Início / Notícias / Negócios /

SMIC, maior fabricante de chips da China, recebe sanções dos EUA

Para governo dos Estados Unidos, fabricante de semicondutores SMIC tem envolvimento com forças militares chinesas

Por

Nesta semana, a chinesa Semiconductor Manufacturing International Corporation (SMIC) entrou para uma lista de empresas que, no entendimento do governo dos Estados Unidos, tem relações obscuras com forças militares chinesas. A companhia é simplesmente a maior fabricante de chips da China.

A decisão não chega a surpreender. Já tem algum tempo que o governo dos Estados Unidos exige que empresas americanas obtenham uma licença para fazer negócios com a SMIC justamente por considerar que a companhia é controlada ou tem envolvimento com forças militares chinesas.

Embora, hoje, a SMIC não tenha estrutura para produzir chips avançados, a empresa vem recebendo investimentos do governo da China como parte dos esforços do país para depender menos de tecnologias americanas no segmento de semicondutores.

Fábrica da SMIC (imagem: divulgação/SMIC)

Fábrica da SMIC (imagem: divulgação/SMIC)

Mas esses esforços só dão resultado no longo prazo. Por ora, as restrições contra a SMIC são bastante prejudiciais porque podem impedir a companhia de adquirir equipamentos de origem americana para as instalações de suas fábricas.

Outras companhias chinesas, como a estatal de petróleo e gás CNOOC, também foram incluídas na lista que, agora, passa a contar com 35 nomes. Elas podem sofrer restrições de vários tipos.

Só para dar um exemplo, recentemente, o presidente Donald Trump assinou uma ordem executiva que impede investidores americanos de comprar ações das companhias listadas a partir do final de 2021.

A SMIC vinha sendo considerada como fornecedora em potencial de chips para a Huawei que, por conta das restrições comerciais impostas pelos Estados Unidos, não pode mais obter processadores de companhias como Qualcomm ou encomendar semicondutores a fabricantes como TSMC. A inclusão da SMIC na lista pode atrapalhar esses planos.

Em carta direcionada a investidores, a SMIC afirma que se opõe fortemente à medida e que ela reflete um grande mal-entendimento por parte do governo dos Estados Unidos sobre a finalidade de seus negócios e tecnologias.

Já o Ministério das Relações Exteriores da China declarou que “os Estados Unidos devem parar de abusar dos conceitos de potência nacional e segurança nacional para prejudicar a atuação de empresas estrangeiras”.

Com informações: Reuters, Android Police.