Apple Vision Pro deve levar quatro gerações para substituir o iPad

Jornalista afirma que membros da equipe responsável pelo Apple Vision Pro veem que o headset VR ainda está longe de ser o produto ideal

Felipe Freitas
Por
Apple Vision Pro na sede da Apple nos Estados Unidos (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)
Apple Vision Pro traz um bom hardware, mas experiência ideal ainda vai demorar a chegar (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

O Apple Vision Pro deve demorar mais quatro gerações para ser o produto que a Apple sonha. Isso é o que acreditam membros da equipe do headset VR da empresa, disse o jornalista Mark Gurman, especialista em assuntos da big tech. Além dos problemas de design, o Vision Pro sofre com bugs no visionOS, seu sistema operacional.

Entre os pontos negativos de design do produto, destacado por usuários e alguns youtubers que gravaram análises, está o peso e a pouca quantidade de bateria (que é externa) do produto. A combinação entre peso e bateria externa faz com que usar o Vision Pro por muito tempo seja um incômodo. O centro de gravidade do dispositivo fica muito para frente, o que força a cabeça para baixo e faz com que o usuário compense levantando-a.

Obviamente, isso não significa que as especificações do headset são ruins, pelo contrário: o Vision Pro é equipado com ótimos hardwares. Mas seja para o trabalho, para lazer ou para tentar viralizar no TikTok fazendo movimentos exagerados com o Vision Pro na rua, um headset VR precisa trazer conforto na usabilidade.

Vision Pro ainda precisa de mais 4 gerações

Ícone do Telegram em destaque no menu do Vision Pro
Vision Pro tem 150 filmes compatíveis com visionOS, mas os apps ainda não são dedicados para o headset (Imagem: Divulgação/Pavel Durov)

De acordo com Mark Gurman, alguns membros da equipe do Apple Vision Pro esperam que produto demore quatro gerações (não necessariamente quatro anos) para ser o que eles realmente almejam — e quem sabe para substituir o iPad. Segundo o jornalista, o uso do Vision Pro se encaixa mais nos momentos em que você quer usar um tablet. Por exemplo: estar no avião ou no sofá de casa.

Esse tempo de evolução, quatro gerações, não é tão demorado assim. Mesmo que headsets VR existam há um bom tempo, o Vision Pro é o primeiro produto da Apple no segmento. O Apple Watch e iPad, por exemplo, precisaram de algumas gerações para conquistar o público. A Samsung, rival da Apple, demorou três gerações para aperfeiçoar o Galaxy Z Fold.

Uma outra reclamação dos usuários do Apple Vision Pro é que o sistema operacional, a sua parte de software, apresenta mais bugs do que eles esperavam para um produto de primeira geração — e com preço começando em US$ 3.499. Para complicar, não há tantos aplicativos dedicados para VR na App Store. A maioria são apps do iPhone e iPad.

Com informações: 9to5Mac e Bloomberg

Receba mais sobre Apple Vision Pro na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Canal Exclusivo

Relacionados