Início » Telecom » Claro, NET e Embratel anunciam integração de serviços

Claro, NET e Embratel anunciam integração de serviços

Por
6 anos e meio atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

O trio de gigantes brasileiras da área de telecom Claro, NET e Embratel anunciaram hoje que vão se oferecer seus serviços na forma de um enorme pacote de telecomunicações. Isso é possível graças ao projeto de lei 116, que foi ratificado pelo presidente em setembro e deixa que entidades fora do Brasil controlem distribuidoras de conteúdo no país. As três são de propriedade do milionário mexicano Carlos Slim, mas ele não podia exercer poder controlador sobre elas por causa das legislação.

Fontes do TB ligadas à uma das empresas já haviam nos informado que na terça-feira mesmo as centrais de atendimento da NET passaram a atender também clientes da Claro, evidenciando que uma certa fusão já começou a tomar forma (embora as três neguem qualquer possibilidade de fusão), além de afirmar também que a participação da Globo diminuiu consideravelmente dentro da NET.

Outra fonte também afirmou que a empresa tem planos de começar a vender o serviço de banda larga da NET em conjunto com os planos de Internet 3G da Claro, mas agora sabemos que isso vai bem além: de acordo com o G1, o novo plano de serviços, chamado Combo Multi, vai incluir os serviços de banda larga, TV por assinatura, vídeo sob demanda, acesso a pontos WiFi e telefonia fixa. Ele começa a ser vendido a partir do dia 15 de outubro e terá mensalidades variando entre R$ 400 e R$ 700. As empresas garantem que isso representa uma economia de até 30% em alguns casos.

Apesar de achar um exagero oferecer banda larga e acesso 3G no mesmo plano, creio que há espaço para um combo gigante de telecomunicações que inclua também serviços de TV por assinatura. Resta saber se esse plano vai ser bem aceito por consumidores brasileiros ou se eles ainda preferem separar as operadoras de telecomunicações, TV e telefonia.

Pelo lado bom, isso vai diminuir a papelada no Procon: eles vão poder registrar reclamações contra uma empresa só.

Mais sobre: , ,