Notícias Negócios

Qualcomm pretende bater novo M2 com ajuda de ex-engenheiros da Apple

Qualcomm vai usar experiência da Nuvia, empresa fundada por ex-funcionários da Apple, para crescer no mercado de computadores

Bruno Gall De Blasi
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Depois do sucesso do M1, a Apple revelou o Apple M2 com a promessa de ser ainda mais potente e eficiente. Mas a Qualcomm, responsável pelos chips Snapdragon, já está se preparando para crescer no mercado de computadores e bater de frente com os processadores para Macs. É o que aponta o próprio CEO da companhia, Cristiano Amon, em uma entrevista publicada pela Cnet nesta quarta-feira (8).

Qualcomm vai usar experiência da Nuvia para crescer no mercado de computadores (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)
Qualcomm vai usar experiência da Nuvia para crescer no mercado de computadores (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

A conversa foi realizada na semana passada, antes do evento da Apple. Ao portal, Cristiano Amon afirmou que o novo objetivo da fabricante é “ter liderança de desempenho em PC na CPU” e ponto final. E a companhia já angariou a sua peça fundamental para alcançar a nova meta: a aquisição da Nuvia em 2021.

A Nuvia foi fundada por ex-funcionários da Apple em 2019. A formação foi fruto de uma união entre executivos da Apple e Gerard Williams, que já foi líder da equipe por trás dos chips da linha A encontrado nos iPhones e iPads. Os fundadores também tiveram experiência em outras companhias, como a própria Arm e o Google.

A companhia visava competir com a Intel e a AMD. Alguns anos depois, porém, a Qualcomm comprou a empresa por US$ 1,4 bilhão de dólares. E, com isso, a fabricante de chips Snapdragon alcançou o pote de ouro que fica no fim do arco-íris: a experiência que impulsionou o desenvolvimento do processador Apple M1.

Cristiano Amon, CEO da Qualcomm (Imagem: divulgação/Qualcomm)
Cristiano Amon, CEO da Qualcomm (Imagem: divulgação/Qualcomm)

Qualcomm: Nuvia auxiliará no crescimento em PCs

Conforme observado pela Cnet, a Nuvia se concentrará no desenvolvimento de componentes de alto desempenho para CPUs, GPUs (chips gráficos) e processamento neural para inteligência artificial. Todo esse esforço tende a ser destinado ao mercado de computadores. Mas os avanços da companhia só vão aparecer em 2023.

Vale lembrar que esta não é a primeira vez que os ex-funcionários da Apple aparecem nesta disputa, como foi observado pelo 9to5Mac. Em julho de 2021, Amon afirmou à Reuters que a Qualcomm pode ter o melhor processador do mercado com auxílio de arquitetos de chips que já trabalharam na fabricante do iPhone.

Apple M2 foi anunciado pela Apple na WWDC 2022 (Imagem: Felipe Ventura/Tecnoblog)
Apple M2 foi anunciado pela Apple na WWDC 2022 (Imagem: Felipe Ventura/Tecnoblog)

Apple M2 é apresentado na WWDC 2022

É interessante ver que outras empresas que trabalham com a arquitetura ARM querem crescer no mercado de computadores. No fim das contas, isto significa que poderemos ver mais desktops e notebooks com mais poder de fogo e sem consumir muita energia em breve. Justamente os diferenciais apresentados pela Apple em 2020.

Mas a fabricante do iPhone já deu novos passos de lá para cá. Nesta segunda-feira (6), durante a WWDC 2022, a companhia revelou o Apple M2 com a promessa de ser ainda melhor e mais eficiente. O novo processador já embala os novos MacBook Pro e MacBook Air, que custarão R$ 13.299 e R$ 14.499, respectivamente.

A Apple também apresentou o iOS 16iPadOS 16watchOS 9 e macOS 13 Ventura durante a WWDC 2022.

Bruno Gall De Blasi

Bruno Gall De Blasi é jornalista e cobre tecnologia desde 2016. Sua paixão pelo assunto começou ainda na infância, quando descobriu "acidentalmente" que "FORMAT C:" apagava tudo. Antes de seguir carreira em comunicação, fez Ensino Médio Técnico em Mecatrônica com o sonho de virar engenheiro. Entrou para o Tecnoblog em 2020 e também escreveu para o TechTudo e iHelpBR.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque