Notícias Internet

Facebook está disposto a furar a sua bolha de amigos para enfrentar o TikTok

Para enfrentar a forte concorrência do TikTok, Meta quer copiar algoritmo da rede social chinesa e trazer mais vídeos no feed do Facebook

Bruno Ignacio
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

O Facebok está preparado para mudar seu algoritmo para competir com o TikTok. Trazer os Reels do Instagram para a rede social não foi o suficiente. Agora, a Meta quer modificar o feed da plataforma. Isso significa que postagens de amigos não seriam mais priorizadas. Em vez disso, o Facebook recomendaria vídeos e posts independentemente de sua origem, se aproximando mais ainda do TikTok.

Logotipo do Facebook
Facebook (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

O The Verge obteve um memorando interno enviado no final de abril para os funcionários do Facebook. Nele, o executivo da Meta responsável pela rede social, Tom Alison, detalhou um plano para combater o TikTok. Com uma mudança de algoritmo, o feed da plataforma deve furar a bolha de amigos e passar a sugerir conteúdo de forma similar à concorrência chinesa, com ênfase nos Reels.

Essa não seria a única mudança planejada. Após anos do lançamento do Messenger como um app separado, a função de mensagens seria integrada novamente ao Facebook, se aproximando dos recursos de comunicação do TikTok. Esse plano teria como objetivo superar a estagnação e atrair novamente o público mais jovem para a rede social.

Como seria o novo feed do Facebook?

Em entrevista ao The Verge, Tom Alison detalhou um pouco melhor como seria o futuro do app do Facebook. No topo do feed principal a plataforma traria uma grande mistura de Stories e Reels, recomendados com base no novo algoritmo. Abaixo, viriam postagens do Facebook e Instagram descobertas pelo novo mecanismo.

No final das contas, toda a experiência se tornaria mais visual e repleta de vídeos, facilitando também o envio de mensagens para amigos. Assim, o Messenger voltaria ao app do Facebook, integrado ao canto superior direito do aplicativo.

Conforme evidenciado nas conversas entre Alison e o The Verge, a Meta percebeu que precisa replicar a página principal “Para você” do TikTok para conseguir competir com a gigante chinesa. Isso significa também descobrir as preferências do usuário com base nos hábitos de visualização e criar um feed que aprende mais rapidamente com suas atividades na rede social.

Facebook fica para trás e perde usuários

Facebook
Facebook app (Imagem: Thomas Ulrich/Pixabay)

A Meta está visivelmente desesperada para retomar o crescimento. Há pressão de investidores conforme as ações da companhia não param de cair desde o final de 2021. Além disso, os números do Facebook não estão bons. No ano passado, a rede social registrou sua primeira queda de usuários. Documentos internos vazados também revelaram que os jovens estão, cada vez mais, abandonando a plataforma.

O TikTok, por outro lado, se tornou líder entre as redes sociais. A plataforma do conglomerado de tecnologia chinês ByteDance foi baixado 3,6 bilhões de vezes, segundo para a empresa de pesquisa de aplicativos móveis Sensor Tower. De acordo com as estimativas, no ano passado os downloads do TikTok foram 20% maiores que os do Facebook e 21% maiores que os do Instagram.

Além disso, durante os primeiros três meses deste ano, os usuários de iPhone gastaram, em média, 78% mais tempo no TikTok do que no Facebook. A rede social de Mark Zuckerberg ainda gera bilhões de dólares a cada trimestre e retém cerca de 2,94 bilhões de usuários mensais, mas parou de crescer em 2021.

Meta reverte estratégia mantida desde 2015

A última grande mudança no feed do Facebook ocorreu em 2018. Na época, Zuckerberg disse que a rede social iria priorizar “interações sociais significativas” entre amigos e familiares, argumentando que isso levaria a plataforma de volta às suas raízes. Outra alteração muito parecida no algoritmo aconteceu em 2015 para mostrar aos usuários mais posts de amigos.

Mark Zuckerberg no anúncio da Meta (imagem: Reprodução/Facebook)
Mark Zuckerberg no anúncio da Meta (imagem: Reprodução/Facebook)

Essa abordagem da Meta começou a mudar após o sucesso do TikTok. As primeiras mudanças para combater a plataforma chinesa ocorreram no Instagram, que deixou de focar em fotos e copiou o formato bem-sucedido de vídeos curtos. Mas, até agora, somente o Instagram não foi capaz de conter a forte concorrência.

Até hoje, uma das maiores competências da Meta é reconhecer os concorrentes e, sem qualquer piedade, copiar seus principais recursos. Quando o Snapchat bombou, a empresa trouxe os Stories e conseguiu se manter no topo.

Agora, veremos se o clássico plano da Meta funcionará novamente. Conforme Alison contou ao The Verge, estamos vendo uma corrida para ver se o Facebook consegue se tornar mais como o TikTok antes que o TikTok se torne mais como o Facebook.

Tecnocast 225 – Os hits e best-sellers do TikTok

O TikTok foi o site mais acessado de 2021 e, ao longo do ano passado, se consolidou como uma das plataformas mais populares do planeta. O sucesso repentino provocou uma série de reformas em todo o setor de entretenimento.

No episódio 225 do Tecnocast, o Tecnoblog falou com o criador de conteúdo Eder Alex sobre as mudanças provocadas pelo TikTok e seu algoritmo certeiro. Dê o play e entenda como essa plataforma se tornou tão importante para a indústria da música e uma criadora de best-sellers literários.

Com informações: The Verge

Bruno Ignacio

Bruno Ignacio é jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. Cobre tecnologia desde 2018 e se especializou na cobertura de criptomoedas e blockchain, após fazer um curso no MIT sobre o assunto. Passou pelo jornal japonês The Asahi Shimbun, onde cobriu política, economia e grandes eventos na América Latina. Já escreveu para o Portal do Bitcoin e nas horas vagas está maratonando Star Wars ou jogando Genshin Impact.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque