Guias Celular

Comparativo: iPhone SE (2022) vs iPhone 11; qual é a diferença?

iPhone SE (2022) tem visual datado e Apple A15 Bionic enquanto iPhone 11 traz tela com notch e câmera dupla de 12 megapixels

Bruno Gall De Blasi
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

A Apple lançou a terceira geração do seu celular menos caro: o iPhone SE (2022). O smartphone chegou às lojas com visual datado, uma única câmera e o mesmo processador do iPhone 13, o Apple A15 Bionic. Mas qual é a diferença entre o lançamento e o iPhone 11? Veja o que muda entre os modelos no comparativo a seguir.

Comparativo: iPhone SE (2022) vs iPhone 11; qual é a diferença? (Imagem: Guilherme Reis/Tecnoblog)
Comparativo: iPhone SE (2022) vs iPhone 11; qual é a diferença? (Imagem: Guilherme Reis/Tecnoblog)

O que muda entre o iPhone SE (2022) e o iPhone 11?

iPhone SE (2022)iPhone 11
TelaIPS LCD de 4,7 polegadas com resolução 1334 x 750 pixelsIPS LCD de 6,1 polegadas com resolução de 1792 x 828 pixels
BiometriaTouch IDFace ID
Câmera traseira12 megapixels– principal: 12 megapixels
– ultrawide: 12 megapixels
Câmera frontal7 megapixels12 megapixels
ProcessadorApple A15 BionicApple A13 Bionic
5G?simnão

Face ID ou Touch ID? Eis a questão

A Apple manteve o visual datado do iPhone 8, de 2017, na nova geração do iPhone SE. Isto significa que o celular possui tela sem notch, mas com bordas bem espessas nas porções superior e inferior. E por falar na parte de baixo, o smartphone ainda tem o Touch ID embutido no botão Home, como nos modelos mais antigos.

O visual datado, por outro lado, tem lá as suas vantagens. Comecemos pelo leitor de digitais que, confesso, volta e meio sinto falta no meu iPhone 13. Além disso, nos testes do Tecnoblog, o nosso autor Darlan Helder ressaltou que o telefone ofereceu um desbloqueio rápido e sem problemas de reconhecimento da biometria.

O iPhone 11, por outro lado, segue a tendência lançada pelo iPhone X no mesmo ano: a famosa tela com notch. Isto significa que o smartphone não traz o clássico botão Home e o Touch ID, mas possui o Face ID. Ou seja, para desbloquear a tela, acessar apps, entre outras funções, é preciso usar o reconhecimento facial como biometria.

O Face ID agrega outra vantagem ao smartphone: efeitos. Graças ao TrueDepth, os sensores podem ser utilizados para desfocar ou escurecer o fundo de selfies. Os usuários também conseguem animar os Memojis com o auxílio dos componentes.

Apple iPhone SE (2022) manteve visual do iPhone 8 (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Apple iPhone SE (2022) manteve visual do iPhone 8 (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Telas LCD com e sem notch

Obviamente, não é só o visual e a biometria que mudam no quesito design. O iPhone SE (2022) também traz a menor tela da dupla, de 4,7 polegadas, com resolução de 1334 x 750 pixels. Na prática, segundo o nosso review, as bordas espessas acabaram atrapalhando a experiência:

“Eu realmente gosto de celulares pequenos, porém eu tive uma certa dificuldade para usá-lo durante esta análise”, disse Darlan Helder em seus testes. “Há uma sensação de que tudo fica muito espremido, prejudicando a visualização e, não, desta vez, não foi culpa da minha miopia.”

A experiência é oposta ao do iPhone 11. No lugar das bordas espessas, o smartphone possui um pequeno recorte na parte superior central, igual ao iPhone X e os modelos mais recentes. E digo por experiência própria: o notch pode ser estranho no começo, mas depois que você se acostuma, a imersão é gigantesca.

O celular também tem um painel IPS LCD, mas tudo é maior: a tela mede 6,1 polegadas e a resolução é de 1792 x 828 pixels. Durante os testes do Tecnoblog, Paulo Higa destacou que o display entregou uma excelente qualidade: “as cores são equilibradas, com uma calibração parecida com a das telas OLED da Apple; e o contraste é ótimo, chegando quase ao preto absoluto”, afirmou.

Apple iPhone 11 possui tela com notch (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)
Apple iPhone 11 possui tela com notch (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Câmeras de 12 megapixels

O iPhone 11 leva vantagem em outro quesito: o conjunto fotográfico. O smartphone possui duas câmeras de 12 megapixels, sendo uma delas com lente ultrawide. Na prática, isto significa que o celular dá a faca e o queijo na sua mão para explorar diversos ângulos na hora de fotografar.

A qualidade segue a marca registrada da Apple. No nosso review, o celular tirou fotos com excelente definição, alcance dinâmico muito bom e cores equilibradas em boas condições de iluminação. No escuro, os registros permaneceram ótimos, desde que o modo Noite esteja ativado.

O iPhone SE (2022) entrega outra perspectiva. Isto porque o smartphone só possui um único sensor de 12 megapixels, que chegou a tirar fotos boas para o cotidiano na análise do Tecnoblog. O problema, no entanto, é quando as imagens são feitas em ambientes noturnos:

“A Apple, curiosamente, não aproveitou todo o poder do A15 Bionic e, por consequência, o iPhone SE nem sempre lida adequadamente com ambientes escuros. Isso acontece porque ele não tem modo noturno. Não, você não entendeu errado. O iPhone 13, que tem o mesmo processador do SE, tem modo Noite. Difícil de engolir essa decisão, não é? 

Eu até gostei destas imagens em ambientes escuros e o que realmente ajudou nessa qualidade foram as iluminações artificiais, que, de certa forma, ajudaram a inibir a granulação. Mesmo assim, note que em algumas áreas os postes ficam com as luzes estouradas, algo que o processamento de imagem com certeza resolveria.”

Darlan Helder no review do iPhone SE (2022)

O iPhone 11 ainda possui câmera frontal de 12 megapixels enquanto o iPhone SE (2022) tem um sensor para selfies de 7 megapixels.

Apple iPhone SE (2022) só tem uma câmera de 12 megapixels (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Apple iPhone SE (2022) só tem uma câmera de 12 megapixels (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Ficha técnica atualizada

O iPhone SE (2022), por outro lado, sai na frente quando o assunto é ficha técnica. Isto porque o celular foi anunciado com o Apple A15 Bionic, o mesmo processador do iPhone 13. Ou seja, a nova geração tende a entregar um desempenho próximo à safra de smartphones anunciada em setembro de 2022.

E é o que mostra o nosso review. Durante os testes, o telefone manteve aquele desempenho típico de qualquer iPhone: muita fluidez e velocidade até mesmo com jogos. O problema é que o modelo aqueceu rapidamente, especialmente em tarefas mais intensas, como jogos.

O mesmo acontece com o iPhone 11. O smartphone foi apresentado em 2019 com o Apple A13 Bionic, que também se destacou pelo bom desempenho na sua estreia. Porém, como se trata de um modelo mais antigo, é possível que o smartphone já não apresente toda a potência que tinha na época do lançamento.

iPhone 11 sai da caixa com Apple A13 Bionic (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)
iPhone 11 sai da caixa com Apple A13 Bionic (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Bateria com duração satisfatória

Ah, claro, a bateria. A Apple não informa a capacidade da peça, mas o iPhone SE (2022) apresentou um resultado mediano em nossa análise:

“Com o brilho da tela no máximo e conectado ao Wi-Fi de 5 GHz, nós consumimos duas horas de streaming de vídeo, uma hora de navegação nas redes sociais e encerramos o teste com 15 minutos de Asphalt 9. A bateria pulou de 100% para 54% após essas atividades.”

Darlan Helder no review do iPhone SE (2022)

O iPhone 11 também passou pelo nosso crivo com um resultado positivo: 

“No meu dia de teste, tirei o iPhone 11 da tomada às 9 horas, assisti a vídeos no YouTube e naveguei pela web pelo 4G por cerca de duas horas, escutei músicas por streaming no Apple Music por uma hora e capturei algumas fotos ao longo do dia, sempre com brilho no automático. Às 22 horas, o aparelho ainda tinha 47% de carga, o que é excelente e se mostrou até melhor que o Galaxy S10+, que possui uma bateria bem maior.”

Paulo Higa no review do iPhone 11

Claro, esta variação depende muito do uso. Todavia, é importante ressaltar que, para a Apple, o iPhone SE oferece até 15 horas de reprodução de vídeos. Já o iPhone 11 promete até 17 horas de vídeos.

Apple iPhone SE (2022) (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Apple iPhone SE (2022) tem até 256 GB de espaço (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

O que não muda entre o iPhone SE (2022) e o iPhone 11?

iPhone SE (2022)iPhone 11
RAM4 GB4 GB
Armazenamento64 GB, 128 GB e 256 GB64 GB, 128 GB e 256 GB
Resistência à água e poeira?simsim
Apple Pay?simsim
Dual SIM?simsim
eSIM?simsim

4 GB de RAM e até 256 GB de espaço

A Apple também não informa a RAM dos seus celulares. Todavia, especula-se que a dupla tenha 4 GB de memória, assim como o iPhone 13 e iPhone 13 Mini. A quantidade tende a favorecer os usuários na hora de utilizar a multitarefa sem engasgos.

O mesmo é dito ao armazenamento. Na hora da compra, o consumidor pode optar por modelos com 64 GB, 128 GB e 256 GB. O problema é que, como é de se imaginar, quanto maior o espaço, mais caro é o celular.

Vale ressaltar que a Apple não vende mais o iPhone 11 de 256 GB em sua loja virtual.

iPhone 11 oferece certificação IP68 (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)
iPhone 11 oferece certificação IP68 (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Resistência à água e poeira

A Apple passou a fortalecer aos seus celulares nos últimos anos. Parte desses avanços estão ligados à resistência à água e poeira, que oferece uma certa proteção aos smartphones a depender das condições. Os dois smartphones, no entanto, oferecem especificações diferentes neste quesito.

Comecemos pelo iPhone SE (2022). O telefone conta com a certificação IP67 que, segundo a Apple, garante resistência à mergulhos com profundidade máxima de um metro por até 30 minutos. O iPhone 11, por sua vez, consegue ir até dois metros graças à certificação IP68.

É importante ressaltar que, apesar da especificação, os dois celulares não são à prova d’água. Portanto, é melhor não abusar.

Apple iPhone SE (2022) tem visual datado com muitas bordas ao redor da tela (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Apple iPhone SE (2022) tem visual datado com muitas bordas ao redor da tela (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Apple Pay para pagamentos via NFC

O Apple Pay é um dos recursos mais interessantes do iPhone. Após cadastrar o seu cartão, você pode usar o seu telefone para fazer pagamentos por aproximação via NFC. E a Apple não fez diferente: os dois smartphones oferecem o recurso, que pode ser acionado pelo app Carteira (Wallet). 

A dupla ainda oferece suporte ao eSIM. Isto significa que você pode registrar uma linha de telefone virtualmente e colocar outro chip físico na gaveta para usar dois números ao mesmo tempo (Dual SIM). Além disso, a dupla conta com recarga sem fio e através do conector Lightning, mas não tem MagSafe.

Por fim, os celulares se beneficiam da política de atualizações da Apple. Para se ter uma ideia, o iPhone 6S foi anunciado em 2015 e recebeu o iOS 15, atualização liberada aos usuários em 2021. Mas, devido ao intervalo de tempo e por ser parecido com o iPhone 13 internamente, é provável que o iPhone SE (2022) receba mais updates do que o iPhone 11.

iPhone 11 permite fazeer compras via Apple Pay (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)
iPhone 11 permite fazeer compras via Apple Pay (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Afinal, qual comprar?

O iPhone chama bastante a atenção pela sua consistência ao passar dos anos. Pego o meu exemplo: em 2019, comprei um iPhone XR que ainda entrega um desempenho satisfatório em 2022. Não é a mesma coisa, mas o celular ainda está mais rápido que muitos modelos com Android lançados nos últimos meses.

Esta é a realidade do iPhone 11. Digo isto pois o celular ainda entrega muito poder de fogo e está cotado a receber as próximas atualizações do iOS. Além disso, o smartphone tem um design mais recente e possui duas câmeras de 12 megapixels, o que dá muitas asas à criatividade.

O iPhone SE (2022) também segue essa tendência. O smartphone oferece um bom desempenho, mas traz um visual datado e uma tela bem menor. Além disso, as câmeras não são lá um exemplo de qualidade absoluta, como os demais modelos mais recentes, mas quebram um galho com fotos do dia a dia.

Todavia, estas diferenças são representadas no preço. Confira os valores na loja virtual da Apple do Brasil:

iPhone SE (2022)iPhone 11
64 GBR$ 4.199R$ 4.999
128 GBR$ 4.699R$ 5.499
256 GBR$ 5.699

Os celulares são encontrados com valores menos caros no varejo, é claro. Ainda assim, não são iguais. Portanto, se você quer economizar, então dê uma olhada mais carinhosa no iPhone SE (2022). Agora, se o seu foco está na câmera e você pode gastar um pouco mais, o iPhone 11 pode ser a melhor opção.

Bruno Gall De Blasi

Bruno Gall De Blasi é jornalista e cobre tecnologia desde 2016. Sua paixão pelo assunto começou ainda na infância, quando descobriu "acidentalmente" que "FORMAT C:" apagava tudo. Antes de seguir carreira em comunicação, fez Ensino Médio Técnico em Mecatrônica com o sonho de virar engenheiro. Entrou para o Tecnoblog em 2020 e também escreveu para o TechTudo e iHelpBR.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque