Início » Aplicativos e Software » Clubhouse para Android entra em teste beta, mas pode ser tarde demais

Clubhouse para Android entra em teste beta, mas pode ser tarde demais

Disponível apenas para iOS, Clubhouse anunciou que começou a testar versão para Android com um pequeno grupo de usuários

Victor Hugo SilvaPor

Mais de um ano após o lançamento, o Clubhouse finalmente ganhará versão para Android. Hoje exclusiva para iOS, a rede social de salas de áudio trabalha em uma versão beta para o sistema operacional do Google. A expansão, porém, fará o serviço se deparar com uma concorrência ainda maior.

Clubhouse

Clubhouse ainda está disponível apenas no iOS (Imagem: Ana Marques/Tecnoblog)

O anúncio sobre a chegada no Android foi feito no domingo (2) pelo próprio Clubhouse. Em sua página sobre atualizações, a rede social informou que os testes para a versão beta no Android começaram. A versão inicial foi liberada para um pequeno grupo e deve chegar a mais usuários nas próximas semanas. Como se trata de um beta fechado, ainda não é possível se inscrever para usar o app.

Clubhouse sai atrás em disputa no Android

O Clubhouse ganhou a atenção dos usuários por estar disponível apenas no iOS e por usar um sistema de convites, que dava um caráter de exclusividade para as salas de áudio. Mas o modelo não deve ajudar o serviço a manter sua popularidade no longo prazo. É o que indicam os números de downloads nas últimas semanas.

Segundo a Sensor Tower, o Clubhouse registrou apenas 2,7 milhões de downloads no mês de março. O resultado representa uma queda de 72% em relação a fevereiro, quando havia chegado a 9,6 milhões de downloads. Com o desempenho recente, o aplicativo retornou ao patamar de janeiro, quando teve 2,4 milhões de downloads.

Em sua chegada ao Android, o serviço terá de atrair a atenção de quem está usando salas de áudio em outros aplicativos. O Twitter Spaces, que foi lançado no iOS em dezembro de 2020, está disponível no Android desde março e chegará em breve para a versão web da rede social.

O Clubhouse vai enfrentar a concorrência de outros serviços que também embarcaram nos recursos de salas de áudio. Entre eles, estão Facebook, Instagram, Telegram, Discord e LinkedIn. O Spotify também pretende oferecer a solução aos seus usuários e, para isso, decidiu comprar um aplicativo de salas de bate-papo.

A chegada ao Android faz parte de um planejamento anunciado pelo Clubhouse ainda em janeiro. Na ocasião, o aplicativo indicou que também pretendia oferecer um programa de monetização que começou a ser testado em abril. Este pode ser uma das saídas para o serviço ganhar espaço contra adversários com uma base de usuários muito maior.

Com informações: The Next Web, XDA Developers.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
13 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

André Gorgen (@Banana_Phone)

Que isso sirva de exemplo para mais empresas não deixarem de produzir uma versão pra Android.
Embora eu não acredite que esse app tenha um futuro promissor de qualquer forma.

@doorspaulo

Esse é o tipo de app que JAMAIS vou entender como faz sucesso.
É algo que já existe em outras plataformas, com uma exclusividade criada de forma artificial, e a galera fica eufórica para entrar.

A galera é muito “Maria vai com as outras” mesmo, só um influencer estalar os dedos, que o rebanho segue.

Rayson Silva (@scibra)

Foi por causa do Elon Musk, passou a usar esse app e os retardados foram na onda.

Cato (@cato)

Baixei o app pro iOS e vi que tinha que esperar ser convidado. Esperei alguns dias até perceber que não fazia mais sentido. Esqueci. Dias depois, recebi o convite. Ignorei. Eu acho que essa ideia de esperar convite não rola mais nos fias de hoje. Tudo tá muito rápido. Tudo tem que ser pra ontem. Ainda mais em se falando de tecnologia. As outras redes sociais criaram sua própria versão. E o original ainda está na ideia de convites. Perdeu o time!

Goku SSGSS (@renatodantas)

É igual à chegada do Habibs na minha cidade há uns anos atrás: aquela fila gigantesca de gente na 1ª semana pra comer uma esfiha. Depois cai no esquecimento.