Início » Mobile Negócios » Lenovo decide voltar a usar marca da Motorola

Lenovo decide voltar a usar marca da Motorola

E volta o cão arrependido...

Por
51 semanas atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

A Lenovo fez de tudo para esconder a Motorola, adotando o nome Moto by Lenovo em detrimento da marca icônica de celulares — tente procurar por “Motorola” nos anúncios oficiais do Moto Z ou Moto G5 para entender o que estou dizendo. Pelo visto, a estratégia não deu muito certo: agora, a fabricante quer colocar o antigo nome em todos os lugares, inclusive em mercados onde a Motorola não era uma marca tão forte.

Em entrevista ao CNET, o presidente da Lenovo na América do Norte, Aymar de Lencquesaing, diz que a empresa pretende migrar para a marca da Motorola em todas as regiões no futuro, mas o prazo depende da força do nome no país. O Brasil é citado como um dos mercados onde a Motorola ainda tem uma marca forte, enquanto na Rússia é a Lenovo quem se dá melhor.

A mudança deve acontecer até mesmo na China, país de origem da Lenovo. Por lá, a empresa possui uma marca própria para smartphones, a Zuk — que deve sumir gradativamente para dar lugar às asas da Motorola. Só não está claro quanto tempo a transição vai demorar: “Você não vira a chave e avisa os consumidores do dia para a noite”, diz Lencquesaing.

O timing é bem curioso, para dizer o mínimo. Para começar, estamos vendo marcas icônicas ressurgirem no mercado: a BlackBerry, que desistiu de produzir smartphones, vê sua marca estampada em aparelhos direcionados ao público corporativo produzidos pela chinesa TCL, dona da Alcatel. O maior caso de sucesso, claro, é a marca da Nokia, que voltou a fazer barulho com um produto chamado de Nokia 3310.

Mas o principal motivo deve ser o dinheiro: a Lenovo simplesmente não anda bem no segmento de smartphones. Ela foi atropelada por suas rivais conterrâneas, como Huawei, Oppo e BBK, que já ocupam a terceira, quarta e quinta posição no mercado global de smartphones, e demitiu 97,5% dos funcionários da Motorola Mobility em quatro anos. Na própria China, as vendas de smartphones e tablets da Lenovo chegaram a despencar impressionantes 85%.

Mais sobre: ,