YouTube começa a bloquear adblock (inclusive no Brasil)

Plataforma de vídeos iniciou um teste global que impede o acesso de usuários de 1Blocker, ABP e outras ferramentas similares. YouTube Premium não exibe anúncios.

Thássius Veloso
Por
• Atualizado há 10 meses
YouTube
YouTube começa a bloquear pessoas que usam adblock (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O YouTube começou um “experimento global” para impedir o acesso de pessoas que utilizam ferramentas de adblock. A plataforma passou a mostrar um alerta de que o usuário nestas condições tem direito a apenas três visualizações de vídeo. O site ainda faz um apelo para que o internauta libere a exibição de anúncios.

A informação foi revelada em primeira mão pelo site Bleeping Computer e confirmada pelo YouTube. A empresa explicou ao Tecnoblog que o experimento também vale para usuários brasileiros. Portanto, não estranhe se você esbarrar com a mensagem.

Mensagem e apelo

“O player de vídeo será bloqueado após três vídeos”. Com este alerta importante, o YouTube explica que a publicidade é o que permite que a plataforma seja de graça para “bilhões de usuários pelo mundo”.

E ainda lembra que existe o YouTube Premium. A versão paga da plataforma não tem anúncios, permite vídeos em segundo plano, libera download de conteúdo e ainda dá acesso às músicas do YouTube Music Premium. Ela custa R$ 20,90 por mês no mercado brasileiro.

Alerta dentro do YouTube concede três vídeos para usuários de adblock (Imagem: Reprodução/Bleeping Computer)
Alerta dentro do YouTube concede três vídeos para usuários de adblock (Imagem: Reprodução/Bleeping Computer)

Na nota que recebemos, o YouTube diz ainda que a detecção de bloqueadores de anúncios “não é nova e outros editores pedem regularmente aos espectadores que desativem os bloqueadores de anúncios”.

Ao que parece, o bloqueio da reprodução de vídeos irá ocorrer em casos extremas, quando o espectador repetidamente tentou acessar a plataforma com o adblock em funcionamento.

Lista de páginas aceitas

Os adeptos de adblock podem incluir o YouTube na lista de sites que podem exibir publicidade. Outra opção seria desativar a ferramenta de bloqueio de ads toda vez que o usuário entrar na plataforma do Google.

Fato é que os anúncios são a principal forma de financiar a produção de conteúdo na web. Poucas são as plataformas em que a grana de assinaturas é suficiente para manter as contas no azul.

Ads demais (e irritantes)

O principal motivo para que os usuários ativem o adblock está relacionado com a profusão de publicidade que se vê na rede. Um artigo publicado em 2017 por Alex Shellhammer, então gerente do Google Ad Manager, informava que 63% dos adeptos de ferramentas de adblocking tinham essa queixa.

Outros 48% se queixavam não da quantidade, mas sim do teor dos anúncios, que eram irritantes demais.

Com informações do Bleeping Computer

Receba mais sobre YouTube na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Thássius Veloso

Thássius Veloso

Editor

Thássius Veloso é jornalista especializado em tecnologia e editor do Tecnoblog. Desde 2008, participa das principais feiras de eletrônicos, TI e inovação. Também atua como comentarista da GloboNews, palestrante, mediador e apresentador de eventos. Tem passagem pela CBN e pelo TechTudo. Já apareceu no Jornal Nacional, da TV Globo, e publicou artigos na Galileu e no jornal O Globo. Ganhou o Prêmio Especialistas em duas ocasiões e foi indicado diversas vezes ao Prêmio Comunique-se.

Canal Exclusivo

Relacionados