mediatek-helio-x20

Com quantos núcleos se faz um bom processador móvel? A MediaTek anunciou nesta terça-feira (12) o Helio X20, um chip para smartphones e tablets com CPU de nada menos que 10 núcleos. O processador deca-core, que será lançado em dezembro, combina três clusters de núcleos para melhorar a eficiência energética.

Nós estamos acostumados a ver chips big.LITTLE com dois grupos de núcleos de processamento, sendo um de alto desempenho e outro de baixo consumo energético. É assim com o Snapdragon 810 do G Flex 2 (quatro Cortex-A57 de 2,0 GHz e quatro Cortex-A53 de 1,6 GHz) e o Exynos 7420 do Galaxy S6 (quatro Cortex-A57 de 2,1 GHz e quatro Cortex-A53 de 1,5 GHz).

No Helio X20, são três grupos. Os quatro Cortex-A53 de 1,4 GHz serão ativados em tarefas leves. Mais quatro Cortex-A53, só que com frequências maiores (até 2,0 GHz), oferecem um equilíbrio entre desempenho e consumo de energia. Quando você estiver jogando ou executando algo realmente pesado, entram os dois Cortex-A72 de 2,5 GHz.

A MediaTek explicou isso de uma forma bem legal, comparando os diferentes núcleos do Helio X20 às marchas de um automóvel:

mediatek-tres-clusters

Quando a ARM anunciou o novo Cortex-A72, em fevereiro, a empresa prometeu um desempenho até 90% maior que o atual Cortex-A57, então acho que podemos ter boas expectativas sobre o chip da MediaTek. Teoricamente, o Cortex-A72 consome até 75% menos energia que o Cortex-A57 quando faz o mesmo trabalho.

Curioso é que a MediaTek poderia ter anunciado o Helio X20 como sendo um processador undeca-core (?), uma vez que há um pequeno núcleo Cortex-M4 que fica sempre alerta para dar conta de tarefas que não exigem muito processamento, como o reconhecimento de fala em standby dos assistentes pessoais e até reprodução de MP3.

Segundo a fabricante, o Helio X20 é fabricado em processo de 20 nanômetros e gasta até 30% menos energia quando comparado com um big.LITTLE formado por apenas dois clusters de processamento. Ele lida com displays de até 2560×1600 pixels em 60 Hz ou 1920×1080 pixels em 120 Hz (!). Os gadgets com o chip poderão usar câmeras de até 32 megapixels com filmagem em 4K a 30 fps e HDR.

O novo chip da MediaTek deverá chegar ao mercado em dezembro de 2015, dentro de smartphones e tablets flagships. Saberemos mais sobre a capacidade do Helio X20 nos próximos meses, quando os primeiros benchmarks surgirem.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

leatheryagatebr

Os mediateks possuem durabilidade igual snapdragon?

leatheryagatebr
Os mediateks possuem durabilidade igual snapdragon?
Baccano
http://www.showmetech.com.br/quantum-fly-chega-ao-mercado-com-processador-deca-core-e-preco-matador/
Marcos Chagas
lendo esse comentário, eles vieram e cancelaram uhehueuuhe
Mayke Luiz Souza Lopes
Jonas. http://cpuboss.com/cpus/Intel-Core-i7-5960X-vs-Intel-Core-i7-4790K Não esta evoluindo , ta fraco demais, estou esperando os novos processador da AMD
Keaton
Ninguém reclama do consumo das placas de video? Ah, vai nessa... quem paga a própria conta de luz reclama sim. O fato das placas de video consumirem mais que os processadores não mudam o fato que os processadores ainda consomem muita energia.... As placas de video conseguem economizar mais energia quando em pouco que os processadores... além do desempenho das mesma ter evoluido com muito mais rapidez que o desempenho dos processadores. Só a termo de comparação: A Titan X consome 225W~260W quando rodando 100%, porém em tarefas básicas (internet, video, flash, soho, etc) consome menos de 30W. Já o Core i7 5960X consome cerca de 90W quando inativo, 125W com tarefas básicas, 140-150W em 100% e chegando a ~180W no modo Turbo. (E ele nem tem video onboard...) Claro que o 5960X nem é o pior em consumo elétrico... temos o AMD FX-9590 que consome entre 50W e 75W inativo, entre 90W e 100W com tarefas básicas, 220W em 100% e até 250W a 5GHz no modo turbo... (legal é que esse processador tem TDP de 225W...) Vê o problema? Os processadores ainda desperdiçam muita energia a toa... um melhor gerenciamento de consumo seria mais interessante. Exemplo: se o 5960X desligasse 6 dos 8 cores e/ou reduzisse o clock para 1.5GHz enquanto a demanda de processamento fosse menor ou quase irrelevante, já seria de grande ajuda. Pelo que eu lembro, eles não fazem isso de forma automática.
Jonas S. Marques
Hmmm, não vejo muito sentido nisso. Placas de vídeo consomem bem mais do que 140 TDP e ninguém nunca reclamou. OK, poderia ser melhor? Poderia. Mas é um desktop cara.
Jonas S. Marques
Ah cara, mas aí é aquela velha questão. Quem comprar esse processador vai obviamente usar um sistema de refrigeração avançado. Ainda não vejo grandes problemas nele.
Jonas S. Marques
Cara, é óbvio que se você comparar um mercado de 5 anos com um de 30 você vai achar que um evolui mais rápido do que o outro. É questão de percepção. Processadores desktop não tem mais muito pra onde evoluir. E se tem ninguém sabe como fazer ainda.
Daltro Campanher de Souza
Se você levar em conta que desktop = computador pessoal - não está evoluindo no mesmo ritmo dos 'smartphones', igualmente pessoais. Ou o mercado brasileiro está carente...
Ronaldo
Acho que a Qualcomm já abandonou informalmente o 810. Em breve 818 e 820 nas paradas (Talvez não com essa numeração), pode aguardar. Os rumores já começaram.
Ronaldo
Pior do que consumo de energia é a dissipação. Usar esses processadores no potencial máximo só com refrigeração liquida.
Petter
Até onde sei, utilizando cores diferentes e específicos é possível obter um melhor gerenciamento energético se comparado a utilização de C-States, ou seja, o controle físico, em termos práticos, se mostra mais funcional que o controle lógico.
Keaton
Sim, tem esse... porém o 5960X tem dois contras: consumo elétrico (até um máximo teórico de 140W, que geralmente passa) e o custo (US$ 1000+). Desktops não tem o problema dos mobiles: ficar sem bateria, mas uma redução no consumo elétrico até cairia bem.
Jonas S. Marques
Talvez até fosse o caso sim. Do ponto de vista lógico você está certo. Mas tem que ver também o preço de produção de um decacore com todos os núcleos sendo a72. E tem também o fato do gerenciamento do próprio Android que ia ficar toda hora sugando o máximo de recursos pra nada.
Exibir mais comentários