Quando o Google anunciou o projeto WebM, para criar um novo padrão de vídeos para a internet, a impressão que eu tive é que seria mais uma opção nesse campo. Ledo engano: a empresa informou nessa terça-feira que vai encerrar o suporte ao padrão H.264 – o mais usado atualmente na web -, para dar preferência total ao WebM no Chrome. Esse é o Google defendendo o código aberto ferrenhamente. | Dica do leitor Rafael Luik. Valeu!

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Veditto
O loko, mais esse formato é tão bom, não vejo o porque mudar, bom eu uso é o Firefox mesmo e sempre usarei.
Felipe
Ogg e WebM são "containers" Um arquivo .ogg pode conter vídeo em vp8 ou h264, ou qualquer outro formato de vídeo, audio, legenda, metadados não necessariamente se limitando a estes elementos. Os codecs de vídeo e audio até então contidos no rascunho do html5 são: Dirac; H264 - [perfis baseline, extended, main e high, ainda nada de SVC ou MVC úteis para video que se adapta de acordo com a disponibilidade de banda(mais um indício que o html5 não vai substituir o flash ainda) e para o 3d respectivamente]perfis limitados no nível 3; MPEG4 ASP; MPEG4 visual; Theora. os codecs de audio são: AAC-LC [Isso mesmo! Nada de HE-AAC e muito menos o v2] AMR; FLAC; Speex; Vorbis. Para arquivos que contenham somente audio só é admitido nas especificaões o conteiner Ogg contendo fluxos em FLAC, Speex ou Vorbis. Ou seja, o AAC-LC e o AMR são admissíveis quando acompanhados com o vídeo em MPEG4 Visual, ASP ou AVC(h264) no conteiner MP4 Os containers são: 3GP(Permitido somente para vídeo e audio juntos e limitado ao Mpeg4 visual(h263) e audio em AMR) ; MKV(Permitido para conter apenas os codecs Theora e Vorbis se juntos) MP4(Permitido somente para vídeo e audio juntos e apenas para os codecs em Mpeg4 Visual, ASP, AVC e AAC-LC); Ogg(Permitido conter vídeo e/ou audio, codecs em Dirac, Flac, Speex, Theora, Vorbis). O VP8 e o conteiner WebM não fazem parte do rascunho ainda que suportados pelo FireFox 4, Google Chrome e o Opera O AAC, AAC em m4a, e mp3 não fazem parte do rascunho ainda que supotados pelo IE9 e pelo Safari. Confiram o rascunho em: http://www.w3.org/TR/html5/video.html#the-source-element
Henrique Picanço (@henriquepicanco)
Talvez, o que a Google esteja fazendo é manipulando a web, fazendo ela andar conforme a música do Google, ou dando o pior tiro no pé da história de um navegador: Com o YouTube não exibindo algumas coisas, os usuários voltaram para o navegador de onde vinheram, seja do Mozilla Firefox, seja do Opera, ou ainda o Safari. Parabéns Google, inovou mais uma vez, tudo ou nada...
yuriRamos
O opera já suporta WebM
Rodrigo Fogagnolo
Bom, se você considerou Android e Chrome OS juntos, no mercado geral de sistemas operacionais, continuam igualmente insignificantes, pois ambos somados possuem menos de 1% do mercado. E me espanta ver que alguém que se acha qualificado para dar um curso de economia não consegue ver serventia em algo que não dê lucro. O YouTube não tem serventia alguma? É, o YouTube não é um poderoso meio de divulgação de um produto (uma boa parcela dos usuários do Chrome o instalaram a partir das propagandas intensas no YouTube); também não é útil para as transmissões de eventos do Google, já que provavelmente ninguém vai assistir; etc. Não serve para nada ter o maior site de vídeos do mundo, já que ele não dá lucro. Você seria um economista e tanto, com essa esplêndida visão de mercado.
alberto
Pra começar, o Google jamais deveria ter dado suporte a esse codec. Apenas desfez a besteira. Firefox, Chrome e Opera já têm WebM. Servirá para pressionar o Safari e IE a adotá-lo. Até lá o Flash com suporte a WebM dará conta do recado nesses browsers.
@Fireballmaker_
Curso de Gramática para Trolls da Internet: "e" - conjunção ADITIVA (+) "Android e Chrome OS" = "Android + Chrome OS" = parcela significativa dos SOs Curso de Economia para Trolls da Internet: Objetivo da empresa privada: "gerar lucros". Google Inc. = Empresa privada Youtube LLC = Empresa privada Objetivo da Google Inc. ao comprar a Youtube LLC: "gerar lucros". Se o Youtube "apenas não gera lucro para o Google", então qual é a serventia dela, até agora? Nenhuma, claro.
@worldofbit
Isso justifica a briga com a Adobe por conta do Flash? Acho que não.
fatecano
Na teoria é isso mesmo, já que um padrão aberto facilita para o trabalho de todos. Mas a questão vai bem além disso. Quem dita o padrão dita o mercado também. Acho que todos aqui sabem que os documentos de escritórios pelas normas técnicas ISO/ABNT são (ou deveriam ser) feitos no formato aberto ODF. Na prática, todos sabemos que pouca gente conhece isso. Então tenho meu pé bem atrás nesses assuntos. Infelizmente, acho que o Flash vai continuar imbatível por um bom tempo.
fatecano
A questão não é que o WebM seja melhor que o H.264 e, sim que um padrão aberto costuma ser melhor para o interesse comum que o fechado. O raciocínio é simples: independência de fornecedor, autonomia, transparência e é livre de royalties.
Rafael
"o código do flash player em sí não é aberto" e da mesma forma que o H.264 o Flash só pode ser implementado no navegador "de fábrica" se a Adobe for paga por isso. Então não tem nada diferente do H.264, só a habilidade que o usuário tem de ele próprio poder instalar (o que não pode ser feito em telefones celulares e outros dispositivos que são justamente o motivo da discussão de se ter um codec padrão para todos os naveagdores).
Marcos Pulido
realmente esse foi um #FAIL grande da Google..
Rodrigo Fogagnolo
Isso do seu ponto de vista. Por isso esse negócio de "ser cego" é muito relativo nesta área. Do meu ponto de vista, é o contrário que você disse: o iPhone pode não ter o melhor hardware, pois há smartphones com processadores mais rápidos, mais memória RAM, melhor câmera... (o iPhone é imbatível na sensibilidade e resolução do display) E por outro lado o iOS é sim o melhor SO móvel da atualidade Nestes casos, a "verdade" é do ponto de vista de cada um. http://meiobit.com/79254/tablets-status-quo-e-os-contenders/
Rodrigo Fogagnolo
Está enganado, eu nem tenho iPhone porque não acho que ele custe cada centavo do preço, apesar de na minha opinião ainda ser o melhor smartphone atualmente. O que me importa é custo/benefício. Talvez se eu morasse nos EUA, seria diferente, 200 dólares é muito melhor que 2 mil reais
Rodrigo Fogagnolo
Hmm entendi ^^ Mas talvez não é por ser mais fácil que é melhor para o mercado. Se fosse assim, o Linux provavelmente seria o SO dominante
Exibir mais comentários