Início » Telecom » LTE: saiba como o 4G funciona

LTE: saiba como o 4G funciona

Conexão móvel de alta velocidade pode chegar aos 100 Mbps.

Por
5 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

WCDMA, LTE, HSDPA, HSUPA, GSM, PQP! A telefonia móvel nos reserva uma sopa de letrinhas para designar os vários padrões e tecnologias de transmissão de dados. Veja abaixo os padrões mais comuns para as três gerações de telefonia celular. — arte por Marcel Müller (@grigio)

Long Term Evolution, ou simplesmente LTE. A tal tecnologia de quarta geração ainda deixa muitas dúvidas em nossas cabeças. O que é exatamente o LTE e para que serve? Conheça um pouco mais dessa tecnologia que está sendo cada vez mais procurada.

O LTE é uma tecnologia móvel de transmissão de dados que foi criada com base no GSM e WCDMA. A diferença é que, dessa vez, a tecnologia prioriza o tráfego de dados em vez do tráfego de voz, como acontecia em gerações anteriores. Isso proporciona uma rede de dados mais rápida e estável.

Aliás, quando o LTE foi criado, não existia voz trafegando sobre a rede. Para que a rede suportasse ligações, as operadoras precisaram adaptar a rede. Existem duas possibilitades: uma dela é de, no momento de receber a ligação, rebaixar o dispositivo móvel para a rede GSM/WCDMA. A outra possibilidade surgiu um pouco depois, com a criação do VoLTE, no qual o telefone funciona normalmente na rede 4G.

É a tecnologia padrão para a evolução das atuais redes GSM/WCDMA. Ainda assim, algumas operadoras com tecnologia CDMA, como as americanas Verizon e Sprint, optaram por aderir à tecnologia.

Diferencial

O principal diferencial do LTE é a rede de dados. Em testes de laboratório, uma rede experimental de LTE, com 20 MHz de espectro, alcançou, aproximadamente, 300 Mbps de downstream e 75 Mbps de upstream. Entretanto, a velocidade real de navegação beira aos 100 Mbps de download e 50 Mbps de upload. O tempo de resposta do LTE é visivelmente mais baixo em relação ao que conhecemos das redes 3G: em condições normais, a latência da rede chega a, no máximo, 30 ms.

Outra diferença é sobre a quantidade de usuários pendurados na rede: 5 MHz de espectro permitem até 200 acessos simultâneos — praticamente o dobro das redes atuais.

Ainda, o LTE permite manter a velocidade e latência quando utilizados em movimento, em uma velocidade de até 350 km/h. Dependendo da frequência de operação da rede, esse valor sobe para 500 km/h.

LTE no mundo                                                                                             

O primeiro modem LTE do mundo

O LTE já se encontra em operação em 32 países da Europa, Ásia, Oceania e Américas. A primeira rede LTE no mundo foi lançada em dezembro de 2009 na Suécia pela operadora TeliaSonera. Hoje, no mundo, as redes LTE estão mais abrangentes, mas ainda assim não é algo tão comum. O 4G ainda continua sendo um serviço caro e para poucos, já que, mesmo lá fora, a rede 4G não possui cobertura a nível nacional.

Fiz uma pesquisa sobre como três operadoras, de diferentes países, cobram pelo serviço:

  • Antel (Uruguai): UYU 1780$ (aprox. R$ 164,24) pelo plano ilimitado na velocidade de 20 Mbps.
  • Rogers (Canadá): 81,93 CAD (aprox. R$ 143,87) pelo plano que inclui 9 GB de tráfego. Cada GB excedente custa 10 CAD (aprox. R$ 17,56).
  • Verizon Wireless (Estados Unidos): US$ 80 (aprox. R$ 142,72) pelo plano com 10 GB de tráfego. Cada GB excedente custa US$ 10 (aprox. R$ 17,84).

LTE no Brasil

A verdade é que já temos uma rede LTE por aqui. Trata-se da Sky, que iniciou em janeiro suas operações de internet banda larga em Brasília. A empresa de televisão por assinatura passou a oferecer o acesso fixo, já que a SKY não tem licença para acessos móveis. As velocidades comercializadas são de 2 Mbps e 4 Mbps, ao custo mensal de R$ 79,90 e R$ 99,90 respectivamente.

A Sky deve expandir sua cobertura para mais cidades: a gigante da TV por assinatura fechou a compra da Acom (que atua como JET TV), que é a maior operadora MMDS do país. Como a frequência de operação entre MMDS e LTE é a mesma, é certo que, em breve, a SKY inicie suas operações em 53 cidades das regiões metropolitanas de Manaus (AM), Ipatinga (MG), Juiz de Fora (MG), Campos dos Goytacazes (RJ), Volta Redonda (RJ), Santos (SP) e parte da região Nordeste.

Entretanto, com o tempo, outras operadoras entrarão em operação com o LTE: em fevereiro desse ano, a ANATEL realizará um de três blocos com 20 MHz de espectro e mais um bloco de 10 MHz, todos para a operação em 2,5 GHz.

Até lá, e até as operadoras começarem a montar suas redes, só nos resta babar com toda essa velocidade: diz que não bate uma certa inveja…


(Vídeo do YouTube)

Obs.: No infográfico colocamos “download” e “upload” para facilitar a compreensão.

  • Quero muito isso, nem consigo imaginar que lindo ia ser uma navegação móvel no meu notebook a 10MB.

    No smart então nem falo nada =D

    • Lucas Sandoval

      O governo deveria acabar com a anatel. A Anatel, além de ser cabide de empregos, serve para proteger o cartel de empresas que atuam no Brasil. O que realmente vai nos trazer internet de qualidade? Fim da Anatel e da MAIORIA da regulamentação do setor. A diminuição da carga tributária do setor. O mais importante: trazer vááárias empresas com estrutura física e permitir que operadoras virtuais também possam competir.

  • @

    Sem esquecer da HSUPA, que seria um 3.75G, ela dá um “boost” nos Uploads…

  • Rede LTE substituindo internet “fixa” a preços compatíveis com acesso fixo? Interessantíssimo. Uma boa solução pra cidades interioranas e pros buracos de cobertura de ADSL presentes nas periferias e cidades da região metropolitana das metrópoles, pois poderia permitir aos clientes ficarem livres da famigerada “internet a rádio”.

    • Leonardo Santos

      Cara se for preço acessível pra que uma internet de hoje? vc paga 10Mbps e recebe 1Mbps só…

      • @_eliasalberto

        Conheço gente que depende de internet a rádio na região metropolitana de BH, e estaria felicíssima em receber 1mbps efetivo e estável. Infelizmente, a cobertura da internet banda larga (adsl e cabo) no Brasil é muito precária, exceto nos bairros não-periféricos das metrópoles. Em cidades de interior, ADSL de 2mb é raridade e internet a cabo é inexistente; todo mundo depende de internet a rádio.
        O meu ponto é: se as redes 4G permitirem a prestação dos serviços de internet com qualidade equivalente a de conexões residenciais fixas (leia-se: mesma disponibilidade, estabilidade e latência de uma conexão ADSL), permitirá uma inclusão digital muito mais eficaz e de maneira muito mais econômica do que a implantação de infra-estrutura física que chegue até a casa dos clientes. É um mercado que a internet a rádio vinha cobrindo, mas quem depende dela já sabe que a estabilidade é péssima, deixa de funcionar com qualquer chuvinha, a latência também é horrorosa e a velocidade é sofrível.

        • Obviamente não é apenas uma questão de largura de banda; não adianta muito o sujeito conseguir 4Mbps efetivos se ele só tem uma franquia de 10Gb.

    • Seria ótimo se a ANATEL liberasse as frequências de 800MHz pra utilização da tecnologia LTE. A Sprint, operadora dos EUA, fez um prospecto de como ficaria a cobertura das redes dela depois que ela começasse a implantação do LTE nas frequências de 1900MHz (primeiro par de mapas) e em 800MHz (segundo par de mapas), vide link http://www.androidpolice.com/2012/01/13/sprints-1900mhz-network-vision-is-nice-but-the-800mhz-rollout-will-drop-your-jaw/

    • Jesuel Prudencio

      Uai mas internet 4G tambem não é via radio??? Ou vai ter um cabo ligado no telefone??
      Espera chover, dar raios e trovoes, construirem um predio em frente sua residencia, vai ser
      a mesma m…

  • “SOPA de letrinhas”
    trocadilho infame…

  • Infográfico no TB? OMG!
    Ficou massa!

  • Scott

    O texto e o infográfico ficaram bem massas. Parabéns aos envolvidos. (Tecnocenter effect? :P)

    Vale lembrar que, tecnicamente, a especificação atual da tecnologia LTE não adere ao padrão IMT-Advanced, ou seja, não é o 4G como deveria ser na teoria. Mas, comercialmente, é perfeitamente aceitável chamar o LTE de 4G.

    (Aliás, aguardando comentários sobre o “Mbps” e “kbps” do infográfico.)

    • Não vi nada de errado. O k minúsculo é abreviatura de “kilo”, equivalente a 10³. O M maiúsculo é abreviatura de “mega”, equivalente a 10⁶. O que não pode é confundir o m maiúsculo e o minúsculo, pois o m minúsculo é abreviatura de “mili”, equivalente a 10⁻³.

      • Scott

        O correto de acordo com o sistema internacional de unidades é Mb/s e kb/s. Essa mania de escrever “ps” para indicar “por segundo” (per second) é coisa de estadunidente, não é o padrão.

        (Aprendi isso aqui nos comentários do Tecnoblog. É uma longa discussão sem fim entre um comentarista e os editores do blog. E eu prefiro não entrar nessa discussão.)

  • David

    Aqui no Brasil o LTE será limitado a 10mb de down e 3mb de Up por motivos técnicos…

    • Na verdade provavelmente continuará sendo 1mb e 300kbps…

    • Jesuel Prudencio

      Ou seja, falta de planejamento, torres muito distantes, contruçoes atravessando o spectro… Vamos entender uma coisa, o que interfere ou não no sinal 3G 4G 10G??A limpidez do spectro, ok, porque o sinal é” via radio”. Em paises desenvolvidos, geralmente a estrutura fisica da cidade, ou seja, predios, grandes contruçoes, foi feita ai pelos anos 30 ate os anos 80, outras centenarias, enfim, quando a tecnologia chegou os engenheiros ja planejaram suas torres dentro da estrutura existente e pouca coisa mudou desde entao.. Aqui no Brasil não, as empresas mapearam terreno, colocaram torres praticamente no meio do mato, e de repente a cidade começou crescer, predios pra todos os lados, de forma que nem celular, que utiliza uma banda de no maximo 10k, funciona mais! Pra funcionar como na Europa, que tem 1 torre a cada 8Km (Inglaterra), vai ter de mudar muito, porque se nao mudar nao vai ter melhora.. A começar com mais implantação de torres, porque aqui no Brasil temos uma torre a cada 140KM, acreditem se quiser, NÃO VAI FUNCIONAR COMO PROMETEM! Deveriam primeiramente fazer funcionar as redes de voz, que é pra isso que celular deveria servir!

  • Breno Caldeira

    LTE?! Não quero isto por agora, estou satisfeito com uma HSDPA que funcione direito e em seu limite 😀

    • Guilherme macedo

      Ai lançam LTE pra ficar com qualidade lá em baixo….. Brasil é foda….

  • Gabriel F. Moraes
  • Ter 100Mbps de download e só 10GB de dados é broxante.

  • “Antel (Uruguai): UYU 1780$ (aprox. R$ 164,24) pelo plano ilimitado na velocidade de 20 Mbps.”

    Interessante, ainda mais por não ter aqueles limites toscos que todas as operadores móveis amarram aos planos por aqui!!!

  • Eh possível que meus netos (daqui uns 20anos) consigam ter uma conexão dessas aqui no Brasil !!

  • Rodrigo

    Lembrando que HSDPA e HSUPA também são WCDMA, assim como o EDGE (2,5G) era também GSM.

    Outro ponto é que o WCDMA já prioriza o tráfego de dados.

  • LTE/4G = Lag zero.

  • No Brasil as operadoras vão liberar 10Mb e quando ultrapassar a banda 300kbps

  • Só uma observação, levantada pelo @cesaraovivo no Facebook: a rede LTE da Telstra opera em 1800 MHz, os mesmos utilizados pela TIM e Oi por todo o Brasil. Ou seja: as operadoras já podem operar com essas frequências. 😀

  • Quanto tempo leva será pra alcançar o Brasil inteiro? Uns 5 anos?

  • Momento oportuno pra tirar uma dúvida beeem noob:

    Qual é a diferença entre Megabit por segundo e Megabyte por segundo? O que a gente contrata nesses planos de “5 mega”, “10 mega” se refere a qual das duas medidas?

    • Megabit por segundo (Mbps ou Mb/s) diz respeito a velocidades de rede. Megabyte por segundo (MBps ou MB/s) diz respeito a leitura e gravação de dados num disco rígido, por exemplo.

      Os “Mega” dos anúncios de telecomunicações são sempre Mbps.

      • Gustavo

        Thássius, a diferença na verdade está na unidade utilizada… 1 byte = 8 bits.
        Logo, 10 Mbps (Mega Bits por segundo) é igual a 10/8 MBps ou seja, 1,25 MBps.

  • Sem dúvida, a tecnologia 4G poderá alcançar as periferias das grandes cidades e municípios pequenos, substituindo o acesso fixo aonde as operadoras não querem levá-lo.

    Agora, vamos esperar se a LTE chega rápido a grande parte do país até à Copa. Meu receio é que as operadoras continuem apenas com esse “3G+” e não invistam no 4G, com a velha desculpa do “custo de implantação”.

  • Fer

    Viver no Brasil só é bom para funkeiros mesmo, que não tem um cérebro para saber que é bom.
    Enquanto o HSPA tem velocidade de 7,2 Mbps, no Brasil opera a no máximo 3, enquanto o HSPA+, que tem velocidade de até 14 Mbps, no Brasil chega no máximo a 7! Como se só o nome bastasse… Prefiro um HSPA que preste a um HSPA enganoso!

    • Fer

      HSPA+ enganoso*

  • Vixx.. Se nem as redes 2G/Edge aqui funcionam direito, imagina a LTE..

    O pior é que pago mias que o valor mais caro lá do Uruguai para ter uma bosta de conexão pela Vivo, que só funciona bem em alguns lugares e de vez em quando.. E pago MUITO mais caro que isso por um Virtua de 10 MB que só me dá 1mb real, quando não chove, claro, para usar..

    Quem sabe meus tataranetos tenham algo melhor, quando ,talvez os pais, filhos e netos da Ditadura (os que eram contra, ou são aliados dos ditadores e estão no mesmo bolo) que sempre priorizou e sempre priorizará seus próprios interesses ao invés da necessidade do povo, possam ter algo decente de conexão..

    Mals aí pelo discurso político, mas precisar de internet fixa e móvel, pagar 500 mangos para ter os dois com um serviço porco desses é muito revoltante..

  • Lucas Herrera

    Preços no Brasil (lançamento em Dezembro de 2013)
    Mensal R$ 299,99 limite de 5GB
    GB excedente: R$ 100,00

  • Paulo

    Véi na boa…

  • mac ss

    ta errado esse calculo cria vergonha,gustavo

  • Vamos pensar positivo. Se as empresas abaixarem o custo do HSPA+ pelo menos garante 3 mega. O LTE é caro no mundo todo. Com o tempo vai ficar mais barato

  • Jesuel Prudencio

    Uhauha.. a bagaça pega 100 Mb, um Nokia ja atingiu 1,6 Gb de velocidade e os caras vao vender 2 mb a 79,90 e 4Mbs a 99,90… Oh… Como dizia o grande mestre Ronald Golias ” Uala!!!” … Olha so como tudo que chega atrasado ja chega gerando prejuizos! Nas grandes capitais do Brasil, que é por onde as operadoras vao começar, ta uma concorrencia desgracilda, tem empresa vendendo 10 mbs a 29,90 com WIFI, entenderam o futuro??? Tem uma empresa aqui em Curitiba que vai vender internet sem necessidade de linha telefonica 40/40 Mbs a 140,00 e 100/100mb a 360,00… Cara 140,00 reais 40Mb, olha só! sabem o que é 100Mbs? Imaginem 100 clientes num shoping assistindo 1 video de alta definação no Youtube ao mesmo tempo! Qualquer boteco das capitais tera wifi gratuita, escolas, boca de fumo….Cara quem vai querer pagar tudo isso pra ter internet movel? É claro, temos os executivos, empresarios, etc… ou seja, não vai ser popular e nem tem necessidade de ser ! Que venham as redes WiFI, comerciantes, escolas , shoping vamos impregnar as cidades de internet gratis ( ou quase, porque vou ter de comprar uma coxinha pra poder usar), viva a Dilma !!!

    • adriano

      comentário de 5 anos atrás, podemos ver que agora caiu bastante o preço, eu pago R$ 75,00 por 100 Mb de internet (não móvel), há alguns lugares que continuam o preço alto por pouca velocidade de Mb/s, já alguns lugares é preço de banana. É importante saber que o Brasil tem projetos espaciais para o lançamento de +2 satélites (já lançado 1) Geoestacionários que vão distribuir internet via satélite gratuita para regiões sem possibilidade de uma expansão à partir das industrias comerciais como a NET, por exemplo, esses locais se encontram no nordeste, norte, noroeste a oeste, e uma parte do sul a sudoeste, visando também o centro-oeste ao leste. Podemos ver que aos poucos o Brasil vai caminhando, e o futuro sempre em movimento mudando os fatores presentes hoje em nossa realidade.

      • Rômulo Nascimento

        Gostei muito desse passo do Brasil, ao lançar esse satélite em órbita. Deu até orgulho!! rsrs Espero que seja não só um passo rumo ao “futuro”, mas que sejamos todos beneficiados, inclusive com redução de preços nos serviços de comunicações, principalmente, internet.

  • hallankb

    O 3G Plus da Vivo atinge em média no meu iPhone 7,0 Mbps de download e 1,83 Mbps de upload, raramente da abaixo de 1,0 Mbps de upload, porém a latencia fica perto de 80.

  • Joaildo Rodrigues Dos Santos

    a anatel poderia liberar a licensa scm para pequenos provedores. criar uma frequência que ele pode atender no bairro,ai sim teriamos qualidade.

    tipo criar 5.7 exclusivo para pequenos provedores.

    bye!!

  • Eliandro Alcides

    so quero saber que dia vai chega aqui em cuiaba!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • Wilson Teixeira

      Fortaleza tem, pelo menos teoricamente, a melhor Internet do Brasil, pois é a cidade de onde partem os cabos submarinos que interligam a Internet do Brasil, com o restante do mundo. Todo o tráfego internacional da Internet brasileira, passa por Fortaleza.

      • adriano

        USP, pra ser exato.

    • DrHeli Correia

      O objeivo da tecnologia wimax 4g lte desde o seu início foi criar uma conexão boa e com baixo custo sem cabos, mas isso efetivamente só ocorrerá no Brasil e no mundo quando as redes 4g já estiverem massificadas, tipo daqui a uns 5 ou 8 anos e claro dependerá do empenho governamental em criar redes free ou de baixa renda/custo ao usuário doméstico para acesso à informação, concorrendo assim diretamente com as operadoras de telefonia fixa-móvel e móvel. O wifi ainda é a melhor opção, todo o resto é quebra galho !!!

    • Anonimo

      Esse LTE é muito bom, mas LTE advacerd é ainda melhor, velocidade de download é 1000 Mps e upload é 500 Mps, isso que internet.

    • Alecsandro Silva

      rindo até 2036 wi-fi na boca de fumo uashuashuashuashuashuashasuhasuhasuh