Início » Aplicativos e Software » WhatsApp insiste em nova política de privacidade com este aviso

WhatsApp insiste em nova política de privacidade com este aviso

Após reação negativa com nova política de privacidade, WhatsApp tem outro alerta para tentar explicar melhor as mudanças

Victor Hugo SilvaPor

Mesmo com a repercussão negativa entre os usuários, o WhatsApp segue trabalhando para implementar sua nova política de privacidade. O aplicativo adiou a mudança para maio e, agora, trabalha em um novo aviso para quem ainda não aceitou os novos termos. O objetivo é oferecer informações mais claras sobre o que muda no serviço e o que é compartilhado com o Facebook.

WhatsApp muda aviso sobre nova política de privacidade (Imagem: Reprodução/WABetaInfo)

WhatsApp muda aviso sobre nova política de privacidade (Imagem: Reprodução/WABetaInfo)

O novo alerta foi encontrado pelo WABetaInfo na versão beta 2.21.4.13, mas ainda não foi liberado aos usuários. Segundo o WhatsApp, ele aparecerá para alguns usuários nas próximas semanas. Nas telas, o app afirma que está facilitando conversas com empresas. A plataforma aponta ainda que a política de privacidade foi atualizada para explicar como as contas comerciais podem administrar mensagens de clientes.

O Facebook, proprietário do WhatsApp, já havia anunciado em 2020 que ofereceria serviços para empresas gerenciarem mensagens trocadas com clientes. No novo alerta, o aplicativo diz que sua nova política apresenta mais informações sobre como as empresas podem usar as ferramentas do Facebook.

No aviso, o WhatsApp também pretende indicar que continua sem acesso às mensagens pessoais porque elas são protegidas com criptografia de ponta a ponta. “Isso nunca vai mudar”, diz o aplicativo. Por fim, o serviço apresentará links para quem deseja mais informações sobre a mudança na política de privacidade.

WhatsApp teve reação negativa com nova política

A nova política do WhatsApp entraria em vigor em 8 de fevereiro, mas foi adiada para 15 de maio por conta da repercussão negativa. Após anunciar a mudança, o mensageiro viu concorrentes como Telegram e Signal ficarem mais populares nas lojas de aplicativos de vários países.

Ao mesmo tempo, o WhatsApp entrou na mira de autoridades devido ao compartilhamento de dados com o Facebook. No Brasil, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) e o Procon-SP notificaram a plataforma em busca de mais detalhes sobre a mudança. Ainda não há informações sobre queda no número de usuários do aplicativo, mas a reação ao anúncio da nova política certamente levou à mudança na abordagem.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
3 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Sérgio (@trovalds)

Quero mais é que o povo migre e eu fique só com Telegram como mensageiro. Mas um bom tanto de gente aceitou sem ler mesmo, como de costume. Segue o baile.

Crowley Curado (@Crowley_Curado)

pois é…, o que esperar de uma empresa onde o dono é um idiota, que nunca teve que ouvir um não na vida, sempre teve tudo, nunca teve um chefe, nunca precisou ser humilde e saber seu lugar. Agora o sujeito se transformou em um louco que acha que seus clientes são seus peões, ou coisa parecida, o cara se acha no direito de exigir que seus consumidores aceitem seus termos ou perdam os seus direitos de uso… pois é… é isso aí, a realidade é essa, aceite ser monitorado, espionado, manipulado, bisbilhotado, e até usado, etc… etc… etc…, ou saia fora, UMA pessoa normal e responsável sairia fora…, é a coisa mais sensata e menos covarde a se fazer, porque rede social tem milhares por aí, e até de melhor qualidade e principalmente confiável…, agora, uma rede social de merda tem facebook & whatsapp & instagram…