Início » Brasil » Google tem que apagar vídeos de menino Nissim, decide justiça

Google tem que apagar vídeos de menino Nissim, decide justiça

Liminar determina remoção de conteúdos do YouTube. Buscador pode recorrer.

Avatar Por

O processo movido pela família de Nissim Ourfali contra o Google Brasil Internet Ltda. começou a andar. De acordo com o portal de notícias G1, a família de Nissim obteve liminar que determina a remoção imediata do vídeo original e das cópias que foram publicadas em seguida no site de vídeos YouTube.

Nissim Ourfali estrela uma produção em comemoração ao Bar Mitzvá, celebração judaica quando o rapaz completa 13 anos.

O advogado de Nissim e família, Marcelo Roitman, do escritório PLKC, disse em nota que não comenta o processo por estar em segredo de justiça. Da mesma forma, o Google Brasil enviou nota na qual afirma que o YouTube “possui políticas claras sobre remoção de conteúdo”. O buscador não comenta o caso.

A decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo ocorre em caráter liminar. O Google pode e provavelmente irá recorrer da decisão, tendo em vista casos recentes envolvendo remoção de vídeos do YouTube. Enquanto isso, entretanto, deverá cumprir a ordem judicial que manda retirar os conteúdos.

Conteúdo removido

Páginas do YouTube com conteúdo relacionado a Nissim agora mostram a mensagem de que “não está disponível em seu país devido a um requerimento legal do governo”.

No processo a que tivemos acesso consta o valor de 30 mil reais como indenização. De acordo com o advogado de Nissim, a cifra corresponde meramente a uma necessidade para iniciar o trâmite. A família, diz ele, não tem qualquer interesse financeiro.

Atualizado às 11h08.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

David Tobias Nunes
como esta sua experiencia com o Windows 8 esta gostando ? tem um link para uma versao estavel e funcional do win 8 x64 ultimate ? + crackers?
Diogo Paiva
Acabei de acessar o vídeo aqui do trabalho e pude ver tranquilamente. O conteúdo está bloqueado só para o Brasil, pois o roteamento da minha empresa faz com que acessemos a internet como se estivéssemos nos EUA.
Ronaldo Ramos
Se eu não me engano há algo no código civil que penaliza quem entra na justiça contra alguém com uma acusação sem fundamento, dando direito de réplica da parte citada(neste caso o acusador se torna acusado, e tem que pagar os custos que a outra parte adquiriu por conta do processo, se é que não dá danos morais, mas não tenho certeza).Eu acredito que não tenha o menor fundamento nesta ação, porque o objetivo do youtube é postar mídias para a maior quantidade de acessos possivel, bem como facilidade do mesmo.Agora se dois pais sem noção consseguem este objetivo com um video que rídiculariza a imagem do filho, é problema de familia e não de justiça(a não ser que o menino cresça e resolva processa-los hauahuahau). PS: Não conheço a cultura judaica, portanto não sei se o video esta de conformidade com seus costumes, mas se as pessoas se sentem ofendidas com criticas ou escarnecimento, não deveriam postar seus videos pessoais e principalmente ler o contrato de adesão que deve falar sobre isso de um jeito ou de outro(como eles eu não li também RSRSRSRSR :D).
Guilherme Leobas
God bless o Bing e o Vimeo.
Hawk
Que coisa sem noção, foi ELE quem postou o vídeo, mas a culpa é do Google?
Lucas Lopes Pinheiro
Mano não vejo graça nesse vídeo
Guilherme Polonca
Só digo uma coisa: ainda bem que eu baixei na segunda-feira.
Pedro Catella
Só pra constar, em relação ao valor da causa que é de 30 mil reais. Acredito que não foi a família dele que estipulou esse valor, e sim o advogado. Explico: toda ação judicial tem que ter um valor pra causa, isso é um requisito processual. Através do valor da causa é que se estipulam as custas processuais e até o rito processual que vai seguir determinado processo. É ainda tomando como base o valor da causa que o juiz geralmente arbitra o valor dos honorários advocatícios (10% a 20%) do valor da causa. Por essa razão acredito que dependendo do contrato feito entre o advogado e a família, este fixou o valor de 30 mil reais pra conseguir receber uma boa grana se ganhar a causa. Até porque parece que a família do menino já tem grana pelo visto.
Rodolpho Victor
Judeu costuma ter dinheiro. Dinheiro, justiça. Justiça brasileira, dinheiro. Dinheiro manda. Entendi prq o vídeo saiu do ar.
Matheus Verdão
Na verdade quem fez o video foi uma produtora especializada em fazer videos comemorativos, principalmente de Bar Mitzvah! No canal da Produtora tem varios videos de Bar Mitzvah, mais esse foi o unico que deu Destaque! O video foi divulgado apenas para amigos e familiares... Mais os devidos bloqueios que deveriam ser colocados como não postando o video PUBLICO, somente quem tem o Link poderia acessa-lo, alguém o viu e achou nas buscas e resolvel mandar para deus e meio mundo na Internet (Se não me engano quem fez isso foi o Site Não Salvo)
Leandro rafael
Nada melhor q o tio silvio cantando :http://www.youtube.com/watch?v=ryD9CLHHYUI&feature=related uauhaushauhsuahsuahsuahs
Almy Fróes
Se eu fosse da prefeitura da baleia aproveitava o momento para investir no turismo
Fredson Nascimento Sousa
O vídeo que já estava caindo no esquecimento agora está sendo replicado e já está no vimeo.com E a nossa justiça prova mais uma vez que não tem o mínimo de conhecimento da era digital que estamos vivendo.
YanGM
Vou gravar e enviar um vídeo ao YouTube, depois vou processar o Google pra ganhar uma grana.
Fernando Ferreira
Pelo que acompanhei nas reportagens blogs a fora, a produtora foi paga pela família para criar e editar este vídeo. Após o término eles requisitaram a família permissão para postar no Youtube e os mesmos concederam. Se as informações acima procedem, o processo é uma piada e quem deveria pagar indenização são os pais para o garoto e o Google não seria obrigado a retirar o vídeo e quem deveria cuidar desta remoção seria a produtora. Agora deve ter mais de 200 versões do bar mitzvah do Nissin... E queriam tirar o vídeo do ar por conta de uns seres idiotas fazendo comentários do tipo: "Nessas horas sinto falta da câmara de gás" E isto é muito, muito ofensivo mesmo contra judeus.
Exibir mais comentários