Início » Computador » Intel Core de 12ª geração bate AMD em desempenho, mas gasta muita energia

Intel Core de 12ª geração bate AMD em desempenho, mas gasta muita energia

Testes mostram Intel Core i9-12900K superando AMD Ryzen 9 5950X no desempenho, mas perdendo em eficiência energética

Por

A 12ª geração de processadores Core para desktops (Alder Lake-S) foi anunciada no final de outubro e lançada oficialmente nesta quinta-feira (4). Com isso, as primeiras análises independentes começaram a aparecer. Elas indicam que os novos modelos da Intel conseguem bater os chips AMD Ryzen Zen 3 em desempenho, mas a um preço alto: muito consumo de energia.

Chip Core de 12ª geração para desktops (imagem: divulgação/Intel)
Chip Core de 12ª geração para desktops (imagem: divulgação/Intel)

Os testes foram feitos, em sua maioria, com o Core i9-12900K, o processador mais poderoso da família Alder Lake-S. O modelo é equipado com 16 núcleos e 24 threads.

Mas o que chama mais atenção nessa configuração é a sua proposta híbrida: oito dos núcleos são do tipo Performance (P) e, portanto, assumem os processos em primeiro plano que são mais exigentes; os demais são núcleos Efficient (E), que ficam com processos que estão em segundo plano ou são menos complexos.

Essa abordagem visa, sobretudo, ajudar o computador a poupar energia, afinal, as tarefas mais simples são executadas pelos núcleos que consomem menos. Isso não implica queda de desempenho, porém. Pelo contrário.

Nos testes do The Verge, o Core i9-12900K conseguiu superar o seu antecessor, o Core i9-11900K (11ª geração), em todos os benchmarks. No Geekbench 5, por exemplo, o modelo mais recente foi 12% superior em tarefas single-thread; em tarefas multi-thread, o Core i9-12900K teve 137% mais desempenho.

Na comparação com o AMD Ryzen 9 5950X — um chip de 16 núcleos (todos de desempenho), 32 threads e arquitetura Zen 3 —, o Ars Technica aponta que o chip da Intel levou a melhor em multi-thread no Cinebench R20 (10.323 pontos contra 10.085) e no Geekbench 5 (18.241 contra 15.102), vindo a perder só no Passmark (39.232 contra 47.835).

O Ars Technica também avaliou o Core i5-12600K, um processador com dez núcleos (6P + 4E) e 16 threads. Na comparação com o Ryzen 5 5600X, o chip da Intel bateu o da AMD em todos os testes: Cinebench R20 (6.540 pontos contra 4.390), Geekbench 5 (12.710 contra 8.186) e Passmark (29.755 contra 22.191).

Mas na eficiência energética…

Se de um lado os chips Alder Lake-S mostraram resultados interessantíssimos no desempenho, por outro lado, decepcionaram na eficiência energética. A expectativa era a de que a tal abordagem híbrida melhorasse esse aspecto, mas os testes mostraram os chips da AMD como imbatíveis nesse parâmetro.

Core i9-12900K chegou a 307 W (imagem: reprodução/Ars Technica)
Core i9-12900K chegou a 307 W (imagem: reprodução/Ars Technica)

Em um teste do Ars Technica feito com o Cinebench R20, o Core i9-12900K alcançou um pico de consumo de 307 W contra 204 W do AMD Ryzen 9 5950X.

Outro teste, este feito no canal Gamers Nexus com o Blender Benchmark, mostra o modelo da Intel superando 240 W enquanto o chip da AMD não passava de 120 W.

São diferenças gritantes. Mas é importante considerar que os chips Alder Lake-S são voltados a PCs de alta performance — são uma opção para jogadores, principalmente. Por isso, o fator desempenho tem mais peso aqui.

O fator eficiência energética não deve ser desprezado, é claro, mas será mais relevante nos chips de 12ª geração para notebooks, que devem ser anunciados oficialmente até o começo de 2022.