Início » Brasil » Indústria nacional critica possível redução de imposto de eletrônicos importados

Indústria nacional critica possível redução de imposto de eletrônicos importados

Setores da indústria acreditam que plano do governo pode causar fuga de empresas

Emerson Alecrim Por

Em 16 de junho, o presidente Jair Bolsonaro usou o Twitter para anunciar a intenção de diminuir os impostos de importação sobre produtos de tecnologia. O objetivo, de acordo com o presidente, é estimular a competitividade e a inovação. Mas entidades que representam setores da indústria brasileira dizem que o efeito pode ser outro: fuga de empresas.

iPhone XR

O assunto ainda está sendo estudado pelo Ministério da Economia, mas, se entrar em vigor, a medida fará os encargos de importação caírem de 16% para 4%, de modo geral.

Bolsonaro destacou que itens como computadores e celulares devem ser beneficiados, e que o governo também estuda a possiblidade de reduzir impostos sobre jogos eletrônicos.

Mas reações contrárias à ideia não demoraram a surgir. Duas das entidades que se manifestaram foram a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) e a Associação Brasileira da Indústria de Semicondutores (Abisemi).

Para a Abinee, a redução dos impostos de importação gerará insegurança jurídica, prejudicará a decisão de investimentos no Brasil e reduzirá empregos. A entidade diz ainda que não é contra uma concorrência maior com produtos importados por conta da redução dos encargos, mas defende que o assunto seja tratado com transparência e negociado com a indústria.

A Abinee defende ainda que a redução de encargos envolva todo o universo tarifário (e não só importações) e que a medida seja implementada junto com providências que diminuem os custos de produção no Brasil, como a reforma tributária e a melhora da infraestrutura do país.

Já a Abisemi afirma que a medida em questão poderá culminar na saída de empresas estrangeiras do Brasil e no desmonte da indústria de componentes instalada no país. "Serão perdidas conquistas relevantes para toda a sociedade brasileira, que resultaram de mais de duas décadas de investimentos (nacionais e estrangeiros)", diz um trecho da nota.

Notebook Compaq

Em discurso similar ao da Abinee, a manifestação da Abisemi reconhece a validade da medida anunciada por Bolsonaro, mas se ela não for implementada isoladamente: "é preciso que sejam implementados mecanismos que atenuem significativamente os efeitos do custo Brasil, que melhorem o ambiente interno de negócios, que alavanquem o consumo interno e que coloquem o país em posição congruente com a sua importância no cenário global".

A Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro) tem posição diferente. Ao TeleSíntese, Robert Janssen, diretor de relações internacionais da entidade, repetiu o discurso de Bolsonaro de que a medida poderá aumentar a competitividade das empresas.

"Não podemos ficar achando que podemos ficar em um mercado protegido e com salvaguardas onde se consegue fazer o processo fabril mais vantajoso, mas, ao mesmo tempo, não se consegue ser mais competitivo", disse Janssen.

Por ora, a diminuição de impostos de importação é apenas um estudo, mas se o plano for levado adiante, a medida deverá entrar em vigor até 2022, antes do encerramento do mandato de Bolsonaro.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)
"no true scotsman" cara...sabe que pra defender ideologia vale tudo né?
Fabio Santos
Teve, porém ainda o governo continua ganhando muito em tributação mesmo no regime de horas trabalhada, hoje se você ganha 1000 reais você custa ao empregador 2000 mil reais sendo que 50% deste vai pro governo aonde não faz nada na real, se você pegasse 500 reais que fosse deste mal investimento aplicasse em algo que desse 0,5% ao mês em 30 ou 40 anos você teria um rendimento maior de quem ganha mensal na média de 4000 mil tem dúvida faz a conta.Abraço
Tiago Celestino
Mas já não teve uma reforma trabalhista recentemente?
Tiago Celestino
Produtos tecnologicos não estão associado ao produto final (um celular, por exemplo). Tanto que uma das “reclamantes” é uma associação ligada as industrias de semicondutores.
Tiago Celestino
Por que menos diretos trabalhistas? O quanto isso seria bom para o brasileiro (comum)?
Tiago Celestino
Medidas velhas!
小岩井
E isso é uma boa coisa. Empresa que não sabe competir tem que ir embora mesmo
João
Quanta abobrinha, hein. Mas é divertido ler. Tente fazer menos ad hominem, no entanto, fica menos amador.
João
Mas as nacionais já tem isenções em todo lugar.
João
Então vc sugere um domínio chinês mundial? Interessante.
João
Positivo e Multilaser, estamos bem servidos. Vão tarde.
Toto_fofo
Não votaram no Suplicy para ter renda básica e agora ficam brigando por emprego.
gbitte
Clichesão, mercado desenvolvido é aquele que amadureceu o seus pontos fortes. É impossível todo mundo oferecer serviços. E todos os países querem ter agricultura e indústria forte. O problema no Brasil é que tudo se dificulta pra vender facilidade.
Fabio Santos
Tudo segue uma cronogramaReforma da previdênciaReforma trabalhista Reforma tributária e nesta posterior ajustes internos se analisa o importado.Mais como digo investir no Brasil é um mercado pra poucos, e tem vários especialistas que vivem na barra da saia da mamãe ainda achando que como está a coisa vai.Enfim
Porto Velho
Não é gestão, é custo muito elevado pra operar mesmo. E ao contrário do que todo mundo acha, não dá pra colocar o preço que quiser, tem concorrência pra atrapalhar.Eu dei o exemplo da Tim por aí, procura e verá que independe do segmento. Lucro de empresas grandes é baixo.
Luizão
nesse caso não, commodities não entra em indústria de tecnologia kkk
mas ai é problema de gestão. Tem varias empresas areas que faliram na Europa. (airberlin q eu lembro agora de cabeça).De qualquer maneira me refiro a eletronico nesse exemplo.
Hemerson Silva
os salários não são tão baixos e nem em condição de escravo, inclusive a base salarial de um operário lá é maior do que a de um "brasileiro", que tem todos os tais "direitos".
Mike Cross
Commodities contam? :v
Tales Cembraneli Dantas
O problema do Trump é com a China, os dólares americanos criaram um gigantesco monstro comunista que esta louquinho pra mandar na economia mundial, posto hj dos EUA, o Trump esta certíssimo quando tenta se proteger da China, pra ele se as indústrias americanas continuassem no mesmo modelo , mas mudassem seus parques industriais da China para a Índia ou até mesmo o Brasil ele ficaria feliz da vida (e se fosse o caso do Brasil, nós tbm ficaríamos, rs)
Felipe Xavier
Reforma tributária? Uma das poucas que realmente poderiam ajudar a todos é a que tributa renda ao invés do consumo, mas duvido muito que esse governo faça isso, ou algo similar, ou sequer revise qualquer proposta de mudança na tributação.
Tales Cembraneli Dantas
Mas não podemos ser 8 ou 80, eletrônicos por aqui tem um dos maiores custos do mundo, basta fazer um comparativo de preços praticados por aqui e em outros países, algo precisa ser feito para mudar esta situação de uma vez por todas.Concordo quanto a China, lá além de baixos impostos sobre produção (ganham na quantidade), eles possuem mão de obra quase escrava, salários baixíssimos e esta sendo um câncer no livre mercado mundial, pois as condições encontradas por lá não se comparam com nenhum outro local do mundo e ninguém faz nada sobre isso pois preferem se beneficiar dos baixos preços, resultado, criaram uma grande potência comunista que esta querendo dominar o resto do mundo.
Tales Cembraneli Dantas
A industria nacional de tecnologia tem saudades do tempo da reserva de mercado, o povo brasileiro não.
Porto Velho
Então.. se você tá tendo prejuízo e a diminuição de impostos é uma forma de diminuir seu custo e finalmente fazer você ter lucro, você não vai repassar pro seu produto.E não há nada de errado nisso. É um pensamento um tanto socialista achar que ou a empresa paga imposto ou repassa ao consumidor, como se fosse obrigação dela ressarcir a população de alguma coisa que ela não deve.
Marcos Vinícius
Você sabe que o governo tem um plano de liberdade econômica né? Leia a respeito.
richardsonvix
Entendi. E olha que poupança não rende nada.Mas o que quis dizer é apenas sobre repassar as vantagens que ganhou ao consumidor (nem precisaria ser um repasse de 100% dessa vantagem) ou melhoria do produto, ao invés de reter para proveito próprio, o aumento no lucro.Esse é um pensamento ruim que é fácil ver, querer considerar a certeza de um lucro rápido por pouco tempo, mesmo que isso impacte em um negócio que não dure muito pela falta de investimento em qualidade e/ou preço mais competitivo.
João Silva
Toda proposta de reduzir imposto, seja de onde for, tem que ser aceita imediatamente. Não interessa se é de importação, de exportação, de leite ou de eletrônicos.
Caleb Enyawbruce
Quando falamos em "industria brasileira de eletronicos" estamos falando, na pratica, de quais marcas afinal?? Dependendo das que forem, podem sumir que não vão fazer falta...
Carlin
Façam uma analise mais ampla, e tentem enxergar o cenário plural! Diminuir a tributação de importados é fazer com que empresa que antes achavam que a saída era investir e fabricar aqui no Brasil voltem atrás e apenas importem seus produto para o mercado, isso pode ser bom pro empresario, mais o país deixa de ganhar investimento, deixa de gerar emprego, e pode acabar perdendo as empresas que hoje apostam no Brasil fabricando seus produtos aqui! Estamos caminhando para um precipício, parabéns aos envolvidos, se isso for realmente aprovado, sem ao menos uma analise mais criteriosa e apenas voltada para a importação, teremos o fim da prematura industrial local, além do mais logo, analisando em um cenário "distante", teremos menos industria, menos trabalho, mais desemprego e menos dinheiro rodando no país!
Porto Velho
Maioria das grandes empresas têm lucros pífios perante o patrimônio. Tem muita gente aí que se fechasse suas empresas e metessem o dinheiro na poupança ganhariam mais sem fazer absolutamente nada. Mas ainda insistem.Exemplo? A Tim Brasil lucrou 592 milhões ano passado. Parece muito né? Sqn! O valor de mercado dela é de 26 bilhões, então de lucro da 2%. Se os donos da Tim vendessem ela e colocassem o dinheiro na poupança, lucrariam mais que o dobro disso SEM FAZER ABSOLUTAMENTE NADA.Eu não sou um dos que saem criticando lucro de empresa porque simplesmente ele não existe.
Porto Velho
Questão é que tem muita empresa por aí que a galera acha que porque vende caro tá nadando no lucro.Possivelmente elas usarão os descontos pra aumentar suas margens mesmo.Exemplo são as empresas aéreas. Uma quebrou, duas tem prejuízos enormes e a outra lucra metade da poupança frente ao seu patrimônio. Qualquer redução de impostos nesse caso não vão refletir nos preços, só vão possibilitar que elas não quebrem ou que os investidores encham o saco e cansem de perder dinheiro.
LekyChan
nada
Bolsinho, me deixa te ajudar:1. Fala pra essas empresas/segmentos que voce vai baixar o imposto nacional e que quer ver o resultado real, ou seja preços mais baixos para os consumidores (o que poderá tambem significar aumento de emprego)2. De +ou- 3 a 6 meses para analisar o resultado.3. Imediatamente escreva que se ficar provado que os preços nao baixaram e que apenas serviu para aumentar o lucro das mesmas (como nós bem conheçemos), vc revogará esse decreto da redução de imposto e reduzirá o imposto das importações.4. Pronto, ajudou os consumidores independente do resultado (e a industria caso o ponto 1 for satisfatório)
Fabrício Roque
Sinceramente, não só para o Brasil mas também para o mundo, só sobrou no máximo a montagem de placas.Isso é a mais pura verdade. Se quer competir em fabricação, tem que agressivamente baixar impostos, dar incentivos, investir muito em pesquisa e desenvolvimento... Só baixar imposto não vai melhorar a competitividade da indústria.
mc
Tem muito impostos e encargos trabalhistas...não adianta coloca bola de ferro no pé da industrias e querer compete igual as chinesas,primeiro o governo tem que mudar a tributação,só para depois abaixar para importados.
Alexandre Roberto
....modelo econômico de substituição das importações...Os militares o iniciaram, mas nunca seguimos em frente e não abrimos o mercado....e já estamos há mais de 30 anos em governos civis...Essa de proteger a indústria nacional seria o 1o passo....e já temos aí meio século no passo 1Acho que já deu...
LekyChan
duvido que empresas como Multilaser, DL e Positivo estejam reclamando.
richardsonvix
Seria interessante mesmo o governo diminuir os impostos nacionais relativos e vermos, sem sombra de dúvidas, os empresários gananciosos não repassando isso ao consumidor só para aumentarem a margem de lucro com alguma desculpa de recuperação de perdas passadas.Só que dessa vez teríamos opção de compra.
johndoe1981
É verdade, o setor terciário em geral é o setor da economia mais relevante em países desenvolvidos.
Alisson Santos
Economias desenvolvidas baseiam-se no setor de serviços e de alta tecnologia. Foi-se o tempo em que desenvolvimento significava setor industrial pujante. Hoje em dia países desenvolvidos importam manufaturados de países com mão-de-obra barata (o iPhone de um americano é chinês). O Brasil precisa parar de ter mentalidade do século XX, parar de sacrificar o consumidor para proteger uma indústria incapaz, começar a ter foco nas coisas que faz de melhor, que com certeza não é montar placa-mãe.
Michael dos Santos
Se a pessoa deixar de comprar no Brasil pra importar como a empresa nacional vai pagar seus funcionários?Sim é caro para os padrões brasileiros, ferramentas de pesquisa para encontrar o melhor preço não falta.
Uriel Dos Santos Souza
Papo de quem não entende nada de economia! Nem de como funciona as coisas!
Michael dos Santos
Sem lucro, sem emprego.
Alberto Prado
Não vou defender ninguém aqui. Vou comenta só no intuito de gerar um debate sobre essa situação.Se fosse o caso de retirar os impostos de toda a cadeia produtiva (oq seria algo bem longe de acontecer em qualquer país fora a China); pq alguma empresa iria fabrica (e não só montar) algo (componentes como capacitores, resistores, memória, processadores, etc) aqui? A China já fornece tudo isso, a baixo custo e com a melhor logística do mundo. Fora que ela detém a produção de terras raras, que algo essencial para a produção dos mesmos.Sinceramente, não só para o Brasil mas também para o mundo, só sobrou no máximo a montagem de placas.
johndoe1981
Sempre o velho chororô de proteger a "indústria nacional".
Luizão
eu só queria saber o que a indústria da tecnologia realmente produz aqui (e não apenas monta) que não dependa de componentes importados.
uB.
efeito pode ser outro: fuga de empresas.Se n tão dando conta dentro de casa, cheio de proteção da mãe.... vão fugir pra onde?
Diego
O pessoal do "capitalismo de compadres" também adora. Impostos pros outros, claro.
Diego Oliveira
Livre mercado é como alguns medicamentos, não adianta tomar só metade que não fará efeito, apenas e somente quando todas as áreas estiverem mais livres de burocracia, menos direitos trabalhistas, mais concorrência e menos impostos é que tudo começará a se desenvolver como devia
Thiago Moraes
Como o amigo disse eu quero é novidades. Isso aí é birra de grupinho que pagou muita propina para ter toda essa proteção.Tempos novos...
William Fogiatto
Ué, tudo é importado salvo alguns produtos em que a empresa vem para o Brasil fabricar aqui dentro. Não vejo pessoas usando Celular "feito e fabricado por alguma industria brasileira", a meu ver só os usuários perdem com essa carga alta de impostos, que protege a má qualidade de produtos nacionais.
Anderson Silva
Esse povinho que paga de "protetores da indústria nacional" tem que parar de se esforçar em querer pagar de coitadinhos e trabalhar pra fazer a tão "gloriosa e preciosa" fazer produtos/serviços que sejam tão bons quanto ou ainda melhores que os de importação - quando esse dia chegar, daí eles podem argumentar o que quiserem pois estarão brigando de igual pra igual.
Bil
Que bosta de indústria nacional???
Franco Luiz
QUERO NOVIDADES .