Apple tira Samsung da liderança de smartphones pela primeira vez em 12 anos

Crescimento da Apple contrasta com queda da Samsung, que perdeu espaço no segmento de entrada. Mercado de smartphones encolheu 3,2% em 2023.

Giovanni Santa Rosa
Por
Mão segurando smartphone
iPhone 15 puxou vendas da Apple no quarto trimestre de 2023 (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

A Apple produziu 234,6 milhões de smartphones em 2023 e conquistou a liderança do setor. Ela pertencia anteriormente a Samsung, que fabricou 226,6 milhões de unidades. É a primeira vez em 12 anos que a marca sul-coreana sai da liderança em volume de entregas. A perda de espaço entre aparelhos de entrada e intermediários foi um dos principais fatores para a retração.

Os dados são da consultoria IDC. Em comparação com 2022, a Apple teve um crescimento de 3,7%, enquanto a Samsung registrou uma queda de 13,7%. Fechando o top 5 de maiores fabricantes de smartphones no mercado global, temos a Xiaomi, a Oppo e a Transsion (dona das marcas Infinix, Tecno e Itel).

EmpresaUnidades entregues em 2023 (em milhões)Unidades entregues em 2022 (em milhões)Crescimento
Apple234,6226,33,7%
Samsung226,6262,2-13,6%
Xiaomi145,9153,2-4,7%
OPPO103,1114,4-9,9%
Transsion94,972,630,8%
Outras361,8377,2-4,1%
Total1.166,91.205,9-3,2%

A consultoria Canalys também mostra dados parecidos. “Pela primeira vez, a Apple superou a Samsung e se tornou a principal fornecedora do ano, em termos de remessas, embora ambas tenham ficado com uma fatia de mercado arredondada de 20%”, diz o comunicado da empresa.

Nabila Popal, diretora de pesquisa da IDC, destaca a Apple como grande vencedora de 2023. “[A Apple] não apenas é a única do top 3 a mostrar um crescimento anual, como também fica com o primeiro lugar pela primeira vez”, comenta. A executiva lembra que a empresa enfrenta “desafios regulatórios” e a “volta” da Huawei como concorrente na China, seu maior mercado.

Amber Liu, gerente de pesquisa da Canalys, diz que a perda de liderança da Samsung também tem a ver com o segmento de entrada e intermediário. Para ela, a empresa investiu em aparelhos mais caros, buscando margens de lucro maiores, mas perdeu participação nos segmentos mais baratos.

Apple, Xiaomi e Transsion seguram queda do mercado

A IDC também aponta que o mercado de smartphones teve uma queda de 3,2%, em comparação com 2022. Considerando todas as fabricantes, foram enviados 1,17 bilhão de smartphones. É o menor volume em uma década — e poderia ser pior, se não fosse o iPhone, no segmento premium, e aparelhos baratos de outras fabricantes.

Smartphone Xiaomi Redmi 13C
Xiaomi Redmi 13C, aparelho intermediário da marca chinesa (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Para Toby Zhu, analista sênior da Canalys, os produtos de preço baixo e médio foram os motores da recuperação do mercado no quarto trimestre de 2023, assim como uma demanda maior em regiões emergentes, como Oriente Médio, África, Ásia-Pacífico e América Latina.

Xiaomi e Transsion tiveram um grande crescimento na segunda metade de 2023, graças a aparelhos baratos, avalia Popal. Mesmo assim, a Xiaomi fechou com queda de 4,7% em 2023. Já a Transsion teve impressionantes 30,8% de aumento na produção.

Com informações: IDC e Canalys

Receba mais sobre Apple na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Relacionados