Notícias Telecomunicações

Serviço Siga-me vira ferramenta para roubo da conta de WhatsApp

Golpistas fazem engenharia social, desviam chamadas de voz e recuperam código do WhatsApp por ligações; saiba como se prevenir

Lucas Braga
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Você provavelmente está cansado de ver as formas que os golpistas utilizam para roubar dados pessoais, certo? Mas aqui vai mais uma: criminosos conseguem acesso à contas do WhatsApp graças ao Siga-me, serviço que permite redirecionar todas as ligações recebidas para outro número.

Logotipo do WhatsApp
WhatsApp (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

O golpe foi explicado no Twitter por Shobhit Sharma, pesquisador de segurança da informação, que explicou como contas do WhatsApp estão sendo roubadas na Índia. Tudo está relacionado a engenharia social: um golpista convence a vítima a ligar para uma sequência de números que ativam o Siga-me.

Como funciona o golpe do Siga-me

Para a vítima, fica difícil perceber que sua linha foi desviada. Isso acontece porque os golpistas instruem a utilização de códigos que ativam o encaminhamento de chamadas apenas quando o número estiver ocupado — diferente do Siga-me comum, que desvia todas as chamadas.

Com o Siga-me configurado, os golpistas aproveitam algum momento que a vítima está ocupada e ativam o WhatsApp. Originalmente o código de confirmação é enviado pelo aplicativo via SMS, mas existe uma opção para receber a senha via ligação.

Como todas as chamadas foram desviadas, os criminosos atendem o telefonema com o PIN de uso único. Pronto, a partir desse momento o WhatsApp é desativado do smartphone da vítima e passa para o celular do golpista.

Esse golpe também pode ser aplicado caso o criminoso tenha acesso físico ao smartphone da vítima. Por isso, é importante certificar-se para quem você irá emprestar seu celular.

⚠️ Ative logo a autenticação de dois fatores no WhatsApp

Para evitar golpes — incluindo o do SIM swap — é importantíssimo ativar a autenticação de dois fatores no WhatsApp. Esse recurso ativa uma senha de seis números que deve ser inserida no momento da instalação do aplicativo.

Sem a autenticação de dois fatores, quem obtiver acesso a sua linha consegue ativar o WhatsApp sem pormenores. Os golpistas ainda podem configurar a proteção e impedir que a vítima restabeleça o acesso ao serviço.

Talvez esse golpe não pegue no Brasil

O golpe do Siga-me é preocupante, por utilizar engenharia social e convencer vítimas a discar números que não deveriam. No entanto, esse tipo de ação não deve se popularizar no Brasil: as operadoras nacionais costumam barrar o desvio de chamadas no pré-pago ou controle, e muitas vezes o serviço é liberado apenas para linhas do pós-pago puro.

Dados de março de 2022 da Anatel mostram que 53,7% das linhas celulares brasileiras estão na categoria pós-paga. No entanto, essa porcentagem também contempla planos controle, que são mais populares por ter custo mensal significativamente menor que o pós-pago puro.

Eu tentei ativar o siga-me em uma linha da Vivo com Vivo Easy, mas não funcionou. Já a TIM informa em seu site que o serviço não está disponível para o pré-pago, mas não fala sobre planos controle.

O Tecnoblog entrou em contato com Claro, TIM e Vivo para entender quais planos estão aptos a utilizar o serviço siga-me. A matéria será atualizada quando houver resposta.

Lucas Braga

Autor especializado em telecom

Lucas Braga é analista de sistemas que flerta seriamente com o jornalismo de tecnologia. Com mais de 10 anos de experiência na cobertura de telecomunicações, lida com assuntos que envolvem as principais operadoras do Brasil e entidades regulatórias. Seu gosto por viagens o tornou especialista em acumular milhas aéreas.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque