Início / Notícias / Aplicativos e Software /

Fedora Linux 36 atrasa, mas chega com Gnome 42, visual repaginado e mais

Apoiada pela Red Hat, distribuição Linux Fedora 36 atrasou algumas semanas, mas trouxe conjunto consistente de novidades

Emerson Alecrim

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

O Fedora 36 era esperado para abril. A distribuição Linux acabou sendo lançada só agora, no mês de maio, mas isso não torna a novidade menos interessante. Até porque encontramos vários atributos por aqui. O Gnome 42, os novos recursos de personalização e o Wayland como servidor gráfico padrão estão entre eles.

Fedora Linux 36 com o Gnome 42 (imagem: divulgação/Fedora)
Fedora Linux 36 com o Gnome 42 (imagem: divulgação/Fedora)

Pelo menos entre usuários domésticos, é provável que o Ubuntu seja a distribuição Linux mais popular. Mas, apoiado pela Red Hat (hoje, uma companhia controlada pela IBM), o Fedora não fica muito atrás. O projeto aparece como uma opção para quem busca uma distribuição repleta de recursos, mas estável e robusta.

Gnome 42 é destaque

A característica mais notável do Fedora 36 é o Gnome 42. Não chega a surpreender. A relação entre a distribuição Linux e o ambiente de desktop existe há anos (mas outros ambientes também estão disponíveis).

Uma das funcionalidades trazidas pelo Gnome 42 é um modo escuro mais amplo. Como tal, o recurso é capaz de acionar o temo escuro não só nas interfaces do sistema, mas também nos aplicativos suportados. Com relação a esse aspecto, os desenvolvedores destacam que os papéis de parede não foram esquecidos. Há várias opções próprias para o modo escuro.

Fazer capturas de tela também ficou mais fácil. Quando o botão Print Screen é pressionado, agora, o usuário se depara com uma ferramenta que permite personalizar a captura. É possível selecionar só parte da tela ou fazer o cursor do mouse aparecer, por exemplo.

Já o gerenciador de arquivos Gnome Files recebeu um pequeno ajuste visual e incorporou uma função que classifica arquivos por data de criação. Enquanto isso, o Text Editor vem para substituir o Gedit (mas este ainda pode ser instalado pelo usuário).

Wayland e mais

A versão 36 também traz o Wayland como servidor gráfico padrão. Talvez alguns usuários estranhem esse anúncio, pois o recurso existe há algum tempo para máquinas com GPUs Intel e AMD. O que acontece é que, agora, o Wayland também passa a ser padrão para GPUs Nvidia. Isso pode incomodar alguns usuários, pois os drivers usados para isso são proprietários.

Talvez alguma coisa muda depois da recente decisão da Nvidia de abrir o código-fonte de parte de seus drivers no Linux. Se bem que existe uma discussão sobre o seu uso não ser possível no Fedora. A distribuição tem uma regra que proíbe módulos externos.

De todo modo, para quem não curte a ideia de usar o Wayland, o Xorg segue disponível.

Um detalhe curioso é que, até este ponto, as novidades da nova versão são parecidas com as do Ubuntu 22.04.

Outras novidades do Fedora 36 incluem o kernel Linux 5.17, o uso das fontes Noto (desenvolvidas pelo Google) como padrão para vários idiomas no sistema e um conjunto atualizado de softwares para desenvolvimento. Entre eles estão: OpenJDK 17, Golang 1.18, PHP 8.1 e Ruby 3.1.

Fedora Linux 36 com o Gnome 42 (imagem: divulgação/Fedora)
Fedora Linux 36 com o Gnome 42 (imagem: divulgação/Fedora)

Fedora 36: baixe agora

Se a distribuição te interessou, saiba que o Fedora 36 já pode ser baixado. Note que há três versões: Workstation, Server e IoT. A primeira é a que você deve baixar se quiser instalar o sistema operacional em um notebook ou desktop. É possível obter as imagens ISO ou usar o Fedora Media Writer, ferramenta que roda a distribuição a partir de um pendrive.

As versões Server e IoT são indicadas para servidores e plataformas de internet das coisas, respectivamente, como os nomes indicam.