Robotáxis são liberados para operar sem restrições de horário na Califórnia

Serviço de transporte por carro autônomo recebeu permissão para operar 24h por dia na cidade californiana São Francisco, encerrando limite de operação noturna

Felipe Freitas
Por
(Imagem: chenhengyu/Pixabay)
São Francisco, Califórnia, autoriza Waymo e Cruise a operar sem limitação de horários (Imagem: chenhengyu/Pixabay)

A cidade californiana de São Francisco aprovou a operação de robotáxis sem restrições de horário. Agora, os serviços de táxi autônomo poderão funcionar 24h por dia, sem parar — assim como aquelas padarias que te salvam no pós-balada. A decisão foi aprovada pela Comissão de Utilidade Pública da Califórnia (CPUC, sigla em inglês).

As empresas beneficiadas com a medida são a Waymo (subsidiária da Alphabet) e a Cruise (subsidiária da GM). Já quem deve sentir um pequeno baque é a Uber e a Lyft. Essas empresas são concorrentes diretas do serviço de táxi autônomo, mas ainda utilizam serviços com motoristas. Porém, o número de corridas da Cruise é baixo quando comparamos com Lyft e Uber.

Importante contextualizar o motivo de ter citado apenas a Waymo no parágrafo anterior. Na nossa apuração, foi verificado que a Waymo continua autorizada a fornecer corridas “semiautônomas”, na qual é necessário um “motorista de segurança” no volante dos veículos.

Cidadãos de São Francisco podem cantar “robotáxi, cê sabe!”

Por 3 votos a 1, a CPUC aprovou a operação da Cruise e Waymo a qualquer hora do dia, sem restrições de horário. Antes da aprovação, as empresas tinham autorização para operar oito horas do dia, da 22h até as 6h da manhã.

A decisão da CPUC é uma nova vitória para as empresas de táxi autônomo. Quando iniciaram os seus serviços, a Cruise e a Waymo também tinham restrição de horário para operar. Todas essas limitações aos “robotáxis” eram motivadas pelo risco dos veículos se envolverem em acidente. Agora, as duas empresas podem ampliar a área de oferta de corridas.

As companhias atuavam em horários com menor fluxo de veículos. No caso da Cruise, por ter a autorização de usar veículos sem motorista de segurança, suas corridas precisavam ser feitas na região central de São Francisco. A velocidade máxima para os carros da empresa, os Bolts EVs, é de 56 Km/h — isso não foi alterado nessa decisão.

Cruise é uma subsidiária da GM e usa o elétrico Bolt EV (Imagem: Divulgação/Cruise)
Cruise é uma subsidiária da GM e usa o elétrico Bolt EV (Imagem: Divulgação/Cruise)

A Waymo seguirá com velocidade máxima de operação de até 104 Km/h — as vantagens de ser “atrasada” e contar com um motorista de segurança. Outro ponto positivo da subsidiária da Alphabet sobre a Cruise é que ela tem autorização para operar em climas de forte chuva e baixa visibilidade — algo proibido para a concorrente.

Em contrapartida, a Cruise e Waymo se comprometem a resolver os problemas de tráfego e possíveis incidentes com seus veículos. Os robotáxis apresentam alguns casos de parar repentinamente, prejudicando o fluxo de carros e até de veículos de emergência. Isso costuma acontecer principalmente em casos de “confusão” no sistema.

Se esses casos crescerem ou a CPUC entender que as companhias não estão resolvendo esses problemas, a autorização pode ser revogada.

Com informações: The Verge (1 e 2), TechCrunch e BBC

Receba mais sobre California na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Relacionados