Google Maps “atropela” mulher e é processado

João Brunelli Moreno
Por

Uma navegante norte-americana chamada Lauren Rosenberg está processando o Google depois de ter sido atropelada ao seguir instruções do Google Maps. O caso aconteceu na cidade de City Park, no estado de Utah.

De acordo com informações do site Search Engine Land no último dia 19 de janeiro a mulher usou o o site de mapas para fazer um caminho à pé que passava por uma estrada chamada Deer Valley, sem calçadas ou outras instalações adequadas ou seguras para pedestres. Depois de caminhar por cerca de 800 metros pelo local, “com carros passando a seu lado em alta velocidade”, ela foi atingida pelo carro de um sujeito chamado Patrick Harwood e enviada ao hospital com diversos ferimentos.

Isso foi o suficiente para que Rosenberg entrasse na justiça contra o gigante da web: “Como causa direta e imediata o Google é negligente e imprudente na prestação de serviços de informações de direções. A autora foi levada a uma estrada perigosa e assim atingida por um veículo, sofrendo graves lesões físicas, emocionais e mentais”, afirmam seus advogados.

Apesar do Google Maps exibir um aviso de que determinados caminhos feitos à pé podem não contar com calçadas ou caminhos específicos para pedestres, a mulher diz que tal alerta não foi feito na versão do serviço em seu smartphone Blackberry (como se isso fosse algum tipo de justificativa para andar calmamente pelo o que parece ser uma estrada relativamente movimentada).

Os advogados de Rosenberg pedem uma indenização de US$ 100 mil (R$ 186 mil) “para cobrir despesas médicas e punir o Google por sua negligência”.

Relacionados

Relacionados