Início » Celular » iPhone 12 deve ter baterias mais baratas para compensar 5G

iPhone 12 deve ter baterias mais baratas para compensar 5G

Baterias mais baratas e com menos capacidade ajudariam a compensar custos da adoção do 5G no Apple iPhone 12

Emerson Alecrim Por

Em julho, surgiram rumores de que a linha iPhone 12 terá baterias com menos capacidade em comparação com a geração atual. Esse burburinho ganhou força nesta semana com as palavras de Ming-Chi Kuo: o analista, que tem um longo histórico de acertos sobre lançamentos da Apple, declarou que a companhia adotará baterias mais baratas para compensar os custos com 5G.

Apple iPhone 11 e 11 Pro Max - Review

Kuo acredita que a Apple implementará baterias com número reduzido de camadas e comprimirá células ativas de armazenamento em uma área menor para reduzir o custo por unidade em algo entre 40% e 50% em relação à linha iPhone 11.

Essa abordagem, aliada à pressão que a companhia estaria exercendo sobre fornecedores para reduzir custos de componentes, faria parte dos esforços para evitar que o iPhone 12 seja mais caro — ou, pelo menos, que o aumento de preços da linha seja muito expressivo.

De acordo com Kuo, a adoção de tecnologia 5G sub-6 GHz (frequências inferiores a 6 GHz) no iPhone 12 deve fazer o custo por unidade aumentar entre US$ 75 e US$ 85. Já o uso de ondas milimétricas (mmWave) deve fazer o custo por unidade aumentar entre US$ 125 e US$ 135.

Se as previsões anteriores estiverem certas, a nova geração do iPhone terá baterias com as seguintes capacidades: 2.227 mAh (iPhone 12), 2.775 mAh (iPhone 12 Max), 2.815 mAh (iPhone 12 Pro) e 3.687 mAh (iPhone 12 Pro Max).

Apple AirPods (2019)

Apple AirPods (2019)

Para fins de comparação, a atual geração tem baterias com 3.110 mAh (iPhone 11), 3.046 mAh (iPhone 11 Pro) e 3.969 mAh (iPhone 11 Pro Max).

Ainda de acordo com Kuo, a Apple também estaria pressionando fornecedores para reduzir preços de placas de circuito e baterias para os fones AirPods. Essa pressão teria feito os custos desses componentes caírem entre 25% e 35% no primeiro semestre do ano.

Provavelmente, a pressão será maior no primeiro semestre de 2021, quando os AirPods 3 forem lançados.

Com informações: Apple Insider.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
10 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

² (@centauro)

Se eles conseguirem otimizar o sistema pra que a redução da bateria não seja traduzida em perda de autonomia, tá valendo.

Caso contrário, é torcer que o pessoal não se importe de carregar um powerbank pra cima e pra baixo (na China isso é bem comum, na verdade).

@Fabiofs

Até a penúltima geração dos iphones isso já era comum, pelo menos todos os meus amigos que tinham iphone andavam com powerbanks ou carregadores.

Paulo Manso (@paulo1manso)

Diminuir a margem de lucro nem pensar né.

Marcos Tony (@Marcos_Tony)

Reduzir camada, bateria barata, hum… Será que vai explodir!?

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

Pensei o mesmo… essa parada de comprimir o tamanho pra ocupar menos espaço já deu ruim antes…

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

Simplesmente lamentável. Absurdo o modelo novo vir com bateria de menor capacidade que o anterior. Se você é daqueles que pula algumas edições do iPhone, essa é uma boa candidata a ser pulada… Até porque do 13 em diante não será mais uma “cobaia do 5G”.

Diego Nascimento (@Dieg0)

Quase 900mAh de downgrade na bateria do iphone 12 em relação ao 11. Quero ver o milagre para manter a mesma autonomia.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Tem certos rumores que trazem mais desserviço que esclarecimentos.

Ai vc ouve algo da cadeia de suprimentos e lança uma nota aos investidores e ao público em geral, só que não explica absolutamente nada.

Daí essa nota é repicada igual vírus pela internet sem o devido tratamento técnico e vira uma chuva de hate. E é até compreensível pela ignorância técnica.

Todo ano tem uma competição entre a cadeia de suprimentos, pra ver quem oferece mais vantagem. E é assim que a evolução tecnológica acontece.

Ninguém imaginava colocar um computador, que antes era do tamanho de um andar inteiro, dentro de um aparelho de 6”. Mas foi possível. Porém para isso foi preciso refinar processos, buscar novos materiais, parceiros comerciais…

Essa guerra acontece todo ano. Colocar cada vez mais componentes em um corpo pequeno, mas que demanda cada vez mais energia e espaço. A bateria não é o componente mais caro, mas é o que ocupa o maior espaço. Cada milímetro que você salva, pode ser crucial. Não por acaso vemos o OLED evoluir ano a ano para ser mais fino e barato.

O que eu não gosto desse rumor, é que ele não é claro. Joga ao vento um assunto que é tão técnico e complexo, sem as devidas ponderações. Os comportes não são coisas isoladas, todos precisam se comunicar. Hoje se usa PCBs em SMT, e o rumor fala em trocar para SiP, porque ele diz ser mais barato. Porém SiP é mais caro (SMT já é largamente usado) e difícil de produzir em larga escala. Porém com ele se ganha espaço interno e eficiência energética. Não à toa o AirPod Pro é menor que o AirPod normal e consegue ter a mesma autonomia, devido a otimizações entre os semicondutores. E a bateria ganhou um novo encapsulamento.

O próprio Watch já usa o SiP para alocar os principais componentes em uma era pequena e no S5 a bateria do menor recebeu um novo encapsulamento para ocupar menos espaço e diminuir o tamanho dos conectores.

Porém com o iPhone não vejo ela adotando design de SiP no A14 por ser algo extremamente complexo e não é o melhor timing pra isso.

Porém vejo ela deixando de usar uma célula em L, e voltar para um shape convencional, mais abundante no mercado e por isso mais barato. Apenas fazendo algumas melhorias no encapsulamento e redução no tamanho dos conectores, inclusive já se esperava que o 11 viria assim, mas não se confirmou, e parece que agora vai.

Reduzir um assunto completo e cheio de nuances em apenas” baterias mais baratas”, soa como se estivesse colocando um componente inferior. Pode ser em design. Com certeza a bateria em L é mais cara e complexa.

No mais, ansioso para o desmonte da iFixit e análise dos componentes.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Sempre foi assim. A Apple sempre apoiou seus ganhos em autonomia na eficiência energética do processador e dos componentes internos.

Não concordo com essa filosofia, acho que daria para ter os dois e obter ganhos ainda maiores.

Juliano Machado Olivetti (@Juliano_Machado_Oliv)

É provável que venha com a política de “carga mais rápida” para compensar a bateria com menor capacidade. Meus caros, mesmo que cargas rápidas de verdade seja a “solução”, é bem óbvio que ao longo de vida o aparelho vai passar por mais ciclos, diminuindo a vida do mesmo. A agressividade da Apple em manter os custos/margem e manter crescimento de receita, pode levar a empresa a problemas sérios de qualidade nos produtos.

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

Que isso??? A bateria do iPhone 8 é de 1821 mAh, a do iPhone X é de 2716 mAh e a do iPhone 11 é de 3110 mAh

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Apenas um exemplo:

Eduardo Papa (@EduPapa)

Tem muita gente que fala na margem de lucro, mas certeza que nenhum desses que fala é/foi dono de empresa. As vezes você absorve parte de um reajuste, busca reduzir custo, mas mexer no lucro, contar pra vocês amiguinhos, mexe não, por que a empresa quebra.

² (@centauro)

Quebrar eu acho que só quebra se diminuir o lucro sem pensar.

Mas o que o pessoal não lembra é que se você diminui US$10 de lucro por unidade que seja, multiplica esses US$10 pela quantidade de unidades que é vendida e você vê o quanto de renda a empresa estará abrindo mão.
Se você vende 10 milhões de unidade, você está perdendo US$100 milhões de renda.
Então você só faz uma alteração dessas se você tiver confianca de que a redução da renda causada pela redução da margem de lucro por unidade vai ser pelo menos compensada por um aumento no número de venda (ou se você tem caixa pra sustentar a queda e quer aumentar o market share).

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

Não faz sentido comparar modelo “padrão” com modelo Plus. Os modelos Plus sempre tem bateria maior. Ou se compara “padrão” com “padrão” ou Plus com Plus.