O design quase sem bordas está chegando aos smartphones intermediários: a LG anunciou o Q6, um aparelho que lembra o G6, mas possui tela menor, hardware mais simples e preço mais acessível.

O G6 tinha processador Snapdragon 821 e tela de 5,7 polegadas (2880×1440 pixels). No Q6, estamos falando de um Snapdragon 435 (que é igual ao Snapdragon 430 do Moto G5 em termos de CPU e GPU) e uma tela ligeiramente menor, de 5,5 polegadas, mas mantendo a proporção 18:9 (2160×1080 pixels). Além disso, a câmera dupla saiu para dar lugar a um único sensor de 13 megapixels com distância focal padrão.

Assim como o irmão mais caro, ele tem moldura de alumínio e ficou mais compacto que a concorrência, com apenas 69,3 mm de largura — é quase a mesma medida do velho Nexus 4 (68,7 mm), que tinha display de apenas 4,7 polegadas, só para exemplificar a mágica da redução das bordas.

É uma pena que ele tenha perdido o leitor de impressões digitais, um recurso que está chegando até a smartphones básicos, como o Moto E4. A LG diz que você pode utilizar “uma tecnologia de reconhecimento facial proprietária que permite aos usuários desbloquearem o Q6 mais rápido e de forma mais conveniente que outras tecnologias atualmente disponíveis”. Então tá. E o conector é Micro USB, não USB-C.

O Q6 estará disponível em três variantes, e a diferença fica apenas por conta do armazenamento e RAM: o Q6+ tem 64 GB de espaço e 4 GB de RAM, o Q6 tem 32 GB e 3 GB, e o Q6α tem 16 GB e 2 GB, todos com bateria de 3.000 mAh. Ele será vendido a partir de agosto na Ásia e posteriormente será lançado na Europa, América do Norte e América Latina. Os preços ainda não foram divulgados.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

richardsonvix

Eu, que tenho G5, prefiro mil vezes a esse LG para enganar trouxa.

Tenho certeza que há marketing por trás da letra Q, LG Q, LG G, para enganar desavisados achando que são séries parecidas.

Richardson Dos Santos Neves
Eu, que tenho G5, prefiro mil vezes a esse LG para enganar trouxa. Tenho certeza que há marketing por trás da letra Q, LG Q, LG G, para enganar desavisados achando que são séries parecidas.
GTR TELEFONIA
de uma coisa eu sei(brasileiro tem os dois pés atrás com LG kkkk.
GTR TELEFONIA
bem bostinha,caro,sem câmera dupla e leitor de digitais,só para ter essa tela ainda fico com o g5s
Roberto

hoje compartilho deste opinião também.
Um amigo tem aparelho USB-C e fica puto pq tem que andar com adaptador no bolso o dia todo...

Roberto

acerto miseravisss

Roberto

acerto miseravi

Marcus Araújo
Exatamente porque o padrão novo ainda não é mainstream... Sei que precisam que alguém dê o passo para ajudar a popularizar, mas a verdade é que o USB-C hoje, para a massa, população em geral, não justifica. Esse telefone ainda é voltado para as massas, que não optariam pagar mais caro talvez para ter USB-C no celular, mas que pagariam um pouco a mais pela tela "esticada" que permite visualizar mais conteúdo. Tecnicamente não vou discutir a superioridade do USB-C. O que ponho em discussão é: o povo precisa do USB-C para carregar o aparelho mais rápido? Afinal, é pra isso que 75% ou mais utiliza a entrada.
BassVix
Especificações de um Moto G5, mas sem o leitor de digital, vejamos se o preço valerá a pena.
@Sckillfer

O Moto G5 da LG? Q?

Sckillfer
O Moto G5 da LG? Q?
Maicon Bruisma
E tirar o leitor de digitais, uma feature mais importante
Henrique Ferreira Lima
Mas se um mercado está adotando um novo padrão, pra que manter o padrão antigo em um lançamento? Isso só prejudica na popularização do USB-C. LG cometeu o mesmo erro que a Lenovo quando lançou o G5. A velocidade de transmissão de dados seria só um benefício extra do novo padrão de conexão
Tori
a coisa aqui não é ser um smartphone potente, e sim um smartphone chamativo com o "display infinito" do G6 num smartphone bem básico.
Tori
o smartphone não é feito para ser "potente" e sim pegar o feature chamativo atual: sem bordas/display infinito num smartphone intermediário
Exibir mais comentários