Receita anuncia destruição de 160 mil TV Box de IPTV pirata

300 mil TV Box foram apreendidas em Foz do Iguaçu nos últimos quatro anos; Brasil tem 4,5 milhões de lares com TV irregular

Lucas Braga
Por
• Atualizado há 6 meses
Apreensão de TV Box Imagem: Divulgação/ABTA)
Apreensão de TV Box em Foz do Iguaçu. (Imagem: Divulgação/ABTA)

A Receita Federal completa nesta quarta-feira (11) a destruição de 160 mil aparelhos TV Box apreendidos nos últimos quatro anos em Foz do Iguaçu (PR). Essas caixinhas costumam ser usadas com o serviço de TV por assinatura pirata pela internet (IPTV). Estima-se que o Brasil possua 4,5 milhões de casas com acesso a canais de TV paga por meio clandestino.

Os equipamentos destruídos não têm homologação pela Anatel, e, portanto, não possuem autorização para funcionar no Brasil. Algumas peças serão destinadas para reciclagem.

Além de Foz do Iguaçu, a Receita Federal e departamentos de polícia também fizeram apreensões: em setembro de 2020, 7 mil aparelhos apreendidos em Ponta Porã (MS) foram destruídos. No mês seguinte, foram confiscados mais de 240 mil equipamentos irregulares no Rio de Janeiro, incluindo TV Box, relógios, carregadores e baterias.

Brasil tem 4,5 milhões de casas com TV pirata

A Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA) também estima que 4,5 milhões de lares brasileiros possuem acesso à TV por assinatura pirata. Os dados são baseados na pesquisa PNAD do IBGE com a comparação das informações oficiais de TV paga divulgadas pelas operadoras. A entidade calcula prejuízo de R$ 9,5 bilhões por ano para a indústria audiovisual, dos quais R$ 1 bilhão representam impostos que deixam de ser arrecadados pelo governo.

Dados da Anatel de setembro de 2020 mostram que o Brasil possui 15,1 milhões de assinaturas oficiais de TV paga. A maior parte dos clientes são da Claro, com 47,6% do mercado, seguido por Sky (30,9%), Oi (10,7%) e Vivo (8,3%).

Na prática, a TV paga tem perdido clientes ao longo do tempo: na comparação com o ano anterior, o setor desligou 1 milhão de assinantes. Os caros preços das mensalidades, com pacotes fechados e a grande oferta de serviços de streaming são alguns motivos para as desconexões estarem em alta.

Nem toda TV Box é ilegal

De acordo com a ABTA, todas TV Box apreendidas violam os direitos autorais, com aplicativo embarcado para acesso de IPTV pirata. No entanto, é válido lembrar que nem toda TV Box é destinada para pirataria. Muitos equipamentos são simples decodificadores conectados à internet, normalmente com sistema operacional Android e sem acesso nativo aos canais lineares. Eles permitem que televisores não-smart consigam acessar serviços de streaming como Netflix, Globoplay, Amazon Prime Video e YouTube.

O uso de TV Box para transmissão de IPTV pirata é apenas uma das funções que o aparelho consegue executar. No varejo é possível encontrar equipamentos legítimos, sem canais piratas e homologados na Anatel como o Intelbras Izy Play, Roku Express e Xiaomi Mi Box.

Receba mais sobre TV Box na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Lucas Braga

Lucas Braga

Repórter especializado em telecom

Lucas Braga é analista de sistemas que flerta seriamente com o jornalismo de tecnologia. Com mais de 10 anos de experiência na cobertura de telecomunicações, lida com assuntos que envolvem as principais operadoras do Brasil e entidades regulatórias. Seu gosto por viagens o tornou especialista em acumular milhas aéreas.

Relacionados