Esses aparelhos também são fabricados no Brasil, onde a LG permanece em um “sólido terceiro lugar” na venda de celulares, segundo a Counterpoint Research. À frente dela, estão Samsung e Motorola.

No entanto, vender muito smartphone não significa ter lucro com isso. Como você pode ver abaixo, a divisão móvel da LG vem sofrendo prejuízos desde 2015:

  • 2013: lucro de 64,45 milhões
  • 2014: lucro de US$ 295,29 milhões
  • 2015: prejuízo de US$ 103,17 milhões
  • 2016: prejuízo de US$ 1,09 bilhão
  • 2017: prejuízo de US$ 192,33 milhões
  • 2018: prejuízo de US$ 700,65 milhões
  • 2019 (até o terceiro trimestre): prejuízo de US$ 584,45 milhões

Vale repetir que esse é o resultado financeiro apenas da LG Mobile, não da LG Electronics como um todo: a empresa é lucrativa nos outros setores em que atua, como TVs, eletrodomésticos, painéis solares, entre outros.

Com informações: Korea Times, Engadget.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
23 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Thiago Passos (@Burnerman_X)

É plenamente possível, basta ela fazer telefones bons, bem mantidos, com uma UI condizente com o momento e uma linha bem consistente. Ou seja, tudo o que ela não tem feito atualmente.

Bruce (@Bruce)

A LG é uma piada sem graça! No Brasil, está quase sendo ultrapassada pela Xiaomi, onde 99% dos smartphones em uso são fonte de importação.

LG e Sony são duas gigantes que se perderam de um jeito que ninguém sabe como.

Murilo Calegari (@MuriloCalegari)

Por algum motivo eu ainda tenho a sensação de que a Motorola pode estar caminhando no mesmo sentido. Os telefones dela ainda são muito populares, mas parecem estar perdendo o gás que tiveram na época do Moto G de 1ª e 2ª geração.

Acho que com o tempo também existe uma tendência maior da galera estar mais decidida a gastar mais com telefone (como se fosse um bem essencial), e a Motorola não presta exatamente um bom serviço na linha dos intermediários top.

Matheus Motta (@Matheus_Motta)

Perdoem a analogia ácida, mas parece um alcoólatra prometendo que vai parar de beber. A LG só sabe fazer dois tipos de celulares: barato e ruim e caro e sem diferencial algum, só uma mudança de postura pode salvar essa divisão!

Thiago Sabaia (@thiago)

LG está perdida igual a Sony. Se eu fosse ela esquecia celulares e focava em outras coisas que grandes marcas abandonaram. Por exemplo, Home Theater e Mini System.

Além dos produtos que ela sabe fazer bem: TV, lavadoras, etc.

C Emanuel B Laguna (@Max_Laguna)

Com relação aos televisores, acho a LG melhor que a Samsung. Tive duas Samsung 4K que morreram no primeiro surto de energia e substitui uma por LG. Farei o mesmo com a outra.

Infelizmente o último smartphone Lucky Goldstar que ainda mantenho é o Nexus 5X: era bom mas agora está totalmente desatualizado. Life is Good, mas nos celulares não basta apenas fazer o feijão com arroz: tem que criar/liderar tendências.

@bkdwt

Quando finalmente voltarem à era do G2 e G4 (sem bootloop, pelo amor!) aí eu venho a acreditar.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

A impressão que dá é que a LG não anda frequentando os mesmos lugares que as outras fabricantes. Porque ela lança uns smartphones que estão atrás da concorrência, e quando tenta estar a frente lança algo que ninguém pediu, como o negócio do hand ID.

A LG é uma das melhores fabricantes de tela (pra TVs OLED) e não consegue nem por uma tela que chame atenção no próprio aparelho, aí fica difícil dar credibilidade.

Ronaldo Carlos da Silva (@RonaldoCarls)

Será mesmo gente? A um bom tempo a LG vem deixando de inovar entregando aparelhos datados, os atuais poderiam ter sido lançados a dois anos atrás, e continuariam não sendo grande coisa. É complicado, chegamos em um nível que só quem lucra é quem vende rios de aparelhos ou aparelhos super caros, a LG não se encaixa em nenhum desses grupos! Enfim, vejamos o que essas grandes surpresas irão nos trazer, ms espero que não seja um leito de mão, porque viu, desnecessário!

Paulo Higa (@higa)

É bem pelo contrário. Motorola está lucrando (algo que não acontecia na era Google) e tem melhorado seus resultados financeiros a cada trimestre. No Brasil, a participação de mercado também é excelente: vice-liderança isolada, bem à frente da terceira colocada — o maior sintoma disso é que o presidente da Motorola Brasil foi promovido a presidente global.

A gente tem essa visão porque a Motorola deixou de ser uma empresa para agradar os geeks para começar a fazer dinheiro. E essa estratégia de lançar um monte de celular igual está dando muito certo, por mais que desagrade aos saudosistas do Moto X/G 1ª geração.

Paulo Higa (@higa)

Para a Samsung continua sendo viável há quase uma década. As vendas de Galaxy S/Note não são tão altas (ninguém divulga números exatos, mas pelos dados que temos são certamente menores que as vendas de iPhones no Brasil). Em compensação, ela vende muito Galaxy A e isso ajuda a empresa a manter uma estrutura gigantesca aqui.

Rafael (@orafasp)

Eu, particularmente, não me dei bem com os celulares da LG, acabei que passei usar Samsung até descobrir a Lenovo.
Tenho um Vibe K6 guerreiro que me acompanha nas tarefas diárias a quase 3 anos.
Caso a LG ofereça um celular com o mesmo padrão, guerreiro, eu mudo de ideia e passo a usar LG. Não é o caso no momento