Início » Telecomunicações » Anatel apreende 26 mil carregadores de celular irregulares

Anatel apreende 26 mil carregadores de celular irregulares

Anatel conduz operações contra pirataria em São Paulo, São José do Rio Preto e Ribeirão Preto; estoque tinha valor de R$ 340 mil

Lucas BragaPor

A Anatel apreendeu 15,2 mil carregadores de celular nesta quarta-feira (16). Os equipamentos foram confiscados na região da Rua 25 de Março, em São Paulo, área de intenso comércio popular. Outra operação também levou mais 11 mil equipamentos, totalizando cerca de 26 mil. Os produtos não eram homologados pela agência e, portanto, têm uso irregular e venda proibida no território brasileiro.

Loja vendia carregadores irregulares e sem homologação (Imagem: Divulgação/Anatel)

A fiscalização encontrou um estoque de um grande distribuidor de carregadores de celular. A Anatel estima que os equipamentos somavam o valor de R$ 180 mil. A operação faz parte do Plano de Ação de Combate à Pirataria (PACP).

Essa não foi a única apreensão da Anatel: em novembro, a agência fez outras três grandes fiscalizações no interior de São Paulo, nos municípios de São José do Rio Preto e Ribeirão Preto. A operação lacrou 11 mil carregadores não homologados, que correspondem ao valor de R$ 160 mil.

A agência ainda não revelou qual a destinação dos carregadores apreendidos. No passado, a Anatel fez operações em conjunto com a Receita Federal para apreensão e destruição de TV Box destinadas para uso com TV por assinatura pirata pela internet, com tecnologia IPTV.

iPhone só tem garantia com carregador certificado

O ano de 2020 foi polêmico para os carregadores de celular após a decisão da Apple em remover o acessório da caixa de todos os novos e antigos iPhones comercializados pela empresa. Com isso, o público ficou em dúvida quanto à garantia do smartphone por defeitos causados por adaptadores de energia.

Ao Tecnoblog, a Apple disse que a garantia dos smartphones não será afetada quando o consumidor utilizar equipamentos que “atendam aos regulamentos e padrões de segurança aplicáveis”, como os homologados pela Anatel.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@ksio89

Para esse cabide de empregos, todo produto que não é homologado é ilegal ou pirata, mas bastou pagar o arrego e pronto, magicamente passa a ser legal.

Eu (@Keaton)

Problema é que tu assume que todos os carregadores funcionem corretamente.
Mas sim, a homologação é importante, ela serve para evitar que alguns carregadores bomba sejam vendidos. Exemplo: um que minha tia comprou (e não era certificado em nada), quando eu testei, tava fornecendo 3v. TRÊS… fucking… volts… sendo que a tensão minima do USB é 4.5v…

Jorge Luis (@Jorge_Luis)

Vamos imaginar que um carregador homologado custe em média 90 reais e que as pessoas mais pobrezinhas não podem comprar e comprem apenas esses de 20 reais. O que fazer? Ficam sem? OK, a segurança é importante, mas acredito que a estatística desses acidentes sejam bem pequenas, até desconheço.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Justamente porque existe esse trabalho de homologação.

Eu (@Keaton)

reductio ad absurdum… se tu tá falando carregador Apple, o que uma pessoa que não pode gastar 90 reais num carregador está fazendo com um telefone de 4000+? Sério… o argumento não se sustenta.
Agora, se tu tá falando de carregador normal, tem carregador honesto certificado de 20~30 reais… de empresa grande. (Tudo bem que é 5v e 2.1A)

Pensa no seguinte: Tu compra um carregador de 20 reais e ele estraga o celular… valeu economizar 5-10 reais? Se a tua resposta foi sim, meus parabéns…
Pagar um pouco a mais em um certificado tendo a certeza que ele deverá funcionar de forma adequada é ruim? Vamos supor que tu compre um carregador não certificado e ele não queime o celular, mas simplesmente não funcione. Se tu morar perto, beleza. Mas e para voltar e trocar? Vai uma passagem de ida e volta para trocar. O que tu poderia ter economizado comprando um mais simples e certificado. Se tu simplesmente compra outro, já saiu mais caro que um multilaser colorido que é bem decente. (consegui puxar 2.1A deles, só que eles esquentam um pouco…)
E quanto à garantia, a Multilaser oferece via site/twitter/facebook/telefone/email. Já tive problema com um leitor de cartão de memória deles que fedia queimado… eles só me pediram para detonar o USB e me mandaram outro sem custo algum…

Se tu quer o modelo, é esse:
image1000×1000 61.8 KB

@ksio89

A Anatel encrenca mesmo com produtos que são homologados por órgãos de outro países, como o FCC americano e o CE europeu. E homologa acessórios de Multilaser, Elgin, Positivo e afins que costumam ser de baixa qualidade. Dá a impressão que a agência está mais preocupada com a cobrança de taxas do que com a segurança do consumidor.

Eu (@Keaton)

São certificações diferentes, em locais diferentes que não tem validade mundial. Ou seja, eles apesar de serem validados lá fora, não tem certificado com validade nacional. Teria de ver o que foi apreendido para falar… porque eu não sei quais marcas foram.

Os carregadores da multilaser não são de baixa qualidade, e sim mais simples e bem honesto. O que é BEM diferente…

Eu confio que eles façam um trabalho decente, apesar de redundante. E como eu não pago a taxa na integralidade e tenho a certeza que terei um produto que funciona e com garantia, não me preocupo tanto…

Jorge Luis (@Jorge_Luis)

Entendi. Não sabia que esses carregadores da Multilaser eram bons. Os 90 reais que sugeri foi porque achei mesmo que a média era essa. Não foi uma redução ao absurdo.

Jorge Luis (@Jorge_Luis)

Estou falando da estatística do povo utilizando todos os carregadores. Acredito que em mais de 70% dos casos a pessoa usa um não certificado, porque é mais barato.

Eu (@Keaton)

Eles são bons no sentido de honestos. Fornecem [email protected] sem problemas (fora aquecer um tanto, mas é normal) e sem sair das especificações.
Mas tem de levar em conta que não são QC.