iPad Pro pode ganhar chip M3 e tela OLED para reverter queda nas vendas

Mercado de tablets não vai bem, e Apple não é exceção: com poucas novidades e linha de produtos confusa, vendas da linha iPad caíram 17% em um ano

Giovanni Santa Rosa
Por
iPad Pro com Apple M2 é anunciado pela Apple (Imagem: Divulgação/Apple)
iPad Pro com Apple M2 (Imagem: Divulgação/Apple)

O iPad Pro deve passar por uma reforma em 2024, com as mudanças mais significativas do modelo desde seu lançamento. Entre as novidades, estão tela OLED, o novo chip M3 e um Magic Keyboard com trackpad maior. O modelo vai encontrar um mercado em dificuldades: as vendas de tablets de todas as marcas estão caindo.

As informações são do jornalista Mark Gurman, que acompanha a Apple na Bloomberg. Segundo suas fontes, os novos modelos terão o chip M3, da nova geração dos processadores da Apple.

Além disso, eles contarão com telas OLED. Essa tecnologia é inédita nos tablets da Apple, mas está nos smartphones da marca desde o iPhone X.

Entre os concorrentes, o Samsung Galaxy Tab S9 oferece tela AMOLED com taxa de atualização dinâmica.

Galaxy Tab S9 (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)
Galaxy Tab S9 (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Outra novidade do próximo iPad Pro não está no aparelho em si, mas em um de seus acessórios. O Magic Keyboard, teclado que se acopla ao tablet, deverá ter um trackpad maior, facilitando o uso para quem está acostumado com um notebook.

Segundo Gurman, os futuros modelos já têm codinomes internos: J717, J718, J720 e J721. Eles devem vir em versões de 11 e 13 polegadas, dimensões praticamente iguais às atuais, de 11 e 12,9 polegadas.

O lançamento não deve acontecer no mesmo evento que o iPhone 15, esperado para setembro. Os novos iPads Pro podem chegar entre o segundo e o terceiro trimestre de 2024.

Vendas de iPads (e outras marcas) estão em queda

O mercado de tablets não anda bem, e isso vale para a Apple e para as concorrentes.

Segundo a consultoria IDC, foram 28,3 milhões de tablets enviados no segundo trimestre de 2023, contra 40,3 milhões no mesmo período de 2022.

No caso da Apple, o número caiu 17% na comparação entre o segundo trimestre de 2023 e o mesmo período de 2022, indo de 12,6 milhões para 10,5 milhões de aparelhos.

Atualmente, o iPad é o segmento que menos gera receitas para a empresa, entre todos os seus produtos.

Gurman aponta alguns problemas da família de tablets da Apple, como a falta de novidades, linha de modelos confusa, recursos de software difíceis de usar e concorrência dos próprios Macs.

O novo iPad Pro, com diferenciais em relação a outros modelos da linha, pode dar um empurrãozinho nas vendas.

Com informações: Bloomberg

Relacionados