Início » Telecom » 4G/LTE: saiba como o 4G funciona

4G/LTE: saiba como o 4G funciona

Conexão móvel de alta velocidade pode chegar aos 100 Mbps.

Por
6 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

WCDMA, LTE, HSDPA, HSUPA, GSM, PQP! A telefonia móvel nos reserva uma sopa de letrinhas para designar os vários padrões e tecnologias de transmissão de dados. Veja abaixo os padrões mais comuns para as três gerações de telefonia celular. — arte por Marcel Müller (@grigio)

Long Term Evolution, ou simplesmente LTE. A tal tecnologia de quarta geração ainda deixa muitas dúvidas em nossas cabeças. O que é exatamente o LTE e para que serve? Conheça um pouco mais dessa tecnologia que está sendo cada vez mais procurada.

O LTE é uma tecnologia móvel de transmissão de dados que foi criada com base no GSM e WCDMA. A diferença é que, dessa vez, a tecnologia prioriza o tráfego de dados em vez do tráfego de voz, como acontecia em gerações anteriores. Isso proporciona uma rede de dados mais rápida e estável.

Veja tambéma diferença entre LTE, 4G, 4G+, 4,5G e 5G

Aliás, quando o LTE foi criado, não existia voz trafegando sobre a rede. Para que a rede suportasse ligações, as operadoras precisaram adaptar a rede. Existem duas possibilitades: uma dela é de, no momento de receber a ligação, rebaixar o dispositivo móvel para a rede GSM/WCDMA. A outra possibilidade surgiu um pouco depois, com a criação do VoLTE, no qual o telefone funciona normalmente na rede 4G.

É a tecnologia padrão para a evolução das atuais redes GSM/WCDMA. Ainda assim, algumas operadoras com tecnologia CDMA, como as americanas Verizon e Sprint, optaram por aderir à tecnologia.

Diferencial

O principal diferencial do LTE é a rede de dados. Em testes de laboratório, uma rede experimental de LTE, com 20 MHz de espectro, alcançou, aproximadamente, 300 Mbps de downstream e 75 Mbps de upstream. Entretanto, a velocidade real de navegação beira aos 100 Mbps de download e 50 Mbps de upload. O tempo de resposta do LTE é visivelmente mais baixo em relação ao que conhecemos das redes 3G: em condições normais, a latência da rede chega a, no máximo, 30 ms.

Outra tecnologia: O que é VoLTE e como ativar a ligação por 4G

Outra diferença é sobre a quantidade de usuários pendurados na rede: 5 MHz de espectro permitem até 200 acessos simultâneos — praticamente o dobro das redes atuais.

Ainda, o LTE permite manter a velocidade e latência quando utilizados em movimento, em uma velocidade de até 350 km/h. Dependendo da frequência de operação da rede, esse valor sobe para 500 km/h.

LTE no mundo                                                                                             

O primeiro modem LTE do mundo

O LTE já se encontra em operação em 32 países da Europa, Ásia, Oceania e Américas. A primeira rede LTE no mundo foi lançada em dezembro de 2009 na Suécia pela operadora TeliaSonera. Hoje, no mundo, as redes LTE estão mais abrangentes, mas ainda assim não é algo tão comum. O 4G ainda continua sendo um serviço caro e para poucos, já que, mesmo lá fora, a rede 4G não possui cobertura a nível nacional.

Fiz uma pesquisa sobre como três operadoras, de diferentes países, cobram pelo serviço:

  • Antel (Uruguai): UYU 1780$ (aprox. R$ 164,24) pelo plano ilimitado na velocidade de 20 Mbps.
  • Rogers (Canadá): 81,93 CAD (aprox. R$ 143,87) pelo plano que inclui 9 GB de tráfego. Cada GB excedente custa 10 CAD (aprox. R$ 17,56).
  • Verizon Wireless (Estados Unidos): US$ 80 (aprox. R$ 142,72) pelo plano com 10 GB de tráfego. Cada GB excedente custa US$ 10 (aprox. R$ 17,84).

LTE no Brasil

A verdade é que já temos uma rede LTE por aqui. Trata-se da Sky, que iniciou em janeiro suas operações de internet banda larga em Brasília. A empresa de televisão por assinatura passou a oferecer o acesso fixo, já que a SKY não tem licença para acessos móveis. As velocidades comercializadas são de 2 Mbps e 4 Mbps, ao custo mensal de R$ 79,90 e R$ 99,90 respectivamente.

Veja: como saber se o seu celular é compatível com o 4G do Brasil

A Sky deve expandir sua cobertura para mais cidades: a gigante da TV por assinatura fechou a compra da Acom (que atua como JET TV), que é a maior operadora MMDS do país. Como a frequência de operação entre MMDS e LTE é a mesma, é certo que, em breve, a SKY inicie suas operações em 53 cidades das regiões metropolitanas de Manaus (AM), Ipatinga (MG), Juiz de Fora (MG), Campos dos Goytacazes (RJ), Volta Redonda (RJ), Santos (SP) e parte da região Nordeste.

Entretanto, com o tempo, outras operadoras entrarão em operação com o LTE: em fevereiro desse ano, a ANATEL realizará um de três blocos com 20 MHz de espectro e mais um bloco de 10 MHz, todos para a operação em 2,5 GHz.

Até lá, e até as operadoras começarem a montar suas redes, só nos resta babar com toda essa velocidade: diz que não bate uma certa inveja…

(Vídeo do YouTube)

Obs.: No infográfico colocamos “download” e “upload” para facilitar a compreensão.