Acordo com Sony abre caminho para mais remixes no Spotify e Apple Music

Felipe Ventura
Por
• Atualizado há 3 meses
Foto via Pixabay

Grandes serviços de streaming, como Spotify, Deezer e Apple Music, não podem oferecer todos os remixes que você encontra em outros lugares devido aos direitos autorais. Mas, graças a um acordo com a Sony, isso pode mudar.

A Sony Music Entertainment se tornou a primeira grande gravadora a permitir que suas músicas sejam rentabilizadas por meio de mixagens não-oficiais, graças a um acordo com a startup Dubset.

Basicamente, a Sony vai receber dinheiro caso uma música de seu catálogo seja usada em um remix. A Dubset identifica a faixa e distribui os royalties entre o DJ que criou o remix, o artista que gravou a versão original, e a gravadora.

Segundo o TechCrunch, a Dubset está prestes a ter acordos com as três grandes gravadoras do mercado — Warner e Universal serão as próximas. Ela já indexa e remunera faixas de 35 mil gravadoras pequenas.

No ano passado, a Dubset levou suas primeiras faixas ao Spotify e Apple Music. Uma delas é “My Number”, de Major Lazer e Bad Royale, com mais de 1,7 milhão de reproduções. Ela também está presente no SoundCloud, com 572 mil plays.

Ao mesmo tempo em que o Spotify poderá colocar remixes em seu catálogo mais facilmente, o SoundCloud — já em apuros — pode perder um de seus diferenciais. Mas o Dubset e as gravadoras devem levar algum tempo até resolverem os direitos autorais no mundo todo; um sinal disso é que “My Number” ainda não está disponível no Spotify brasileiro.

Com informações: TechCrunch, Gizmodo.

Relacionados

Autor(a)

Felipe Ventura

Felipe Ventura

Ex-editor

Felipe Ventura fez graduação em Economia pela FEA-USP, e trabalha com jornalismo desde 2009. No Tecnoblog, atuou entre 2017 e 2023 como editor de notícias, ajudando a cobrir os principais fatos de tecnologia. Sua paixão pela comunicação começou em um estágio na editora Axel Springer na Alemanha. Foi repórter e editor-assistente no Gizmodo Brasil.