Depois de usar inteligência artificial (IA) para gerar vídeos em câmera lenta e restaurar imagens corrompidas, a Nvidia quer implementar algoritmos semelhantes na remoção de ruído, granulações e outras imperfeições de fotos. Trata-se de um projeto chamado Noise2Noise.

Nvidia - ruído em foto

Para tanto, a companhia apresentou recentemente um trabalho feito em parceria com pesquisadores do MIT e Universidade de Aalto, na Finlândia, que usa aprendizagem profunda para “limpar” as imagens.

Os ruídos — ou granulações, no caso de filmes fotográficos — são aqueles pontinhos que fogem do padrão de cores da foto, gerando um efeito de imagem suja ou borrada, dependendo das circunstâncias.

Há filtros em editores de imagens que conseguem amenizar ou até eliminar os ruídos. O pós-processamento de fotos em smartphones e câmeras digitais mais avançadas também pode reduzir o problema.

Só que nem sempre os filtros e o pós-processamento conseguem ser eficientes. Dependendo da imagem, pode haver diminuição considerável da definição em determinados pontos ou até mesmo perda de informações — um texto na foto pode ficar ilegível depois de passar pelo processo, só para dar um exemplo. É aí que surge a chance de a IA fazer diferença.

Sistemas que usam IA para remover ruído de imagens não são novidade. Eles normalmente são treinados com base na comparação de pares de fotos do mesmo objeto ou cenário, só que uma imagem tem ruído, a outra é limpa. A partir das diferenças entre elas é que o algoritmo aprende a distinguir os ruídos.

Mas o novo método consegue ir um pouco além. De acordo com a Nvidia, o algoritmo, treinado com mais de 50 mil imagens, pode remover ruídos e outras imperfeições sem necessidade de comparação com fotos limpas. Os pesquisadores usaram uma estrutura baseada em GPUs Tesla P100 e o TensorFlow (biblioteca de aprendizagem de máquina com código aberto) para conduzir o projeto.

Nvidia - ruído em ressonância

Nos exemplos acima, as imagens à esquerda tiveram ruído acrescentado artificialmente. As imagens no centro passaram pelo Noise2Noise. Note que os resultados são parecidos com as imagens à direita, que são originais e não têm ruído.

Os resultados são tão interessantes que os desenvolvedores presumem que, além de eliminar os incômodos ruídos das fotos, a técnica poderá ser usada para fins mais nobres, como melhorar a precisão de imagens de ressonância magnética. Mas, por ora, tudo não passa de uma pesquisa acadêmica (PDF).

Com informações: FastCompany.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Felipe Xavier

Sim, a película tem um limite (que varia entre o 4K e 8K). O caso aqui não é unica e exclusivamente ela, mas muitos outros fatores: Esse que você assistiu pode ter sido remasterizado de uma cópia que era exibida em salas de cinema e não a película bruta. Existe também a forma como foi conservada, já que sofre deterioração com o tempo. Além da forma como foi gravada originalmente, o conjunto de lentes (que interfere muito mais que a película em si), o ASA (que no digital é o ISO) utilizado...

E, se o software começar a "prever" e "interpretar" a imagem para aumentar a resolução de forma gráfica, é mesmo uma remasterização ou uma nova obra adaptada? Pois se a tecnologia adicionar detalhes (que não são possíveis de ter certeza se faziam parte da obra original) não é uma simples limpeza.

André G

Mesmo sendo remasterizadas, as películas não era perfeitas, elas tem um certo limite de qualidade a ser extraída.
Eu pensei em E o vento levou, que já assisti 3 vezes, o filmes é ótimo e já vi a versão de blueray, mas não tem uma qualidade igual a de um filme gravado em 1080p.

Keaton

Gosto como o recurso também removeu a textura da lã...

avinicius
Franco Luiz

Bem legal mas na foto parece q ela teve uma perda de nitidez bem considerável vamos aguardar

Felipe Xavier

Defina antigos, pois a película de cinema (35mm) é usada pelo menos desde 1900 e sua qualidade "pura" remasterizada é entre 4K e 8K.

André G

Acredito que daqui um tempo irão começarem a limpar ruídos, aumentar a resolução e corrigirem outras imperfeições de filmes antigos para serem re-exibidos nos cinemas.

alex

Essa mesma técnica está sendo utilizada para auxiliar a implementar o Ray Tracing em jogos com placas Nvidia. Utiliza-se o Ray Tracing em menor escala e a inteligência artificial complementa a renderização da imagem em tempo real. Seria legal uma reportagem mostrando como está o andamento da tecnologia e previsão de lançamento em jogos.